Príncipe encantado não existe…não como nos ensinaram!

Somos ensinadas desde cedo, por diversas vias, a procurar e encontrar o príncipe encantado. A Disney, por exemplo, nos passou bem as características dele. E nos mostrou melhor ainda como teríamos que ser para que esse tal príncipe chegasse e fizesse questão de permanecer. Afinal, nos ensinaram também que a missão de fazê-lo ficar, é nossa. E para isso teríamos que ser verdadeiras princesas.

Mas aí a gente cresce e vai aprendendo o que, de fato, é um príncipe. Sabe aquela coisa toda dos filmes românticos de hollywood, que nós derramamos lágrimas e mais lágrimas assistindo? Pois é… Aquilo não existe do lado de cá. Não daquela forma. Nosso príncipe não aparece em cavalo branco e não nos mostra, tampouco vive, somente o lado bom das coisas.

O cara dos nossos sonhos traz mais realidade do que utopia para nossa vida. Ele chega e destrói toda aquela ideia que nos fizeram acreditar e, o melhor de tudo, nos faz entender que viver isso, o que é real, é muito mais emocionante e delicioso, do que qualquer fantasia. Encontrar o príncipe é encontrar um parceiro, cúmplice e amigo. É saber que encontrou alguém que sim, possui bilhões de defeitos, mas que sem eles ele não seria tão ele. É ter um treinamento diário de respeito às diferenças, tolerância e paciência.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

É entender a importância do amor e do que ele é capaz de fazer com e por duas pessoas que decidem vivê-lo da melhor e mais intensa forma. É encontrar um apoio para os dias mais difíceis e um lar para a calmaria que nossa alma tanto busca e nosso coração clama. É ser inteira, mas ter vontade de transbordar com alguém, sim. É não abrir mão do romantismo e das coisas bobas que fazemos e sentimos quando nos apaixonamos por alguém. Encontrar um príncipe é superar qualquer fantasia e histórias de filmes e desenhos românticos. É sentir, na pele e no coração, o que é viver. O que é a constante lição de dividir a vida com outra pessoa. É amadurecer e evoluir como pessoa.

E aprendemos, também, que ser princesa vai muito além de meras características físicas e comportamentais. Ser princesa é ser inteira e convicta de que merece o melhor. É saber da dureza da vida e, ainda assim, não se amolecer diante dela. É saber das dificuldades que vem com qualquer relação, mas ainda assim não abrir mão de se envolver com alguém. É não aceitar migalhas de sentimentos por saber que o que lhe pertence não tem preço, mas tem valores inestimáveis. É saber se retirar quando sua presença não é desejada. Tem que ser uma puta de uma princesa para poder reconhecer um verdadeiro príncipe. E tem que ser um príncipe muito corajoso para permanecer nesse reino intenso.

ana-luiza

Viva-se

Anime-se, ora! No entanto, anime-se agora, pois apesar de triste ainda é preciso sorrir de volta para as pessoas na rua, eles esperam seu bom dia. Use como conforto que até mesmo o grande da Europa, o Barcelona, levou uma goleada semana passada. Aceitar as falhas é preciso, acima de tudo, procure repará-las. Tolere também suas imperfeições. Seja sua dificuldade com contas, seu mal-humor ou o nariz tronxo. Continue caminhando sempre em frente, observe as pessoas ficando cada vez menos nítidas de longe. Consulte o oculista e constate logo o que já temia: aumento no grau e a dependência definitiva dos óculos. Aceite-se.

Pronto, agora olhe para o futuro com seus dois graus e meio de miopia e mantenha a esperança. Ainda que a esperança seja hoje, pra você, aquele resquício do sentimento de quando tocava a música de abertura do Dragon Ball GT. Não se afobe, acharemos uma saída pra humanidade, apesar do derretimento das calotas polares e do fato de estarmos ingerindo mais carboidratos do que gastamos, especialmente à noite. Tranquilize-se.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

Não guarde a comemoração para quando tudo der certo, valorize cada pequena vitória contra a preguiça diária ou os medos antes insuperáveis. Lembre-se de, ainda que não seja carnaval, celebrar, pois sempre cabe um carnaval fora de época e não tem época melhor para isso do que a prévia carnavalesca. Divirta-se.

