O olhar que você me negou

Leia ao som de Não Me Olhe Assim – Capital Inicial

Olha, eu sei que é difícil para todo mundo. Ter que superar e passar por essas coisas que ninguém quer, mas todos passam. Coração partido, decepções, histórias que não foram como a gente imaginou que poderiam ter sido.

Mas tenho uma teoria de que quando algo é superado, você para de temer aquilo. Se você ainda tem medo, se você não tem coragem de encarar de frente alguma coisa é simplesmente porque não superou aquilo.

Eu tenho sentimentos ambíguos sobre a nossa história. Pois ao mesmo tempo que sei que o mais correto, maduro e humano para se fazer – já que seguimos caminhos distintos – é cada um ir para o seu lado, sem ficar remoendo nada, quero também que nossa história fique viva de alguma maneira.

Durante muito tempo me entristeceu ver que você seguiu em frente muito bem. Tocou a sua vida, manteve as amizades que eu falhei em manter, conservou os traços da sua história comigo que eu não pude. Porém no fundo, algo sempre me disse que talvez você ainda me amasse.

“Eu faço tudo por ti”. Jamais vou me esquecer de quando me disse esta frase.

E “eu te amo”. Quem sabe disso você nunca lembre, pois eu não cheguei a nem dizer. Mas sim, é verdade.

Superou? Bom, parecia que você havia mesmo superado. Eis que a vida nos reserva um novo encontro. Então nós, frente a frente. E você? Me nega um olhar. Caramba, um olhar!

Entenda, eu não esperava um olhar maldoso ou um olhar de desejo. Sequer um olhar de quem quer mudar algo. Não. Mas esperava um olhar de quem superou, deixou tudo isso em uma outra vida. Um olhar “pra ser sincero, prazer em vê-lo, até mais”.

Este olhar você me negou. Teria sido tão mais simples se você tivesse simplesmente me olhado…

Mas por que – eu me pergunto – você me negou este olhar?

Será que a indiferença é tão grande criada pela mágoa? Será que eu já sou um ponto tão insignificante da sua história que para você tanto fez, tanto faz, como se eu fosse um desconhecido?

Ou será que te faltou coragem? Para dizer a mim com teus olhos que eu já sou página virada.

Você tem medo? Pois, se você tem medo, saiba que eu também tenho.

Contudo, eu tentei te olhar. Mesmo morrendo de pavor de não conseguir sustentar a mentira de que já superei. Mas te olho mesmo assim, pois mesmo sem ter superado, no fundo, ainda sinto muito. E queria, de verdade, que você ainda sentisse alguma coisa.

Mas isso ficou escondido no olhar que você me negou.

 

Paulinho Rahs

Anúncios

O melhor dos remédios…

Eu estou sozinha, mas parece que esse quarto está tão apertado. Tem muitas coisas aqui. Tem todas as nossas lembranças. Tem aquele sorriso que você deu depois do nosso primeiro beijo. Tem ainda aquele teu olhar tentando me entender quando eu me perdi nas palavras, na tentativa de me explicar. 

Mas chega de falar dessa tralha toda. Preciso abrir espaço aqui, porque já não consigo respirar bem. Não estou conseguindo ver a vista da janela, teus olhos brilhantes estão na frente e eles serão os primeiro que atirarei aqui do alto. 

Preciso tirar também o toque das suas mãos, que estão travando a porta, ele têm me impedido de abri-la. Pessoas batem, chamam, mas não consigo atender. Então, não me leve a mal, mas é que o quarto ficou pequeno. Não tem mais espaço para nada que remonte o passado aqui. 

Sim, passado. Demorou mas você entrou nesse baú. Não entenda como algo ruim, na verdade eu relutei muito para fazer isso. Ao assinar essa carta atestando isso, lágrimas rolavam do meu rosto, enquanto um pop empolgante tocava. Era como se cada verso me puxasse, me arrastasse para fora do quarto. E de repente, a noite era dia e o inverno era verão. 

Foi como piscar os olhos, mexer o suco e abrir a porta, coisa de segundos. Interessante como levei tanto tempo para organizar essa bagunça, enquanto a vida só precisou de alguns segundos para me mostrar o mundo além dos seus olhos, para me mostrar o amor além dos seus beijos e afagos. Se eu tivesse que descrever esses míseros segundos, descreveria em prazer e nada mais. Que prazer? Aquele que toda mulher sente na TPM, quando come um brigadeiro, ou aquele de criança, quando depois de uma birra enorme ganha um doce. Me sentia assim depois de tanto lutar e relutar, de frente com a vida. 

