Os segundos que me salvam de mim mesma!

O tempo ti-taqueia sem parar, piscou e abriu os olhos ele já acabou, poderia ser uma história, uma música, um grito, um pensamento, mas são os segundos que me jogo sem medo de me estabanar, no chão.

Ele é meu, não é de mais ninguém, a rotina me consome, muitas vezes ela me engole, mas eu estou tão acostumada com a adrenalina que nem ligo pra tudo que se passa desapercebido, é uma mensagem que depois eu respondo, é aquele GIF engraçado que na hora eu nem dou tanta risada. São aquelas intermináveis fotos de bom dia no grupo da família. Um e Moji daqui, um “tô ocupada da li” o baile segue, e se passam horas atrás de horas.

Dias, semanas, meses e anos, e tudo que me resta são 30 segundos, eu sou egoísta e me permiti ter o luxo de gozar desse instante para meu único proveito. A nossa mente não desliga, a minha é hiperativa até mesmo quando estou dormindo, sonho com o trabalho e acordo para realiza-lo, troco meu café pelo almoço, e algumas vezes até esqueço que tenho que jantar. Mas dos meus 30 segundos eu prometi que nunca mais iria abrir mão.

Ali, debaixo do chuveiro, com a água que molha meu corpo e leva a tristeza, as alegrias, a canseira da alma e muitas vezes do meu coração, eu me apoio na parede, fecho meus olhos, e me deixo libertar, e conto até 30, a cada número que sobe em minha contagem é uma dose de vida que sinto ser injetada em meu organismo.

Ali, eu me dou o luxo de ser quem eu quiser, a princesa, a bandida, a pessoa que ama e a pessoa que não quer a casa com uma cerquinha branca, me deixem apenas os cachorros, enfim, durante 30 segundos eu sou minha, apenas minha e de ninguém mais.

Não tem pai, mãe, melhor amiga, namorado ou quem é que seja, os segundos são meus, eu relaxo o meu corpo, eu me permito voar mesmo que meus pés continuem plantados no mesmo lugar. Eu solto o peso dos ombros, e “orever” se o mundo irá desabar, ali não tenho preocupações, não tem dramas, nem saudades, sou eu olhando reflexivamente para o meu “eu” interior.

Não importa de quantas horas será o meu banho, e no que minha cabeça irá pensar enquanto eu estiver ali, se vai me dar vontade de cantar, de sair correndo por que o dia foi um porre e tudo o que eu quero é cama, chocolate quente e Netflix, não importa se eu vou ter a festa mais importante do ano, todos os dias eu me prendo numa bolha de 30 segundos, onde o mundo é meu e eu posso ter e ser quem eu quiser.

Quando eu me recomponho, encaro de novo a realidade, eu saio dali com a força que Davi derrotou Golias, eu me sinto viva, me sinto capaz, e nada, e nem ninguém rouba isso de mim. Não sei como é seu dia, não sei como é sua rotina, não sei qual é a sua rota de fuga, mas acreditem, tirar nem que seja 1 segundo pra você, pode lhe impedir de desmoronar perante todas as outras horas que não irão lhe pertencer.

Anúncios

Preciso voar, para longe de você!

Escute ao som de: “Give me love” do Ed Sheeran.

Algumas vezes colocamos o nosso mundo em segundo plano para poder cuidar do mundo alheio. Quantas vezes não curei as cicatrizes dos outros e deixei as minhas abertas, quantas vezes simplesmente sai correndo, com a alma nua e sedenta, mas cobri você com todo amor que eu tinha e também com toda minha vitalidade, mesmo que isso me jogasse ao pó e diminuísse a minha alegria e a intensidade dos meus dias.

Quantas vez eu fiz tudo o que estava ao meu alcance e até mesmo me desdobrei perante os meus limites, e me quebrei em mil, mas eu supri todas as suas necessidades, e onde é que ficaram as minhas? A mesma arma que atira vira-se em busca de um novo alvo, e quantas vezes eu me taquei em frente para que você não fosse atingido, mesmo que isso levasse todas as minhas últimas poucas forças.

