Ela é minha canção favorita

Acordei pela manhã, exatamente às 5:30, e resolvi pegar meu violão e ir tocá-lo, na varanda de casa. Nossa casa fica de frente para o mar, então o som das ondas me acordou cedo, me convidando para ver o nascer do sol.

Antes de sair da cama olhei para ela do meu lado, imaginei que Deus tenha tomado ela como inspiração na hora de criar todo esse amanhecer, pois ela é tão linda quanto. Linda do jeito que é. Poderia passar a manhã toda olhando-a, apenas para desfrutar dessa paisagem humana, criada para atrair toda a minha atenção. E com todo o cenário visto pela janela, tudo se torna completo. Escolhemos o lugar certo para vivermos juntos.

Ainda estava meio frio lá fora, então vesti minha camisa e fui preparar um chá de hortelã. Ao voltar para o quarto, para pegar o violão, reparei que ela estava acordando, mas ainda com aquela preguiça de sair da cama. Então, resolvi voltar à cozinha para levar as duas xícaras até a varanda. Neste momento o sol mostrava parte de sua face na linha do oceano. Novamente, aquela visão me fez lembrar dela ali deitada. Essa visão me tira dos eixos, tanto que esqueci de voltar para pegar o violão. Então entrei em casa para ir pegá-lo, e ela me esperava sentada segurando-o – somos tão conectados! Costumamos fazer isso em dias especiais: vamos para varanda pela manhã cantar algumas músicas. Hoje o dia é todo dela. Hoje vou oferecer uma música exclusivamente que a descreve.

Sento na escada, toco algumas melodias que faz jus ao cenário. Se há um paraíso depois do fim, espero que este também tenha essa natureza. Se um dia eu tiver a chance de estar diante de Deus, vou perguntar como ele criou tudo isso, e como pude merecer duas maravilhas: meu lugar e minha mulher. Nossa, meu pensamento empaca em sua beleza. Dizem que a beleza mora nos olhos de quem vê, então com certeza ela fez morada nos meus.

Ela passa pela porta e vai direto para o balanço preso na árvore em frente de casa. Ali sentada olhando para mim, vejo que ela realmente completa tudo. Um quadro vivo pintando de forma natural: ela de vestido e cabelos soltos, balançando ao ritmo das minhas melodias. Jorge Vercillo tinha razão, Salvador Dalí não ousou imaginar-te!

Toco a música de Tiago Iorc, Coisa Linda. Incrível, a música descreve cada característica que vejo diariamente.

Ela me pergunta se eu iria com ela, caso ela quisesse se mudar para outro lugar. No exato momento de sua pergunta, veio a reposta em forma de música: “Coisa linda, vou pr’onde você está, não precisa nem chamar.”

Ela é repleta de dúvidas. Mas diz ser feliz assim.

Bochechas avermelhadas de quem dormiu de menos, livros ao chão de quem estudou demais. Mais uma vez, ela perdeu a hora do trabalho, e novamente, colocou a culpa no despertador. Ela deparou-se com uma imensa bagunça em seu quarto e se questionou quando vai ter tempo de arrumar tudo aquilo. 

– Se eu trouxer o Felipe aqui hoje, preciso trancar este quarto urgentemente. 

Ela pensou nesta possibilidade por alguns instantes. 

Dezenas de roupas jogadas para um lado. Milhares de livros abertos para o outro. Centenas de sapatos debaixo da cama e alguns pares perdidos naquela imensa bagunça. 

– Com qual roupa sair?

Pergunta que ela se faz toda manhã, e pode durar cerca de uma hora para que ela mesma responda. Preto ou branco? Salto ou sapatilha? Comportada demais ou atrevida demais? Questionamentos do dia-a-dia de quase toda mulher, vai.

Ela tem uma certa queda por dúvidas bestas do cotidiano feminino. Diz gostar do preto, mas sente-se melhor com o branco. Diz amar saltos altos, mas prefere sapatilhas por conta dos calos irritantes após algumas horas de uso. E como se vestir comportadamente com aquele par de coxas perfeitas que almejam ser grandes quase encostando-se uma a outra?

Quase uma hora de atraso, e suas retinas ainda não decidiram nem a cor da calcinha que vai usar. Seu quarto anda tão bagunçado quanto seu coração, ela costuma dizer. Ela insiste em falar que á procura por algo que ainda não encontrou é extremamente divertida. E quando questionada como ela consegue encontrar qualquer coisa dentro daquela bagunça, ela só sorrir alegremente para o mundo, pois apenas ela sabe – neste teu mundo – onde diabos está cada pequena coisa naquele furacão, que ela insiste em chamar de quarto. 

Provavelmente vai levar uma bronca daquelas de encher os ouvidos do seu chefe. Mas não tem problema, ela diz. Pois agora – neste exato momento – ela encontrou o que quer vestir. 

– Mas que Droga! A Roupa está suja de novo. 

E novamente ela se perde na bagunça que ela mesma criou. Até ela se decidir novamente, ou até encontrar outra roupa que nem planejou ter que usar e perceber que ficou legal, e até combinou com os brincos e as sapatilhas listradas. 