Não fale de amor pra tia que pergunta, pro psicólogo que questiona, pros pais que esperam uma nora. Escreva um soneto, amasse e jogue fora, não mostre a ninguém, deixe ser apenas um segredo seu. Apesar de ser um fã convicto do Chico Buarque, ouça a nova música do Wesley Safadão, porque afinal de contas: “ninguém é de ferro”. Conheça-se.

Saia da zona de conforto, busque reinventar-se todo dia, experimente novos prazeres e novos modelos de sapato. Converse com estranhos, chegue tarde em casa na sexta feira, conte umas mentiras sobre o que gostaria de ser, peça uma sobremesa nova ao invés da “de sempre” no restaurante, perca tempo com bobagens, aprenda a tocar um instrumento. Inove-se

Guarde uma tarde para os amigos, pratique exercício físico 3 vezes por semana. Faça algo que lhe dê dinheiro, mas dedique um tempo para aquilo que mais ama. Nem que seja só por diversão durante uma pequena parcela do dia, sinta-se bem. Depois disso tudo durma, durma o suficiente, durma 8 horas diárias, aproveite e passe do horário no sábado e domingo. Depois acorde e faça tudo de novo. Respire-se.

caio-lima

A gente só voltou pra ter certeza que não era pra ser

Juntos, já tivemos momentos maravilhosos e repletos de confusão.
Sua teimosia e estranha provocação, misturada com esse dengo todo que pede colo.

Uma ida à sorveteria da esquina, numa noite de verão qualquer, foi transformada em discussão por mais de uma bobagem. E quantas bobagens falamos em tom de ofensa. Pra nos defender de nós, deixamos o amor de lado.

Dias que não queria olhar na tua cara.
Dias que ficava morrendo de saudade.

Até que a gente foi saturando daquele clima pesado e chato. E você não aguentou o peso sob os teus ombros. Terminamos, em meio a mais uma briga repleta de palavras duras e enfrentando o clima frio.

Cada um no seu canto, tentando se reerguer, se curar das feridas abertas, mágoas e ressentimentos.

Uma história de vida, de companheirismo. De chatices.
A balança nunca nos dava uma resposta exata.

Na verdade, estávamos tão acostumados um com o outro, que a distância parecia um rompimento duro de almas feridas. E, mesmo com toda essa turbulência de algo que já tinha sido desgastado e remendado, a gente se amava. E combinava em tudo.

Nada estava sendo suficiente sem a tua presença.

A gente ria de qualquer coisa. O mais feliz dos casais quando concordávamos em levantar a bandeira da paz.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

Isso me fez falta. Uma danada de uma falta.

Passado um tempo sem se desligar completamente, nos encontramos e a faísca acendeu a chama. Voltamos. Reatamos, sei lá como deve-se chamar aqueles dias que vivemos imersos em uma matança famigerada de saudade.

Então, a saudade completamente morta, nos restou a realidade.

Olhamos para a nossa história numa manhã qualquer e conseguimos sorrir de tudo que passou. Tive muito medo, minhas mãos estavam suadas e fria.

Conversamos bastante.

Acertamos os pontos. Os ponteiros. Terminamos, dessa vez, como tinha que ser. No auge. Tomando café com bolo de manhã, depois de uma noite intensa de lençóis jogados no chão.

Você pegou as tuas coisas e, em respeito a toda história que vivemos juntos, nos abraçamos. Sem beijos e sem drama. Apenas, fazendo a difícil travessia de uma história que não tinha mais pra onde ir.

Reconhecemos isso.

A gente só voltou pra ter certeza que não era pra ser. E que, daqui em diante, sejamos felizes com alguém que nos queira bem.

Tão bem quanto o nosso querer um pelo outro.

edgard

Ninguém, além de nós

Lembro das coisas que me disseste e isso é o que tem quebrado o silêncio da tua falta. Lembro dos momentos em que a calma nos faltou e nos perdemos em nossos próprios desejos.

