O Menino de Saia

E o menino de saia que gira
Gira
Gira
E ele é tão livre, tão desprendido, tão solto
Quebra as correntes como ninguém
Come ninguém
Mentira, ele come sim
Come e gira
E o menino de saia toca alguns instrumentos
E gosta de pintar o rosto
E vai te mostrar que sabe todas as letras de todas as músicas
Dos Novos Baianos
E ele está brilhando
Cheio de glitter e purpurina
O menino de saia diz que você pode ser quem quiser
Menos quem ele não quer que você seja
Porque você é livre, sim! Mas comigo, do meu lado, onde eu possa ver
Vem cá, minha flor. Vamos fuder?
Chamei algumas amigas, tudo bem? Com homem não consigo, desculpa neném.
O menino de saia olha você gozando e fica com raiva
Enfia a MPB no rabo
Ele pega no seu braço e te aperta
Ele grita com você
Ele joga com você
Ele é abusivo com você
Mas o menino de saia é tão bonitinho
Nada deve parecer impossível de mudar
Só ele mesmo
Porque debaixo da saia
Encontra-se o mesmo menino da camisa polo
E eles se encontram no bar
E comentam sobre quem vão transar
E fuder
E humilhar
E se achar
Mostrar para todos como comem todas elas
E se divertem e se afagam
E voltam para casa
E o menino de saia tem que acordar
Tem Heiki depois do jantar
E uma frase good vibes para postar
E acorda cedo para o projeto social
Cuidar de pobre como se fosse seu animal
Os livros ele finge que lê
À mulher de César basta parecer
E as mulheres do menino de saia seguem caindo em seu encanto
Mas não conseguem entender
Porque seguem infelizes
Porque o menino de saia está a girar
Gira
Gira
Gira
Onde fomos parar?

Anúncios

Sempre em minha mente

A visão do seu rosto faz minha cabeça doer, o som dos seus passos ao redor da cama ainda me amedronta, sei que é seu fantasma que ronda a minha mente, porque você está sempre em minha cabeça, ainda e sempre, pois não estou pronta pra te deixar partir. 

Eu gostaria de engolir todas as minhas decisões ruins ou ao menos ter a capacidade de confrontá-las para que eu me permita viver, mas prolongo os meus dias me arrastando em cantos que ainda cismam em ter o seu cheiro, e que com sorte está tão agarrado à sua presença que ainda consigo ver o teu sorriso e ouvir seus resmungos. 

Eu gostaria de me engasgar com todas as atitudes ruins que tive ou ser capaz de levá-las com honra ao meu túmulo, mas me assusto todas as vezes em que penso que por todas elas, você não está mais aqui, está apenas em minha cabeça… sempre. 

Eu não tenho mais nada seu para me agarrar e suportar a falta que amar você me faz, mas você não sai de dentro de mim, me rasgando… É muito tarde para consertar todos os nossos erros e reverter nossas angústias? É muito tarde para abrir mão de nossos egos e assumir que erramos um com o outro, que sempre fomos estranhos um para o outro e eu não sei porque isso ainda me sufoca… não ter você, me oprime e saber que eu teria a capacidade de te dar o mundo me assusta ainda mais, porque eu me perdi em você e não encontro os trilhos que me tragam de volta a mim. 

Não importa o quanto eu grite seu nome, é apenas em minha cabeça que você responde, apenas nela sou capaz de viver o inverso de sua ida como um novo recomeço, apenas nela você não vai embora e não permite que a tortura de admitir que qualquer outra pessoa terá a capacidade de ser para você o que eu não fui, o que eu não pude, porque por algum motivo eu achei que o seu amor era bonito demais para que eu pudesse sentir, então só me resta sentar aqui e te ver flertar com a felicidade que não fui capaz de te dar e me sentir satisfeita por não ter arrancado de você a capacidade de amar novamente… assim como me sinto agora. 

Você foi tudo o que quis e ainda quero, mas meu medo de sentir e te perder me afastou de você e me alienou de mim mesma, me deixando sozinha com minha dificuldade de dormir com a falta do teu calor no lado esquerdo da cama e seu rosto cruzando meus olhos sempre que eu os fecho, apenas por medo de me machucar, mas agora nada parece consertar o que está danificado aqui dentro… nada apagará as cicatrizes, tanto do medo, quanto do amor e da falta dele, então porque eu não te amei para sempre e com todas as minhas forças, quando e enquanto pude? 