Eu me esforcei tanto para ser aceita no seu mundo, implorei por um lugar na multidão quando nem mesmo as portas eu fui convidada a estar, geralmente eu me espreitava e via alguns flashes, eu me contentei com o relampejo de alguma novidade que tu me me davas, e acreditei que ali eu tinha espaço. Que tola que eu fui! Ali nunca teve lugar para mim, e hoje estou aqui, com todas as peças do quebra-cabeças montados, todas a peças a mostra e me sinto exatamente aquela que não combina com nenhuma outra. Eu não tenho espaço por aqui…

Eu me debulho em lágrimas, justifico suas faltas, tento convencer a mim mesma que é apenas um melodrama sem pipoca caramelizada, eu brigo com minha consciência e repito infinitas vezes: “ELE REALMENTE ME AMA”. Mas o único amor que tem por aqui é aquele que eu dediquei a nós dois. E hoje que minhas forças desfalecem me deixando a beira de um colapso eu me pergunto: Onde é que está você quando eu mais preciso? Está preso na sua bolha impenetrável, se mantém inerte, se afasta, e eu fico em meio ao caos até o momento que você resolve voltar como se nada tivesse acontecido.

Por infinitas vezes eu me permiti a acreditar na ilusão que era tudo coisa da minha cabeça, mas hoje algo falou mais alto do que o amor que eu sinto por você, o que me convidou para acordar foi a dor. Essa dor que dilacera até mesmo as mentes mais brilhantes, hoje reabri todas as minhas cicatrizes, deixei sangrar todo o sentimento, abri os olhos e te vi exatamente como eu deveria ter visto desde o começo, foi necessário me desapegar das lembranças, dos momentos bons, para poder finalmente ver o quanto é irreal toda essa equação.

A dor foi necessária para eu poder vomitar o sentimento, as feridas que sabe lá quando irão fechar novamente serão sempre um lembrete do quanto você é letal, e que minha ingenuidade possa me fazer me apegar a uma única certeza: “Eu preciso seguir em frente”. Se eu desejar o seu amor que eu seja lembrada do porque eu parti, e se você tentar voltar para a minha vida que eu sinta toda a dor que você me causou desde o começo, sem nenhuma misericórdia. Eu te dei todas as chances de me ter em seus dias, eu estava com minhas asas machucadas. Você não me curou, eu estava à beira da janela e você simplesmente não me impediu de pular.

Eu cai, tudo em mim dói, e a mais latente de todas as dores é simplesmente saber que você não se importa, você nunca se importou…

Mais uma das coisas que eu já sabia e preferi ignorar! Me desculpe, mas preciso me reerguer, e se algum dia o seu mundo tiver em ebulição, não venha me procurar, estarei longe reerguendo minhas asas e tentando voltar a voar, e de preferência para bem longe de você.

 

Estou dizendo que te amo, mas confesso que tenho medo de amar!

Não dá mais para esconder, eu tenho segurado as pontas por um longo tempo. Tenho me silenciado por medo do estrago que as minhas palavras poderiam fazer, mas não está dando mais para segurar, o coração está gritando e implorando para lhe dizer. O meu olhar vai me entregar a qualquer momento, e já não sei mais disfarçar que você não me afeta. Porra! Como você me afeta.

Às vezes eu fico tentando entender, qual é o sentido de ter algo tão surreal que vai além da pele, e da combustão de nossos corpos, mas mesmo assim parece ser totalmente impossível? Meu peito chega a latejar, dói demais guardar tudo o que eu tenho vontade de lhe dizer. Fique tranquilo, não estou aqui para te cobrar absolutamente nada, apenas estou para dividir o que à algum tempo carrego no peito.

Não sei exatamente quando aconteceu, mas definitivamente me apaixonei por você. Não, não me venha com essa cara de surpreso, você já sabia, no fundo sei que você sabia. Sabia que meus beijos não eram só casuais, e a química nunca foi só tesão que de nos transbordava. Eu jamais pude explicar o quão ligado a você eu me sentia, e de repente? Olha todo esse sentimento explodindo por dentro.

Eu sei que não iremos mudar o que somos, eu sei que eu e você, somos a variável que não deu certo, mas que culpa tenho eu? Não escolhi ter todo esse sentimento, mas enfim, aqui ele está. Queria poder voltar no tempo e ficar só naquele tal sexo sem compromisso, mas já me peguei fantasiando nós juntos por aí e todo aquele clichê de casal.

Eu sei, eu sei, você está se dizendo, por que eu tinha que estragar tudo né? Sempre nos demos tão bem. Por que eu simplesmente tinha que acrescentar sentimentos em algo que a demanda era apenas a pele? Não tenho as respostas para suas perguntas, e confesso que imaginei várias vertentes para essa conversa. Queria que fosse reciproco, mas também sou grandinha o suficiente para saber que não estamos na mesma sintonia.