Somos jovens e é tudo tão novo, é tudo diferente e é tudo normal, intenso, forte e devastador. Somos cabeças duras, teimamos até onde der. Tememos, sofremos e tudo o que queremos é não demonstrar.

É esquecer.

É chorar.

Mas sem ninguém saber.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

Ninguém, além de nós, pode saber que somos incapazes, que falhamos e como qualquer pessoa normal e que podemos fraquejar. Não. Temos um ao outro, temos a nós e, mesmo assim, insistimos em brigar, em fugir, em recuar.

É normal.

Quem já apanhou tanto tem medo de voltar a brigar.

Somos jovens.

Meu desejo é de que possamos aprender a confiar. Que nos seja permitido tentar com todas as forças. Lembro das coisas que te disse e das que ouvi de ti por muito tempo irei lembrar.

alan

Acorda, garoto! Eu estou apaixonada por você

Eu já namorei tua íris daqui umas cinco vezes. Eu já sorrir sem jeito, e até cutuquei minha melhor amiga na tua frente, só para que você percebesse que sim, é você quem eu quero. É você com quem quero dividir o açaí da praça e as séries do Netflix. É pra você que quero contar como foi meu dia, e saber um pouco do teu também. É nos teus braços que quero inventar abraços apertados. É com você – é apenas você – que eu quero conhecer o mundo afora.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

Estou aqui. Te encarando como uma criança desejando o colorido do algodão doce. Estou aqui. Sorrindo para o teu sorriso. Olhando para os teus olhos. Namorando cada pedaço do teu corpo. Estou aqui, olha pra cá, vai. Prometo pra mim que se hoje você não notar o quanto eu sou louca por teu jeito singular, amanhã eu venho com uma camisa escrita; Gabriel, eu estou perdidamente apaixonada por você, ou Thiago, ou Rafael, seja lá qual for teu nome. Mas se fosse pra adivinhar, eu diria que tem mais cara de Gabriel. 

De anjo, entende?

Olha pra cima, vai. Deixa o celular de lado e a vergonha também. Me olha nos olhos. Vem aqui, e pergunta meu nome. Elogia meu sorriso. Me fala um pouco do amor e eu te mostro um pouco dele. Segura minha mão com firmeza. Faz promessas de um futuro incerto. Me faz feliz por inteiro. Só não deixa isto tudo ser passageiro. Olha pra cá, vai. Isso, mais um pouco pra esquerda. Isso, aqui mesmo. Essa sou eu de olhos castanhos com um sorriso estampado no rosto pra você.

Isso… não, nãaaaao. Pra lá, não. Eu tô aqui poooxa. 

Aí garoooto.

Acorda!!!!!

Eu tô apaixonada por você.

Tudo bem, hora do plano B.

Pedro

Eu te amei escondido

Eu te amei escondido assim que te vi chegar. Meus olhos brilharam quando repousaram sobre o teu riso e eu desviei o olhar. Eu te amei escondido quando você me deu um pão de queijo no meio de uma manhã fria e me chamou para um café. Eu disse sim, e te amei escondido mais uma vez.

Eu te amei escondido quando vi você despreocupado da vida. Você era infinitamente mais novo do que eu imaginava e te ver tão moleque me fez te amar um pouco mais. Eu absorvi aquela imagem e te amei escondido incontáveis vezes, quando repassava a cena em câmera lenta, que era para não esquecer nenhum detalhe. Se eu fechar os olhos, ainda consigo ter a imagem dançando fresca na memória.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

Eu te amei escondido nas primeiras trocas de palavras. Tanto em comum, tanto incomum. Eu absorvi teu sotaque e te amei escondido um pouco mais. Te contei que amo sotaques? Eu te amei escondido quando você olhou para mim e ficou. E eu te amei escondido quando eu te olhei de novo e fiquei.