Demorou, mas eu consegui. Limpei o quarto, deu até para trocar as cores das paredes. Veja bem, por mais que seja complicado te dizer isso, eu preciso dizer. Eu joguei tudo fora. Não guardei nada, fiz uma faxina completa e se amanhã você precisar de algo, comece de novo, é isso que tenho feito. Olha, não tenha medo. Só te digo isso: não tenha medo.

Eu sei que pela frente você não vai encontrar tanta paciência e tanto carinho assim, afinal a vida tem um jeito estranho de explicar as coisas. Mas não precisa temer, porque amar, ainda que seja difícil, continua sendo o melhor de todos os remédios…

Boa sorte

Pode ir, não quero manter você aqui contra sua vontade. Se você prefere assim, pode ir. Sem reciprocidade nada faz mais sentido. O olho não brilha mais, o encanto se acabou e a magia se perdeu, você está coberto de razão, tem que ir mesmo. Não precisa vir com mil desculpas e aquele papinho de “o problema sou eu” ou “você é a pessoa certa na hora errada”. Já somos adultos e sabemos o que aconteceu: Você não quer mais. Você!
Eu já previa seu discurso, a relação andava fria. Tentei reconquistar, aproximar, reestabelecer conexão, mas fui tudo em vão. Não posso dizer que estou surpresa, mas confesso que a esperança é, mesmo, a última que morre. Eu ainda esperava pela mudança e quis acreditar que era tudo coisa da minha cabeça. A gente sabe a verdade mas prefere fantasiar. Agora é oficial, você vai e eu estou livre. Livre dessa angústia, desse medo, desse aperto no peito. Chega! Acabou. Não vou mais fingir que estamos bem. Estou em cacos faz tempos e agora não vou mais estampar um falso sorriso.
Eu vou sofrer, a ferida aberta hoje vai arder, lágrimas queimarão meu rosto e o arrependimento vai rasgar meu peito. Vou chorar por ter deixado você partir, mas vai passar. Eu me viro, afogo as mágoas em algumas doses e em poucos meses estou recuperada. Talvez seja melhor pra mim.
Fique tranquilo. Não vou pedir para os nossos amigos falarem com você, não vou ligar para sua mãe e muito menos postar indiretas nas redes sociais. Não sou dessas. Vou seguir como fazia antes de você chegar. Porém, agora, com novas lembranças. Boa Sorte.

Tempos depois…

Saudade? Está arrependido e quer voltar?
Esqueça. Já funcionamos juntos, mas isso foi há muito tempo atrás. Eu sofri horrores, passei noites em claro, me senti a pior mulher desse planeta e agora, que estou recuperada, você quer uma nova chance? Não dá. O mundo deu suas voltas e nós fizemos curvas diferentes. Você, com seus desejos efêmeros seguiu sozinho e eu, romântica, fui em busca do meu mundo. E nesse mundo atual não há espaço para você. Não mais.
Nosso fim não abreviou meus sonhos, não ameaçou meus planos, não arruinou meus sorrisos e não encurtou meus passos. Chance foi o que você me deu quando se afastou e me libertou do caos que vivíamos juntos. Quer um conselho?
Siga em frente sem olhar para trás. Foi o que eu fiz para superar você.

Mais uma vez, Boa Sorte.

monika

Brincar de superar

Ela finge ser durona quando o assunto é filme de terror ou na hora de manter uma dieta, porque no fim, no momento do suspense maior do filme ela sempre fecha os olhos . E na gaveta do seu quarto sempre existe uma barrinha de chocolate para aliviar seu estresse do dia a dia. Ah! Se tinha uma coisa que ela não conseguia esconder era a sua felicidade e satisfação. Em consequência adorava brincar: brincar de ser feliz, brincar de inventar finais felizes e se imaginar neles. Mas um dia ela escolheu dar seu coração, para a pessoa errada, pobre menina… Com isso, todo aquele encanto e cumplicidade foram embora! Ela percebeu, então, que algumas brincadeiras podem machucar e quando o escolhido foi o seu coração sentiu que era hora de parar de pega-pega e começar o esconde-esconde.

IMG_6871