Está tudo bem, não se sinta culpado. Eu jamais pedi que acontecesse, e acredite em mim, também estou surpresa, hoje descobri que que por você estou apaixonada. E eu sei que nunca fomos um casal comum, já fomos do esquisito até o quase normal. Curtimos rock, e somos viciados em porcarias, amamos a liberdade, mas nos invadimos pela presença um do outro, você pela prisão dos meus beijos, e eu por aquele seu sorriso sedutor com cara de que sempre quer mais.

Nunca fomos de cobrança, mas não nos largamos, sempre estamos prontos para o próximo porre, para dividirmos as novas experiências, e sonhamos sempre em sair um dia sem hora para voltar, para onde? Isso não é o problema, o que basta é estarmos juntos, mesmo que não dentro de um relacionamento comum e piegas.

E Renato Russo já cantava por aí: “Ele completa ela como o feijão com o arroz’’. Somos aquele tipo de romance que dá gosto de se ver. E em mim você sempre deixa saudades quando se vai. Somos alegres, sem dramas, e sem bagagens, é a roupa do corpo, a velha estrada e os corpos durante mais um luar.

– Você é louca Andréa.
– Completamente louca, mas por você!

Quero ser maior do que as muralhas

A vida é um jogo que é orquestrado pelo destino, a única certeza que podemos ter é sobre a morte, e a única coisa que realmente é nosso são os nossos sonhos, isso se realmente tivermos a gana de lutar por ele, isso se não nos entregarmos aos obstáculos, isso se não sucumbirmos ao medo de que não iremos conseguir. Temos o agora, e em um piscar de olhos ele também vai embora, e novamente somos nós, as incertezas e algumas vontades.

Se você passa por esse conflito interpessoal e o considera maior do que a vontade de sair da cama, se você acha que o fardo está pesado, seu trabalho está um saco, seu vizinho trocou de carro e você mal está conseguindo pagar a escola das crianças, se você é do tipo que foca nos problemas, e vive preso dentro do próprio mundo, eu te convido para conhecer o mundo de outras pessoas.

Aquelas que também eram como você, que tinham os mesmos dramas, hipotecas, reunião de condomínio, futebol e cerveja com os amigos. Mas que por algum motivo totalmente alheio a sua vontade saíram de casa inteiros e voltaram apenas aos pedaços. E não falo apenas do físico, mas principalmente do pessoal, aquele que invade o íntimo e é capaz de nos levar a loucura, convido você para conhecer aquelas pessoas que passaram por algum tipo de acidente e isso mudou as suas vidas radicalmente.

Lucas Lucco em 2015 lançou uma música que possui um dos clipes mais lindos que eu já pude assistir: “ Quando Deus Quer”. A personagem que faz par romântico com o cantor é a Carolina Krieger, que perdeu os movimentos das pernas aos 23 anos ao sofrer um acidente de carro. Carolina é uma jovem linda, que no desabrochar da idade teve o curso de sua vida interrompida, e teve que se readaptar a vida, já que tudo o que ela era acostumada a fazer lhe foi tirado brutalmente naquele dia. Carolina da em depoimento ao vídeo, que não foi fácil, mas que ela escolheu viver, e superar o que lhe tinha acontecido. E disse também “Eu amei fazer parte deste projeto. Foi uma luz na minha vida. Eu acho que não vai ajudar só quem está vendo. Ajudou muito pra mim também. E vai mostrar para o mundo que o deficiente é uma pessoa normal e que tem direito de felicidade igual as outras pessoas. ”

Carolina é apenas um dos exemplos que temos pelo mundo, infelizmente a estatística de acidentes, ou de pessoas que já nascem com algum tipo de deficiência é infinito, mas a diferença entre essas pessoas e quem é completamente saudável não se encontra nas partes que lhes faltam, mas sim na força que essas pessoas encontram para superarem seus medos e a simplicidade que cada um encara o modo de viver, enquanto a maioria de nós nos entregamos e muitas das vezes sem ao menos termos tentado mais uma vez. Enquanto eles têm sede de viver, e buscam encontrar novas formas de recomeçarem e serem úteis, nós nos fechamos em problemas, tristezas e lamúrias e nos tornamos seres tóxicos e passamos a morrer um pouco mais a cada dia.