Eu te amei escondido quando você me mandou aquela primeira música. Te mandei um sorriso de volta, desses bem sem graças, porque eu não podia denunciar o tanto de amor que escondia. Eu te amei escondido quando tua música tocou no carro e fiquei amando e sorrindo repetidas vezes.

Eu te amei escondido no primeiro gole de vinho. E te amei me escondendo atrás de pálpebras fechadas. Eu te amei escondido, porque não sabia amar em voz alta. E, escondido, você me amou de volta.

mafe

Ao meu futuro amor

Quando tu vieres, não vem rápido. Não precisa chegar causando furdunço, pois não é assim que irei te notar. Vem com calma, sem medo e sem receio. Pode vir chegando, puxando um papo legal e sem a velha história de chamar pra sair na primeira conversa. Tenha calma e me ganhe devagar. Faça eu te achar especial, diferente de todos os outros com quem já conversei. Não precisa ser um príncipe ou um exemplo de pessoa carinhosa e romântica, só me faça esquecer de todos os outros tipos que existem por aí e que não valem a pena trocar meia palavra.

Quando me veres, faça-me sentir única e tenha carinho em cada gesto ao me tocar. Sou carente e preciso de atenção, portanto deixe-me saber que pelo menos um segundo do seu dia é reservado a mim, não esconda sentimentos e me mantenha a par de tudo, para que eu também saiba o que fazer e quando me aproximar.

Captura de Tela 2016-03-18 às 23.14.38

Tu não precisas ser perfeito, nem o mais bonito, o mais rico, o mais inteligente e nem nada disso. Sejas apenas a pessoa certa para mim. Saiba desvendar os meus olhares e depois ria dos meus momentos de estresse. Veja o pôr do sol comigo e depois abra aquele sorriso que fara o meu dia começar e terminar bem. Escreva-me mais cartas, e mande menos mensagens. Olhe mais nos meus olhos e faça do nosso amor a mais linda paisagem. Sejas tu mesmo, único e especial para mim, mesmo sem ter nada de extraordinário, mostre-me que juntos podemos dominar o mundo.

Sei que te encontrar vai ser difícil e até lá a luta vai ser longa e cheia de amores não correspondidos e vazios. Mas eu não tenho pressa, não necessito de ti agora e sei que quando for minha hora, tu estarás na fila do pão, cruzará comigo na rua ou pode ser até o cobrador do busão. Tu me verás em alguma festa ou sentada na mesa de algum bar e sem ter nada planejado o nosso destino irá brotar. Ao virar a página do meu livro, estaremos lá.

Portanto me espera que eu estou aqui, rodando o meu pequeno mundo e vivendo tudo que posso até pechar contigo na estrada. Estou me construindo internamente para que quando chegares não se assuste com a bagunça, para que juntos possamos criar algo novo e fora do comum, algo nosso. Escreveremos nossa história e a colocaremos para rodar, assim como essa carta que hoje sem destino eu escrevo, ao meu futuro amor que um dia há de chegar.

nathaly-bonato

O que eu diria se o mundo acabasse hoje

Se o mundo acabasse hoje, provavelmente diria estas mesmas palavras que digo agora. Não posso explicar de onde elas vêm, nem pra onde irão depois da destruição, mas o fato é que preciso dizê-las. Contrariando a lógica comum, esperava o fim do mundo ― na verdade ansiava por este dia mais que qualquer outra criatura na terra. Afinal, o fim não pode ser isso tudo que dizem. Para ser sincero, nos últimos tempos, tenho vivido uma hecatombe a cada segunda-feira. Recomeçar, seja lá o que for, é desgastante e não há alma humana capaz de suportar tantos problemas reais. Sinto um enorme desconforto em admitir, mas tudo que queria agora era fugir: para o quinto dos infernos, talvez; qualquer lugar é melhor que aqui e agora. Enquanto escrevo, nenhum meteoro cruza o céu anunciando a desgraça geral; mesmo assim espero.

