Vai doer agora, mas se eu ficar vai doer sempre

Eu sei. Vai doer, mas será melhor assim. Você para o lado de lá e eu para o de cá. É que essa situação não está dando mais certo. Nós dois sabemos bem. Esse lance de hoje sim, amanhã talvez e depois de amanhã não, cansa. Maltrata. Dilacera. Essa coisa de te ter agora e daqui a pouco ver você sair por aquela porta cheio de dúvidas e incertezas, acaba comigo.  

E eu cansei de ser destruída dessa forma. Cansei do que não me dá um minuto de descanso. Cansei de pisar em ovos e ficar a mercê de um tempo seu e de todas as suas vontades inconstantes e levianas. Cansei de ser para você um tapa buraco. Passa tempo. Reserva. Ou sei lá como você me enxerga. Talvez você até sinta algo, mas talvez não seja homem o suficiente para assumir seus sentimentos e largar com esse joguinho de desapego e desinteresse. 

Mas talvez você, realmente, não sinta nada e só me use para satisfazer suas vontades carnais e, vez ou outra, receber uns carinhos e atenção que te aliviam a carência. Tudo bem… Mas agora eu quem vou sair por aquela porta sem hora para voltar. Aliás, voltar não faz mais parte dos meus planos. Eu vou com o coração sangrando e rosto lavado de lágrimas, mas vou com a certeza de que se eu continuar aqui, será muito pior.  

Dei um basta nessa situação e espero que você não me procure, mesmo se um arrependimento bater à sua porta. Porque você me teve como nenhum outro, mas agora me fez ter uma coragem de buscar o melhor para mim e permanecer longe de você como nunca tive. Eu mereço alguém que some coisas boas em minha vida e, sem dúvida alguma, você só subtrai tudo de bom que eu tenho a receber. Adeus!

Anúncios

Amor, vem cá!

Amor, vem cá. Senta aqui, deixa eu sentir teu cheiro. Vem cá, encosta n’eu e me faz cafuné. Deixa eu te sentir pertinho, deixa eu (re) lembrar dos motivos que me prendem a você. E me fazem não querer sair do seu lado mais. Porque é aqui, no seu peito, que eu quero estar. É aqui, nas suas mãos, que eu encontro a minha paz. Acho que o universo quis me paparicar e te mandou para minha vida. Acho que Deus precisava afirmar, claramente, o quanto eu sou a menina dos olhos dele e me mandou você. O vento canta, as árvores dançam, as flores sorriem e o sol brilha, como uma explosão de felicidade, cada vez que a gente se beija. E se toca. E se ama. Cada vez que seu olhar encontra o meu, uma explosão de sentimentos acontece aqui dentro, como uma espécie de afirmação que fiz a escolha certa, sabe? E todas as vezes em que fecho os olhos, involuntariamente, eu agradeço por ter te encontrado. Agradeço por, depois de tantos trancos e barrancos, eu ter encontrado a minha paz. Ter acertado. Ter alguém que pegou em minhas mãos, pediu-me para confiar e, desde então, tem me apresentado o lado bom dessa loucura toda que é amar e se entregar.  

A vida não se finda quando o relacionamento acaba

Eu sei que pode ser difícil acreditar agora, mas ainda tem muita coisa pela frente. Sei que seus olhos agora embaçados pelo choro, não conseguem enxergar nada mais além da dor e, talvez, revolta por tudo ter acabado. Mas, ainda assim, a vida continua. Ainda assim ela vai limpar sua visão e te fazer ver que a estrada vai além. Que é preciso seguir. Que não se deve estagnar porque alguém que você jurava ser o amor de sua vida foi embora.  

Vai por mim, você merece ser feliz. E por mais que você lute e relute contra esse fim, existem coisas que a gente não tem mesmo o controle e só nos resta aceitar e ter jogo de cintura para dar a volta por cima. Está tudo bem sofrer por um tempo. Está tudo bem passar domingos e mais domingos atolada em um pote de sorvete e chorando com aquela comédia romântica.  

Está tudo bem ir para a balada no sábado, tomar aquele porre e chorar no colo da amiga (só não pode mexer no WhatsApp). Está tudo bem ficar na fossa. Sério…está tudo bem!
Mas saiba que isso tem -e precisa ter- tempo determinado. Saiba que você precisa ir juntando as forças aos pouquinhos para finalmente sentir a vida lhe soprando bons ventos novamente. 

E aí, meu bem, você pode até tomar altos porres ou chorar de soluçar assistindo filmes românticos, mas não pensará em ninguém. Não sentirá nenhuma dor. A ressaca será somente física e não moral. E você irá finalmente se certificar de que: a vida continua. Mesmo quando você acha que é o fim de tudo. Ela nos ensina a renascer. Ela nos ensina a (te) viver. 

