Às vezes só não é pra ser

Lembro como se fosse hoje. Nós dois correndo na beira da praia, cantando, brincando de lutinha na areia e depois correndo no mar para tirar a sujeira. Tu me abraçavas, olhavas meu rosto e o segurava como se o mesmo fosse uma joia a qual tu deverias cuidar. E cuidastes. Tu fizeste de tudo por mim e provou ser alguém maior e melhor do que eu havia imaginado. Veio dos meus sonhos para mostrar que a realidade também pode ser linda, ela apenas precisa saber ser vivida e essa lição eu tive ao teu lado.

Cada separação era um martírio eterno. Na porta da minha casa nós não conseguíamos dar tchau e simplesmente deixar o outro ir sabendo que nos veríamos na manhã seguinte. Era impossível olhar nos teus olhos e não ter vontade de nadar, sentir teu toque e não querer apenas ele a me acariciar, a me tocar. Ficar contigo e não ter a certeza de que nada mais importava desde que estivéssemos juntos.

Contigo tudo sempre foi mais lindo, mais cheio de vida, luz e cor. Ao teu lado o cantar dos pássaros era mais alto e o meu coração batia tão acelerado que às vezes te assustava, mas ao sentir o teu eu me aliviava ao saber que tu estavas sentindo o mesmo que eu, o mesmo frio na barriga que eu e querendo da mesma forma que o tempo parasse para que ficássemos para sempre ali, só nós dois, pelo resto da eternidade.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Mas o tempo não parou e parece que o relógio acelerou. O verão acabou e do dia pra noite tu não estavas mais lá e ao sair para rua não tinha mais o teu suporte para me sustentar. As horas se tornaram vazias e novamente nada fazia sentido. Uma vez lá que outra o meu celular tocava e ao avistar a tela eu via o seu rosto e esse era o melhor momento do meu dia. Mensagem sua chegando e eu corria para responder. Alguns papos legais, falávamos de saudade, pensávamos em nos encontrar, mas no fim aquilo não ia pra frente. Não éramos os mesmos, tu não eras o mesmo e eu definitivamente estava diferente. Nossa conexão se afundou no mar do nosso amor que tão profundo no início, acabou secando e deixando um vazio úmido nos nossos corações, fazendo o desejo queimar, a saudade clamar, mas sem nunca nada realmente rolar.

Onde nós fomos parar? Por mais que ainda te ame e queira te ter ao meu lado, no fundo sei que não daria certo e sinto que hoje posso viver nesse deserto. Nossas mãos não se encaixariam de novo e o abraço talvez não causasse o mesmo impacto. Entramos em esquinas diferentes e então nos perdemos na estrada da vida. Peguei um rumo, tu pegaste outro e se não nos encontrarmos novamente no cruzamento à frente… É, as vezes só não é pra ser.

nathaly-bonato

Anúncios

Carta de adeus

Minha amada,

Não posso ir embora para sempre sem, antes, me despedir de você. Foram tantos anos juntos. Estive sempre tão presente na sua vida que não consigo imaginar como será após minha partida definitiva. Preciso dizer tudo que tenho engasgado aqui, tudo que me fez desistir de você assim, tão radicalmente. Estou abandonando você porque sei que sempre te fiz mal. Muito mal. Minhas intenções eram boas, eu queria te proteger. Te guardar de qualquer mazela ou dor que o mundo pudesse lhe causar. Cuidar de você sempre foi minha prioridade e fui cego ao não perceber que, na verdade, eu te impedia de lutar.

Você, linda, sempre se escondeu atrás dos meus braços e, mesmo aos prantos, sabia que ali estaria acolhida, mas com o tempo as coisas mudaram. Com o passar dos anos você descobriu que eu não era assim, tão imprescindível. Descobriu novas experiências, novos amores, novas sensações e aos poucos foi me afastando de você. Por vezes me revoltei com sua distância e lhe questionei com violência. Você ponderava meus argumentos e súplicas e sempre me deixava voltar, mas logo se afastava novamente. Essa batalha para permanecer no seu coração foi ficando difícil e desgastante.