A Banda Fresno possui uma música a qual eu me inspirei para a construção desse texto, e eu chorei compulsivamente enquanto escutava e assistia o clipe, que retrata a realidade de Ítalo Romano: Skatista profissional que não possui as duas pernas, porem compete com outros atletas sem deficiência física alguma. Paloma Sampaio, nasceu com Deficiências Físicas Congênitas, onde nasceu com Paraplegia: paralisia total ou parcial da metade inferior do corpo, comprometendo as funções das pernas. Porém é recordista brasileira nos 100m peito, classe SB5. Heriberto Alves, que após um acidente de carro, teve as suas duas pernas amputadas, e se tornou Campeão Brasileiro de basquete de cadeiras de rodas, e ele ainda diz: “- O limite está mais na sua cabeça do que no seu corpo”. Temos também o Fernando Fernandes, tricampeão mundial, e Bi-Panamericano de paracanoagem.

A eles não fora perguntado se eles aceitavam tais condições de vida, não tinha uma porta dos fundos, apenas aconteceu, e dali eles tinham dois caminhos, o de posarem de vítima da circunstância, ou o de seguir em frente e serem vencedores. Eles foram vítimas, mas não permaneceram no papel, e optaram por derrubar todas as muralhas e construir uma nova vida, onde no final a única certeza que desejam carregar é a de que viveram intensamente. Eu desejo que por maior que sejam as muralhas que você enfrenta, que decida por derrubá-las, mesmo que seja tijolo a tijolo. E a você, que não possui nenhuma deficiência, convido a assistir esses dois clipes, e lhes deixo uma única pergunta: Quais são os seus problemas mesmo?

https://www.youtube.com/watch?v=eAaNEMJeC7U  (Fresno – Maior Que As Muralhas)

https://www.youtube.com/watch?v=EEaZ_z6MhTQ  (Lucas Lucco- Quando Deus Quer)

Eu desisti do amor!

Amanheço como se fosse carnaval em plena segunda-feira, desejo ir ao cinema com o Gabriel, talvez pegar uma praia com o Flávio e jantar à luz de velas com a Carlos. Gosto da possibilidade de me apaixonar, já provei vários sabores de beijos e tenho na memória os melhores perfumes.

Ao analisar friamente por fora e sem conhecer a minha essência, alguém com um mínimo de bom senso diria: “Que guria fria.”

Mas a realidade é que ninguém experimentou ficar para algo além de uma boa saída, quem sabe se ele tivesse cancelado o táxi e ficado para uma xícara de café, ou que não aceitasse apenas ir ao cinema, mas também se interessasse em ir a partida de futebol ao meu lado com todas aquelas parafernálias de quem fica em uma arquibancada torcendo loucamente, quem sabe ele pudesse ser alguém que poderia vir a ser mais que uma simples ficada.

Muitos me  julgam como uma garota fugaz, mas quem é que quis ir além de uma boa balada? Quem quis saber onde eu morava? Minha comida preferida, ou ir no show da minha banda? Quem quis me conhecer além da aparência? Quem teve vontade de mergulhar nas inconstantes águas do mar do meu coração? Todos decidem desembarcar no primeiro porto, mas nunca continuam a velejar até mais um pôr do sol.

Ao meu ver, eu apenas não encontrei alguém que faça valer apena jogar a âncora, porque quando essa pessoa desafia nossos sentidos não pensamos em mais nada, apenas nos jogamos no mar, mesmo sem sabermos nadar, porque aí que está a graça, entende?

Alguém que nos roube do marasmo do dia a dia, e nos deixe de pele arrepiada, coração pulsante, mãos geladas quando se aproxima do encontro tão desejado, alguém que nos desafie a deixar a nossa zona de conforto para confrontar um não, um talvez, a espera pelo momento de ver a pessoa, a saudades de nem sempre ter por perto, a despedida, a vontade louca do desejo e também a de ser desejada.

Não sou apenas uma guria dessas que tem um que de “cafajeste” como marca maior, sou apenas uma pessoa que não encontrou aquele alguém que me desafie a fazer o que nunca fiz antes, meus olhos não brilham com o comum, minhas pernas não bambeiam por qualquer tipo de beleza, minha insônia não é efeito de um bom beijo, isso são apenas adereços, desejo mais que pele, mais que química, mais que a porra de um tesão, desejo alguém que faça com que o meu coração sinta que vale apena sentir em cada batida que der, ainda não encontrei o extraordinário que me faça desejar algo a mais. Aquele qual irei olhar e vou dizer: – Porra velho, quem é você? Ele vai sorrir e responder: Sou o garoto que fará o seu coração derreter.