O tempo é mercúrio cromo

Ele sumiu. Foi embora de repente. Sem mais nem menos. Sem maiores explicações. Eu quis entender. Quis fazê-lo perceber que o lugar dele era ali, ao meu lado. Por que diabos ele teimava em dizer que não? Será que não era óbvio que eu era a mulher da sua vida? Olha que loucura a minha, quis até amarrá-lo, acorrentá-lo, se possível fosse, ao meu lado.

Não sei… Eu fiquei dependente, sabe? Não sabia mais o que era “eu”, porque na minha vida, desde que ele surgiu, só existia o “nós”. Não tinha um plano sequer que eu fizesse e ele não estivesse incluso. Não importava se era para o fim de semana ou para a vida inteira.

Quando ele resolveu ir, fiquei assustada. Minha própria companhia me causou terror. Sem ele eu iria me acabar aos poucos. Não encontrava coragem para me olhar no espelho. Fui minha própria inimiga. Lia por aí que amor próprio era tudo que precisávamos. Mas essas coisas são tão lindas na teoria, não é? Na prática é um filme de terror daqueles que nos fazem ter pesadelos durante dias. Estar completamente sozinha foi uma das minhas piores experiências, mas que me trouxe as melhores lições.

O tempo passou e toda aquela história bonita do amor próprio, que eu achava uma tremenda história para boi dormir, tornou-se a coisa mais real em minha vida.

“O tempo é mercúrio cromo”, já diz a letra da canção. E eu aprendi isso na pele. Não sei bem como tudo acontece, mas dói tanto(tanto!), que parece que a vida quer recompensar tamanho sofrimento e produz com o tempo um remédio que ninguém vê, mas sente na pele. De repente passei a me olhar no espelho com mais entusiasmo e coragem. De repente comecei a agradecer pelo fim que me destruiu. Mas só me destruiu para que eu me refizesse ainda melhor. Mais forte. E mais madura. De repente passei a agradecer pela ida de quem não queria mesmo ficar.

Não sinto vergonha. Ou arrependimento. Hoje eu só consigo sentir coragem. Coragem de enfrentar o mundo lá fora. Coragem de ser feliz. Coragem de lutar. Hoje eu percebo que eu sou demais e estar em minha própria companhia é um baita privilégio e depois que a gente entende que se basta, não aceita que ninguém chegue dando um basta em tudo de bom que carregamos.

Cuidado com pessoas tóxicas

Não importa sua crença e/ou religião, não importa se você acredita em energia humana, aura, alma, santo que bate ou santo que não bate (como traz o ditado popular). Nada disso inibe a ação que pessoas tóxicas podem ter na vida de qualquer um. E é preciso ter muito cuidado.

Elas estão por todas as partes e, algumas vezes, não teremos mesmo como evitar o convívio com elas. No entanto, precisamos estar atentos para não deixar que o convívio e o contato ultrapassem as barreiras e nos contamine. São pessoas manipuladoras, egoístas, invejosas, pessimistas, entre muitas outras coisas, que estão o tempo todo emanando negatividade.

Esse tipo de gente parece não sossegar até deixar tudo ao seu redor pesado, assim como se sente por dentro. Estão sempre contando coisas ruins e raramente, ou me arriscaria a dizer nunca, nos respondem um “e aí, tudo bem? ” com “sim, está tudo bem”. Não! Essas pessoas vivem com problemas impossíveis de serem resolvidos, com dificuldades no trabalho, casa, família, relacionamento amoroso, na vida. Nada anda e nada flui para elas. Sendo assim, querem nos ver da mesma forma. Não torcem pela nossa felicidade e, sempre que podem, colocam defeito em algo nosso.

Pare, observe e se cuide. Não podemos fazer muita coisa por essas pessoas, mas podemos fazer por nós. Por isso, é preciso criar formas de defesa. Aprenda a não lhes dar tanta importância, a não ouvir suas negatividades. Afaste-se sempre que puder, mesmo que aos poucos. Tenha cuidado com o que conta sobre sua vida, seja o mais reservado possível. E cuide do seu interior, da sua espiritualidade, de como se sente internamente. Cuide-se! E entregue as pessoas tóxicas nas mãos da vida, dos seres superiores. Não guarde ressentimentos, o fardo de ser tão pesadas e negativas, elas já carregam. Quer coisa pior?

Quando você aprende a reconhecer e a lidar com esse tipo de situação, as coisas tornam-se mais fáceis e você verá como é satisfatório fazer parte do lado de cá, que não se contamina e não perde a essência por coisas ruins que nos cercam. É um trabalho que exige paciência, mas é recompensador. Ser blindado nos possibilita a aproximação com o bem exterior e interior. E isso sim vale a pena. Sempre.

O que quase nunca é dito: nem só de babacas meu caminho é feito

Já vi alguns textos por aí em homenagem aos babacas que cruzaram nosso caminho. Amei e me identifiquei com todos que li. Mas hoje eu resolvi agradecer aos caras legais que passaram pela minha vida. É, pode soar estranho. Ou não. Mas também já conheci homens que valem o meu “muito obrigada”. E não por terem sido idiotas e me ensinado da pior maneira, mas por terem agido como Homens, com H maiúsculo.