Você não se importa mais comigo. Eu cansei. Cansei de nadar contra a sua coragem. Já não sou mais tão forte. Você me superou. Não me deixa mais participar das suas decisões, não me permite fazer visitas, não escuta mais meus gritos e menos ainda meus sussurros. Sei que faz de propósito, que quer que eu entenda, de uma vez por todas, que você não me quer mais. Dói, mas é bom saber que você me derrotou depois de tanto apanhar. Eu nunca lhe feri diretamente, mas te impedi de viver o que o universo lhe reservava. Isso lhe fez sangrar. Perdão.

Estou partindo da sua vida depois de partir, tantas vezes, o seu coração. Agora você pode jogar minhas correntes fora, está livre. Pode me apagar, me esquecer e pensar que eu realmente já não existo mais em você. Sei que você ainda vai pensar em mim e se lembrará de tudo que eu lhe disse um dia, mas não deixe que essas lembranças impeçam você de viver plena e ser feliz. Você merece. Me perdoe por toda dor e frustração. Te quero bem, sempre quis.

Agora é hora de ir, não quero mais rivalizar com sua doçura, seja feliz!

Ass: Seu medo

MONIKAJORDAO

Um adeus silencioso

Nunca imaginei que um dia eu poderia ser tão dependente de uma vontade como hoje eu sei sobre as dores que carrego no meu peito. O que já vivemos não se encontra escrito em nenhum desses clichês já citado naqueles poemas que sempre leio antes de dormir. Sempre ouço pessoas falando sobre coisas inacabadas, sentimentos mal resolvidos, mas que então seguiram em frente e a vida aos poucos foi voltando ao normal. O que é normal depois de provar a falta de rotina do nosso dia-a-dia? Como se contentar com a calmaria, se foi em meio aos turbilhões mais tórridos que sempre encontrei a segurança do seu amor? Li em uma revista, dessas que ficam em cima da escrivaninha da sala de espera do dentista, que o tempo costuma por tudo no lugar. Mas se essa teoria fosse de fato verdadeira eu não estaria aqui nesse momento com o estômago embrulhado, me sentindo como um quebra-cabeças ainda desmontado. – Por favor a conta. – Peço gentilmente para o garçom que insiste em mais uma dose me servir. Ao chegar em casa e por fim quando eu já me encontrava no silencio do meu quarto escuro consegui ouvir meus próprios pensamentos, pensamentos esses que gritavam e começavam a implodir pedindo por socorro. Foi quando eu me dei conta que realmente tinha acabado. A nossa despedida foi marcada por um beijo já sem emoção, um se cuida com vontade de deixa eu te cuidar, mas mesmo assim eu te deixo ir. Não eu não olhei para trás nem por um só segundo, e ao pisar dentro de casa eu tive a sensação que era sim a nossa última vez. E ao deitar na cama e relembrar que contigo mais uma vez eu tinha perdido a noção de hora e de espaço e que o cheiro do seu corpo ainda estava na minha pele eu apenas me estraçalhei novamente em lágrimas, e quebrei a promessa de ser uma garota forte. Por mais voltas que minha cabeça dava não conseguia entender o que de fato aconteceu, se é que algo realmente aconteceu, mas tudo estava diferente, não foi o mesmo toque, nem a mesma conversa, e era uma necessidade de ver logo tudo por terminado, veio o boa noite e cada um para o seu lado. Não foi só coisa de pele, por mais que você tentasse me convencer do contrário, era como se dois estranhos tentassem buscar a sacies de seus corpos no mesmo momento. E ao sentir meu peito doer, garganta trancar e olhos arder, ao segurar nossa foto na mão foi quando me toquei que por mais surreal que foi, realmente existiu. Por fração de segundos, dias, semanas, meses, anos, mas existiu. Não foi alucinação. Pensei que poderíamos estar apenas fazendo drama para quando déssemos continuidade ao próximo capitulo houvesse uma dose extra de emoção. Mas quando juntos decidimos que era hora de seguir em frente com a nossas vidas, constatei que já passávamos do final. Eu ainda não descobri se sinto raiva, medo, saudade, amor ou um turbilhão de todas as emoções juntas, parecendo a batida de um milk-shake de morango estilo aquele que você mais gostava. Mas algo dentro de mim sabe que foi real, as circunstancias mudaram nossas decisões, cada um para um lado foi a minha deixa. Se vamos nos reencontrar? Já não tenho certeza, mas eu sei que fizemos aquele momento existir, o trabalho nos consome, e a vida insiste em seguir, vidas opostas, sentimento único, por hora só me resta o teu adeus, mas para sempre terei o seu amor em mim, e você terá o meu.