Na minha última noite insônia procurei por minha alma embaixo na cama ― só encontrei ácaros e um sapato velho, que já não cabe mais no meu pé 42, e que hoje serve de abrigo para um casal de baratas. Olhando para aquelas criaturinhas cascudas e asquerosas, senti pena delas. Li alguma coisa na internet que dizia que as baratas seriam as únicas sobreviventes da extinção em massa. “É um capricho de Deus!”, pensei furioso. De todas as criaturas na terra, por que escolher logo a barata? Um ser sem vida ― para muitos até sem alma ― e que passa a existência em busca de migalhas e rastejando na penumbra dos quartos vazios. É muita sacanagem! Além de suportarem tudo isso o direito de reclamar ― direito esse, aliás, que julgo necessário para qualquer ser vivente ―, estão condenadas a carregar, sozinhas, a ressureição da vida num planeta devastado e condenado ao nada. Acho que Ele pegou pesado desta vez. Ou não: quem sabe o Divino escreve certo por linhas tortas? Pode ser que Deus só seja um autor ruim mesmo, não é verdade? Vai que não sabe mais que fim dar aos nossos personagens e decide agora acabar com tudo, como quem embola uma página e recomeça a narrativa, e dar novo sentindo pras coisas, ou fazer tudo diferente. Como não sou dono de nada, nem mesmo deste nariz ― que tantas vezes julguei ser meu, mas que hoje vejo apenas como mais um de meus incontáveis defeitos físicos ― sinto-me aliviado de ter sido a barata do meu sapato-velho a escolhida para reconduzir a vida na terra! Se tivesse que reconstruir essa quiçaça de planeta, nem saberia por onde começar. Provavelmente por mim mesmo: um nariz menor, que seja verdadeiramente meu seria bom…

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Durante toda minha vida acredite no amor, é verdade! No entanto, foi vencido pelo exagero. Para mim era inconcebível se amar pelas metades, gostar só um pouquinho, ou trocar carinhos miúdos. Sempre queria mais, tudo no aumentativo, no plural. O problema é que quanto mais me multiplicava, sobrava menos de mim. Fui como uma ponte que depois de matar a sede de uma população inteira secou e tudo que sobrou foi um poço seco e vazio de pó. Como o mundo não acabou, talvez tenha tempo de aprender a dar o mínimo de mim e a receber menos ainda ― se é que ainda sobra em mim alguma coisa parecida com amor. Não sou perfeito, carrego comigo um sem-número de defeitos e imperfeições, mas sonhava em usar amor como um curativo, como um balsamo que seca ferida. A verdade é que só consegui me cortar ainda mais. É preciso admitir: amores certos em pessoas erradas são como veneno. Enveredam por cada canal sanguíneo e espalha suas pequenas farpas que matam, uma a uma, a esperança de sermos felizes ao lado daqueles que nos completam. Se o mundo acabasse hoje, essa seria a principal lição que carregaria para o outro mundo ― se é que ele existe.

Há tanto para ser dito, tanto para ser registrado, eternizado… Talvez inicie um diário daqui pra frente, já que o mundo não acabou. Registrar as dores, amarrá-las com papel e caneta pode ser sadio para o coração. Me senti tão pequeno e diminuído que nem mesmo quando desejei, desesperadamente, o fim de tudo, ele não me foi concedido. É assim mesmo que as coisas funcionam? Quanto mais se anseia por algo, mais nos distanciamos? O fato é que nada depende de nossa vontade diretamente. Não estou eliminando o pensamento positivo, nem as boas vibrações. Essas coisas podem até funcionar, mas têm de ser usadas na medida certa, com as coisas certas. Para fugir, como pude constar, de nada adiantará…

Bom, acho que já chega de devanear numa folha de papel, mesmo porque o mundo continua girando, girando… Não sei disse tudo que deveria dizer, não sei mais seria isso mesmo que diria se o mundo acabasse, mas eu já disse e ele não acabou. Se amanhã chegar tudo ao fim, com certeza terei novas coisas para compartilhar com o infinito. A vida, no fim das contas, são correntes infinitas, que dão num mar desconhecido, que um dia se evapora e se torna chuva e a chuva rega um novo recomeço. Como diria Shakespeare, “estar preparado é tudo”, seja lá por vier…