O garota de coração de gelo não é tão complexa quanto ela faz transparecer, ela é apenas uma mulher que não vive a espera do amor,  ela não quer qualquer amor, mas sim aquele que faça algo dentro si bater mais forte que o normal, e no final do dia, ela vai sorrir e pensar. – Como valeu apena te conhecer!

Sonhei com você e acordei transbordando de saudades!

A vida tem disso de ser intensamente dolorida em algumas circunstâncias. Mesmo em um momento que é propicio para sorrisos permitimos que as lágrimas venham a se derramar, e quem foi é que disse que todo choro esboça uma tristeza? Pode ser o misto de uma saudade com um amor que sempre irá permanecer intacto no filtro da memória, mesmo que o protagonista aqui não mais se encontre entre nós.

Ao seu lado eu pude sentir toda a tranquilidade de um coração apaixonado, apaixonado pelas lembranças do que poderia ter sido, mas devido as circunstâncias do destino deixou de ser. O joelho ralado que poderia ser curado com um merthiolate ou um simples afago. Uma nota escolar que ao ser mostrada arrancaria sorrisos de satisfação, quantos “e se” abrigam o meu ser? Infinitos eu diria, contigo você levou todas e melhores possibilidades de meu sonho se realizar.

Vivenciamos a experiência mais sublime que alguém pode passar, um momento, uma prece, um acalento pra tantas noites chorosas e de finita alegria. É, eu só queria que o tempo esquecesse de os segundos titaquear. Que juntos permanecêssemos nesse feeling e que do seu abraço mais uma vez eu pudesse desfrutar, quem me dera não fosse só um sonho, e que no café da manhã pudéssemos continuar a conversar.

Para a minha sorte tenho as lembranças e também suas memórias em um caderno rabiscado, e mesmo que a vida continue fielmente com o seu roteiro já traçado, e que eu gostando ou não de qual é que seja o itinerário, uma promessa lhe faço, o legado continua, assim como meu desejo de ser feliz, prometi que trilharia pelo caminho onde os meus sonhos viessem a florescer, recentemente realizei alguns e descobri que mais que sua paixão herdei também todo o seu saber.

Se o coração acelerar e o sorriso insistir em freneticamente se libertar, eu saberei que estou no caminho certo, se o medo me cercar lembrarei da nossa primeira experiência com as rodinhas da bicicleta:

“Alguns tombos são precisos para que finalmente possamos aprender a andar”.

Dos primeiros passos até aqui, alguns eu já colecionei, mas cada vez que do chão eu me levantei foi porque no alicerce do seu amor eu me firmei, e hoje só faço morada onde o meu coração fortemente palpitar, obrigado pai por ter me apresentado a escrita e feito que por ela fielmente eu viesse a me apaixonar, hoje os meus rabiscos são pra ti, marejados de saudades e de um coração loucamente apaixonado, pelas palavras tanto quanto por você!

Aqueles olhos castanhos tem me roubado todo o juízo

Você me assusta! Não existe nada mais que eu tenha pensado desde que nos conhecemos. Seu jeito carinhoso, gentil, brincalhão, sua voz doce e serena.

Chegou todo garoto grande sabendo exatamente o que quer, tu que seguras minhas mãos me trazendo a segurança de um sentimento que ainda tenho medo de experimentar. Eu venho de histórias mal contadas, e hoje o medo se faz presente em muitas de minhas decisões.

Meu jeito espalhafatoso pode ter te assustado um pouco, mas juro que nada foi proposital. Queria me jogar nessa história sem o “E SE”, para atrapalhar, você tão cheio de emoções e eu presa na racionalidade. Tu me enche de mimos e carinhos, que chego a me perguntar de onde pode brotar tanto sentimento assim?

O toque dos seus lábios, a ternura da sua pele e a suas palavras de saudades diárias me fazem continuamente pensar, será que mereço esse amor de novela, este mesmo que a tanto tempo venho a desenhar?

Queria não ter medo do peso do sentimento, e então simplesmente por completa a ti me entregar, estou em uma luta constante, entre o medo e o querer, te pedi um pouco de paciência, para que por ti eu venha realmente me apaixonar.

É maravilhosa a sensação de poder fazer planos nos quais você também irá pertencer, o destino nos apresentou, e da minha parte prometo deixar as coisas finalmente acontecerem, que seja os céus, os ventos ou o universo, mas a questão é que você chegou, tal como um dia eu sonhei, o medo me apavora, mas estou disposta a pagar pra ver, e que se novamente eu tiver que me apaixonar, e a essa história me entregar, então que seja com você!