PS: Aonde quer que você esteja sua marca continuará para sempre em mim. Ainda amo você.

re

Adeus, menina

Oi. Surpresa ao me ver? Sei que deve achar estranho eu reaparecer agora, aqui na sua frente, sem avisar. Mas preciso tirar esse peso de mim e te livrar dessas amarras que não te deixam seguir em frente.
É, eu sempre fiquei calado enquanto você se descabelava e não parava de me procurar, com seus discursos intermináveis. Eu fugia, confesso. Quantas vezes te deixei falando sozinha mesmo?! E você sempre voltava. Mas agora preciso falar, mesmo que doa. Está preparada?
Eu não te amo.
Na verdade, acho que nunca te amei. Você apareceu em um momento em que eu estava apagado, desanimado e trouxe luz. Sim, é verdade. Mas não era amor que eu sentia. Eu gostava de você, gostava da sua companhia, do seu beijo, dos carinhos. Mas não era amor, era carência. Você me ofereceu com tanta vontade, o que eu não tinha… não pude recusar.
A gente se divertiu bastante, quebrou algumas regras, arriscamos nossas cabeças, nos entregamos. Mas não era amor, era fetiche. Quem não se excita ao viver assim? Fizemos planos, falamos de futuro, de encontro de almas. Mas não era amor. Era da boca pra fora, no calor do momento. Eu sempre soube que não ia vingar. E você sonhou demais, pra variar. Que segurança você tinha pra mim? Você não sabe o que quer, nem pra onde vai. Eu já estou nessa vida há tempos.
Calma. Não me odeie por te dizer tudo isso. Eu não disse antes, porque era cômodo tê­-la por perto, confesso. Sempre esperando por mim e se derretendo quando eu dizia que estava com saudades ou que você era única. Mas não era amor. Era ego. E todos esses joguinhos no momento certo, te fisgavam e te faziam ficar.
Sei que errei. Vi você cada vez mais envolvida, apaixonada e completamente vulnerável. Te vi desmoronar com o fim, vi a luz que trouxe, se apagar. Achei até que estava louca. E ainda sim mantive suas esperanças, porque isso me fazia sentir mais forte. Mais poderoso. Desejado.
Desculpa levar tanto tempo para finalmente te dizer tudo que já deveria ter dito. Desculpa por todas essas lágrimas. Desculpa pelo sofrimento. Essa dor eu realmente não queria ter levado a você, mas foi consequência do seu amor doentio. E da ausência do meu retorno.
Espero que agora consiga enxergar que não temos futuro. Era qualquer coisa, mas não era amor. Essa é a verdade que você tanto quis ouvir e eu evitei dizer.
Depois de tudo isso, talvez não acredite, mas você é linda e me inspirou. Siga sua vida. Foi isso que fiz e muita coisa mudou por aqui, sabe?! Faça o mesmo.
Adeus, menina. Agora posso voltar ao silêncio.
IMG_6845