FIM…

flavio

Eu quero é menos

É, eu sei que sou o excesso de tudo. Excesso de palavras, de sentimentos, de pensamentos, de sonhos, de desejos, de esperanças. Sou o excesso… O excesso como o drama mexicano, a música sofrida, a morte do cisne. O excesso de amor, de rancor, de ciúmes e de carinho. Excesso de ironia, de verdades, de sabores e cores. Excesso do medo e da coragem, bem assim: 8 ou 80. Excesso de tudo e nada. Mas o excesso é a sobra. Transborda, vaza pra fora do pote e tem que ser jogado fora.

“Tudo em excesso faz mal.” Não é essa a frase tão conhecida?! E eu, que já dizia que menos é mais, começo a ver ainda mais verdade nisso tudo.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Não quero mais excessos, eu quero menos. Menos dores, menos peso, menos obrigações, menos promessas. Menos reclamações, menos choro, menos culpa e muito menos desculpas. Menos horários fixos, menos expectativas, menos pressão.

Menos “se”, ” talvez”, “depois”. Menos saudade, menos distância, menos solidão. Menos, sabe?! Bem menos. Quase nada… Só o necessário. Cansei dessa bagagem excessiva, cansei de carregar mais do que posso. Cansei de ser demais.

Quero abrir essa mochila de excessos e esvaziá-la. Quero só a roupa do corpo. Quero cortar o cabelo. Quero o pé no chão, a brisa no rosto e nenhum pensamento em vão. Quero menos, porque essa vida já é demais pra mim. Só quero o que caiba espontaneamente no meu coração.

Yulle

Às vezes não fazer nada também é tomar uma decisão

Seus olhos encontram os meus. Me acho e me perco, antes mesmo de um piscar. Fico em dúvida sobre o que pode ser… é inexplicável, é  surpreendente, é novo!  Algo que eu não sentia há tanto tempo, ou quiçá já senti antes, mas não sei se devo pensar, se devo esperar, se devo agir ou se devo fugir.

A fuga me parece o caminho mais fácil, mais certo, mais seguro. Eu sempre gostei da segurança, só de pensar em seguir um caminho sem saber qual a estrada seguir eu já me sinto ansiosa e um pouco perdida. Mas fugir poderia me privar de viver coisas que sempre sonhei e nessa indecisão, nessa incerteza de ação, nesse medo de tentar eu escolho não fazer nada, permanecer na inércia de apenas esperar.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Espera pelo o que ainda não sei. De mim? De você? De nós dois? Ou de ninguém? Não sei, e continuo sem saber, sem buscar uma resposta, sem fazer perguntas. Apenas questionando o meu interior, mas falando baixinho, com medo de ouvir a resposta e não ter mais como evitar. Desse modo decido apenas observar.

Observo, sim apenas observo o que está ao meu redor. Fico na espera de ter uma resposta, de você ser a resposta para todas as minhas dúvidas, de você ser o ponto final para todas as vírgulas que eu coloquei em minha caminhada.

Eu tento agir, mas é como se algo me prendesse, talvez o passado, já que ele adora assombrar o futuro. Talvez o medo de repetir os erros que deveriam ser esquecidos, talvez, talvez. Muitas são as dúvidas e as possibilidades das ações que eu poderia ter executado.

Na incerteza do que é certo, do que é necessário e do que é real, vou esperando por notícias e respostas que não vou procurar, pois vou deixar que elas me encontrem, e quando esse dia chegar espero estar preparada para recebê-las sendo elas boas ou ruins, de alegrias ou de tristezas, de amores ou desamores. Pois no fim, acaba que essa é a minha escolha, não sei qual serão as consequências, mas sei que eu merecerei o que estiver por vir. Descobri que esse não é o meu momento de correr, nem de andar, mas sim de descansar. E talvez você esteja muito a frente de mim, não posso pedir que me espere. Mas quem sabe quando eu voltar a minha jornada eu te alcance outra vez, no momento eu apenas irei usufruir do privilégio de permanecer sem saber o que fazer.

tam