Ela é repleta de dúvidas. Diz ser feliz assim. E não há quem duvide disto. 

Agora ele descobriu que ama…

Vamos falar daquele momento gostoso em que a gente começa a se amar? Ah vamos sim! Porque quando a gente tá lá embaixo, nas rodinhas sempre somos assunto né?! Nego enche a boca pra dizer que tá gorda, que tá isso ou aquilo outro. Mas e agora que tá gostosa, tá linda? Humm, agora tu quer né? Agora tu descobriu o amor, é isso? Eu tenho uma novidade pra você, hoje ela tá gostosa, abençoada por Deus e gata de natureza. E adivinha onde é teu lugar nessa história toda? Sim, no final da fila.

Irônico né? Ver que teu maior desejo hoje, é aquele que ontem você tinha nas mãos. Sim, teu pedacinho de felicidade que deixou escapar. A chance que o amor estava te dando de amar. Mas quem diria eim?! Olha o mundo girando. Hoje ela descobriu um novo mundo. É, ninguém te contou, mas a tua segurança te traiu meu bem.  Eu sei que achou que ela seria sempre sua. Eu sei que pensou que esse amor iria sobreviver a qualquer coisa, afinal ela realmente te amava. Mas sabe o que deu ruim? Você não aprendeu tudo sobre o amor. Porque ele tudo suporta, ele tudo supera e sim, o amor é paciente, só não é tolo!  Coração que abriga o amor não é lona de circo querido, bem como ela não é museu para viver de passado ok?!

Eu sei que não é fácil e te prepara porque vai doer. Vai rolar algumas lágrimas e o coração não vai aceitar ter perdido. Mas a verdade é só uma, você deixou ela caminhar sozinha muito tempo. Você deixou ela seguir e descobrir um lado que ainda não tinha conhecido. No fundo, no fundo, ela só tem a lhe agradecer. Pelo grande pé na bunda que lhe proporcionou conhecer um lado que ainda não conhecia. Esse teu desprezo deu origem a um sentimento único, chamado confiança. A tua distância, abriu espaço para outra cores, outros amores, inclusive o próprio.

Pois é meu irmão, abençoada por Deus e gata por natureza, essa era a tua princesa. Era, porque hoje ela do João, do Pedro, do Henrique, do Carlos e de quantos outros quiser ser. E nem vem culpa-la, o mundo girou e foi você quem pediu para que seguisse lembra? É, ela seguiu e se programou somente para isso. Eu sei que agora quer voltar, mas o final da fila agora é todo seu. Mas aqui entre nós, se quer replay, esquece, é muito areia pra esse teu caminhão. Tá tirando onda? Sim! Tá mudada? Sim, afinal ela descobriu um monte coisas, inclusive como se amar.

Ela só está de boa

Hoje ela deitou a cabeça em seu travesseiro e não pensou. Não chorou. Não imaginou. Não fez planos. Apenas se lembrou de tudo que viveu e sorriu. Lembrou de como foi feliz e de como pode ser ainda. Lembrou das risadas e choros. Lembrou também que não guarda mágoa e isso a fez sorrir novamente.

Ela nunca foi dessas de guardar mágoa, mas dessa vez ela percebeu de verdade que o melhor que ela pode fazer é não guardar mágoa. Perdoar e se perdoar.

Ela não está ligando mais pra quem deixa de ficar. Às vezes dói, é claro, mas guarda dentro de si uma esperança enorme do mundo girar. Ela sabe que o mundo gira, parceiro. Mas enquanto não girar, ela só está de boa. Não quer conhecer ninguém e nem deixar que te conheçam. Está com preguiça de ter pessoas novas em sua vida e acabar novamente sofrendo. Não que isso seja o maior problema dela. Não, não é isso. Ela até se conforma com tudo de ruim que acontece com ela e jamais perde o sorriso incrível que tem. Diz pra todo mundo que está tudo bem, mesmo se por um momento a tristeza bateu na porta. Ela sabe que é só um momento ou uma fase. Que tudo passa e tudo vai passar. Coisas ruins acontecem com todo mundo e coisas boas também.

Ela simplesmente deixou de se preocupar com o amanhã ou o ontem. Ela quer viver o agora. Se ela está afim, ela vai dizer e fazer de tudo pra conseguir. Se não está, diz na lata também.

É que ela só está de boa. Não se preocupa muito com o que vão pensar ou falar dela. Afinal, ela nasceu pra ser feliz e não perfeita. Esse sempre vai ser o lema de vida dela!