Apesar dos encontros que me trouxeram a certeza que de moleques e babacas é melhor manter distância, a vida me apresentou caras que valeram a pena, que me fizeram entender e sentir a delícia de conhecer alguém maduro e que não banca o leviano com os sentimentos alheios. Daí você pode se perguntar: então por que não deu certo? Ou, um pouco mais irritado, você, caro leitor, já deve estar naquele famoso pensamento de que quando o homem presta, a mulher só quer amizade, afinal, preferimos os cafajestes. Que balela! Os motivos para uma relação não ir adiante são inúmeros e nem sempre é preciso que um pise na bola com o outro. Pode ser o momento, a química ou simplesmente o “não rolar” sentimento mesmo. E está tudo bem.

Mas os homens de verdade que eu conheci mostraram que o fato de você não estar na mesma sintonia com alguém, não é sinônimo de ser indiferente ao que a outra pessoa traz e diz sentir. Mostraram que está tudo bem, sim, quando a gente se mostra e externa todas as nossas vontades, sem receios de julgamentos ou condenações. Trataram-me com carinho e não saíram correndo logo em seguida. Deixaram claro o que é respeito e que quando as coisas acontecem na transparência, tudo flui melhor. Sem mágoas, mesmo que dores sejam causadas. Fizeram-me amadurecer de uma forma tranquila, leve e com a certeza de que, mesmo tendo muitos por aí que não valem o nosso batom borrado, têm homens que merecem o meu muito obrigada.

Por isso, gratidão aos caras legais que passaram por minha vida. Gratidão por ter aprendido que ninguém é obrigado (e não vai) a gostar de mim sempre, mas que mereço respeito ainda assim. Por ter conhecido outros sentimentos, sensações e outros tipos de reciprocidades. Por ter entendido que nem todo mundo chega para ficar, mas ao sair, não precisa deixar tudo por aqui devastado por pura maldade ou imaturidade. Por aprender a reconhecer quando um, que realmente valha a pena, chegue querendo ficar. Porque os homens de verdade me ensinaram que nem só de babacas se constitui o mundo. Ainda bem…

Você merece a paz de um coração que suspira de alívio e leveza

Já ouvi dizer por aí que relacionamento bom e com durabilidade prevista é aquele que o casal vive entre tapas e beijos. Mas, ao ler um pouco mais sobre o tipo da relação dita, percebi que tal denominação era apenas um eufemismo para falar das relações que vivem a base de brigas, palavras mal ditas, impaciência e o famoso termina e volta (mais de cinco vezes no mês, se bobear).

Não entendo como alguém pode se sentir bem tendo o coração e alma devastados, pouco a pouco, com esse tipo de situação.

Hoje ele (a) diz que você é um erro na vida dele (a) e amanhã te procura pedindo desculpas e dizendo que te ama?! Na semana seguinte ele (a) se estressa com uma atitude sua e simplesmente te ignora nos próximos dias, até o momento em que ELE (a) achar que deve reaparecer e dizer, mais uma vez, que foi apenas um momento ruim, mas já passou, ao invés de te chamar para conversar e aparar as arestas?!  Ele (a) te xinga e te agride verbalmente porque viu uma mensagem suspeita no seu WhatsApp -ou todas as vezes em que o ciúme o (a) domina- sem sequer abrir espaço para uma conversa franca e que haja explicações?!

Passar mais de uma semana de bem um com o outro é como ter a sensação de estar em um campo minado, pois, basta “pisar em falso” e tudo explode. Como alguém pode viver em paz quando situações como essas fazem parte da rotina, aliás, quando isso tudo vira a própria rotina?

Porque relacionamento tem que ser aquela coisa boa com alguns flashes de momentos ruins, mas que são lidados e superados pelo casal e não aquele coisa ruim com alguns momentos de felicidade. Se isso acontece, algo precisa ser mudado.

Zíbia Gasparetto disse “você está onde se põe”. E é exatamente isso. Não se ponha em qualquer lugar ou situação, aceitando qualquer resquício de amor e atenção que a outra pessoa tem para oferecer e achando que é o suficiente. Você merece a paz de um coração que suspira de alívio e calma e não de angústia e incerteza. Não se engane achando que uma hora tudo vai mudar, dificilmente, quiçá nunca, o que começa errado uma hora dá certo.

Não estou dizendo que o meu certo é o seu e vice-versa. Mas uma coisa eu garanto, sem medo de generalização ou exagero, nada que dilacera nossa alma, estraçalha nosso coração, tira nosso equilíbrio emocional e faz até nos esquecermos quem somos de verdade, não é -e nunca será- a chave que irá abrir a porta da felicidade a dois.