Ela quer algo diferente

Ela passou mais de 10 anos da vida dela com alguém que brigava com ela quando ela não podia fazer exatamente o que ele queria. Hoje é isso que ela não quer mais. Hoje ela quer paz e só o lado bom do amor, mesmo que o bom exija distância e uma saudade que só aumenta. Ela não se importa em ter que esperar, se for pra sorrir mais do que sorria, ao invés de chorar depois de tanto brigar.
Ela cansou desse limite imposto de viver até certo ponto. Agora ela quer viver o que nunca imaginou com pessoas que ela sempre quis ter por perto.
Ela rasga a calça se tiver vontade, e não se importa quando uma boca impertinente quer colocar pra baixo o que ela mantém quase sempre pra cima, a autoestima. E pode até mandar ela comprar umas roupas novas, mas já deixo avisado que ela não dá bola pra quem não é “camisa 10”.
Ela cansou da certeza da rotina. A rotina de viver sempre a mesma tristeza radical ou àquela felicidade intensa com a mesma pessoa de sempre todo final de semana. Cansou de ter a certeza de onde vai passar o Natal. Cansou de planejar a semana e ver os planos desabarem tão rápido quanto um castelo de cartas, que cai com um sopro de criança.
Ela não quer inventar a alegria. Só quer se reinventar sem que ele lhe diga o tempo inteiro o que não pode mudar. Quer tempo pra ela, pra família, pras amigas e pro inesperado. Ela não quer perder tempo com alguém que não entende que ela precisa do tempo dela.
E hoje ela não procura por alguém pra colocar a culpa pela sua tristeza, só precisa de alguém pra compartilhar a sua felicidade. Ela é toda dela e não quer mais viver sem ela mesma.

Ela representa com louvor todas as mulheres que cansaram de ser apenas o que os homens querem, e agora ela é o que ela quer. Se a quiserem, será com ela está e é, mas sem a certeza de que será assim pra sempre, porque ela tem todo o direito de mudar. E ela só tem um medo, que é voltar a se limitar. Que é perder toda a sua essência pra poder amar.

Porque eu sei que é amor

Ela é doce igual fruta madura no pé. Claro, quando ela quer. Porque quando não quer, é mais amarga que chocolate 80%.
Eu não quero nada de extraordinário, só minhas mãos perdidas no cabelo dela num cafuné enquanto ela dorme recostada confortável no meu peito.
Eu até gosto dessa instabilidade que ela tem, desse 8 / 80, sabe? Que vai pro trabalho tão linda que atrai todos os olhares e quando chega faz minha camisa de pijama e dorme despretensiosamente. Que acorda e passa o sábado inteiro assim, sem se preocupar com nada, mal sabendo o quanto fica sexy, com o cabelo preso por uma caneta q ela achou na minha mesa e mordendo a ponta do óculos enquanto tenta lembrar de algo.


Aviso o Thi que não vou pro futebol porque apareceu um compromisso urgente! Tá bom que eu já dei essa desculpa mais vezes do que passou A Lagoa Azul na sessão da tarde, mas, cara! É a guria mais teimosa que tá pedindo com os olhinhos brilhando pra eu ficar ali, jogado no cama, num emaranhado de pernas e braços entrelaçados…
Eu sei que a vida é brisa passageira e talvez ela não esteja aqui amanhã quando o sol chegar, mas é com o hoje que eu estou preocupado. O nosso hoje, dia após dia.
São essas nuances e incertezas que me fazem ter certeza que é ela, porque eu sei que é amor…

Ela

Ela é daquelas que acredita em signos, ascendentes, destinos, e nos romances do Nicholas Sparks. Ela é uma imensa confusão dentro de si, gosta de vestidos vermelhos, mas só usa se caso o salto combinar com a cor batom. Ela é uma mistura de peixes com aquário e leão com sagitário. Ela carrega consigo mil mulheres diferentes e alguns homens perdidos em seu peito albergue. Ela adora poesia, mas enche os olhos de lágrimas quando são escritas pra ela.

 

Ela é amor-inteiro, diz odiar coisas pela metade, e não suporta amores meia-boca.

 

Ela é perfeita, mas não faz idéia, ainda. Sabe ela que amores vêm e vão, e nunca em vão. Ela se encanta fácil com simples elogios e com sorrisos sinceros, e se caso você notar que ela cortou o cabelo uns centímetros a menos, ela vai sorrir timidamente. Não é que ela não saiba a importância de reconhecer teus olhares-reparadores, mas não entregará o ouro de bandeja tão facilmente. Ela parece ser difícil, mas se entrega fácil nas madrugadas carentes.

Ela diz ouvir Cícero nos dias tristes, mas sabe como cantarolar Teatro Mágico em dias felizes, também. Ela é um cadinho-pra-quase-um-tanto-ciumenta, diz que quem ama, cuida, mas sabe que tempero demais desanda o prato. Ela não procura o amor por esquinas perdidas, mas vez em quando, se perde pelas ruas torcendo para que o amor a encontre. Feliz de quem o amor faz descoberta, ela costuma dizer em silêncio.

 

Ela tem um quê de tímida-quietinha, mas sabe ser um caos quando o coração pede. Ela equilibra bem os sentimentos, mas sabe como desequilibrar também. Ela é um misto do mapa astral nos dias da famosa Tpm, mas ela insiste em dizer. Se você souber respeitar minhas tempestades-furiosas-sentimentais, será o motivo das minhas primaveras-alegres.

 

Ela é perfeita com seu jeitinho singular – toda mulher é perfeita -, só que ainda não sabe.

Pedro