Eu escolho a liberdade

Eu escolho a liberdade.

Estar com alguém nunca é uma decisão fácil, por mais que se goste do outro. Involuntariamente (ou não), vamos deixando de lado possibilidades, romances, flertes, ideias, amizades coloridas e afins, para estarmos com uma única pessoa. E decidir abrir mão disso tudo tem de ser por um bom motivo. Ou melhor, por um motivo extraordinário.

Estar com alguém é doação, intensidade, sentimento de bem-querer, planos para finais de semana, feriados e próximas férias ainda daqui uns meses. É inegável que abrimos mão de algumas coisas. Um sábado a tarde pode deixar de ser aquela praia com os amigos para se tornar dia de brincar de ser tio emprestado de duas crianças pequenas. Um domingo de preguiça na cama até mais tarde, se torna estrada de terra batida para um almoço em família. Não a sua. Aliás, agora a sua família também. E você não reclama. Pelo contrário, sorri. E sorri de forma escancarada! Porque é o que você quer para si. Ter alguém com quem você se sinta tão bem, que te faça assustadoramente feliz. Assustadoramente? Sim! Porque quando você se dá conta, deixa de fazer falta aquela vida de efêmeros e soturnos anseios. Todo o prazer gozado de forma livre, é substituído pelo prazer a dois. Livre. Porque quando você escolhe estar com alguém, não vê sua relação como forma de prisão, pelo contrário, liberta-se. Afinal, compartilhar de sonhos e desejos outrora únicos, passa a ter um peso diferente.

A caminhada se torna mais leve e a gente aprende que é mais gostosa a vida quando se tem com quem contar. Liberdade também é saber ir e vir de mãos dadas com alguém. E é, justamente, essa a liberdade que eu escolho.

Vale a pena arriscar? E se eu me machucar de novo?

As memórias tristes são tantas que suplantam com facilidade toda e qualquer alegria que eu tenha sentido naquele tempo. Com você, eu conheci o amor nas mais variadas faces possíveis.

Fui perdidamente apaixonado, larguei tudo pra te ver, parcelei em trinta vezes aquele presente que fez teus olhos brilharem. E foi lindo. Valeu cada parcela.

Pena que a vida tenha resolvido me cobrar juros tão abusivos.

As coisas mudaram.

Tua presença virou ausência e a solicitude virou solidão.

Eu podia te ver cada vez mais longe, mas tentava me apegar a tudo que me puxava pra perto.

Não adiantava eu chegar mais perto se você continuava se afastando. Minhas pernas cansaram e a distância aumentou.

Quem foge tem mais força nas pernas.

Talvez o medo injete mais adrenalina do que a esperança.

E, nessa corrida, uma a uma, as ilusões foram se mostrando.

Eu te perdi e sofri feito um louco. Pensei em nós todos os dias. Foi uma ofensiva sem piedade do meu eu lírico contra o meu eu da vida real.

Quando acaba o poema, é só a vida real que sobra.

Agora, ela apareceu.

Tão incrível quanto você nos primeiros tempos, só que agora há uma diferença em mim: não consigo mais me entregar como me entreguei antes. Sabe a pulga atrás da orelha? O pé atrás? Parecem ser meus melhores amigos.

Ainda bem que tenho outros melhores amigos que me ajudaram a entender que eu mereço ser feliz de novo. Ou melhor, feliz de verdade.
Me disseram que não adianta eu fugir do sentimento. Não adianta eu fugir da vida. Não escolher já é uma escolha.

Sempre que me pergunto se vale a pena arriscar, sempre que penso que posso me machucar outra vez, meu eu lírico assume a primeira pessoa para ser minha voz de comando.

Sempre vale a pena arriscar de novo pra ser feliz.

Se eu me machucar de novo, eu me curo, igual fiz com você.

Medo mesmo eu tenho que ter de não viver e não saber como terminam histórias que eu não deixo começar.

Me perdoa por um dia ter magoado os teus sentimentos

Mas eu não nasci preparado para qualquer tipo de relacionamento, entende? Não havia nenhum curso preparatório ou testes com afins de aprovação para tal. Então ao longo desta caminhada que tracei comigo mesmo, eu machuquei muita gente ao meu redor. Muita gente mesmo. Não era – nem nunca foi – a minha intenção de fazer isto, eu fui imaturo demais para entender os teus sentimentos verdadeiros de uns tempos atrás. Aprendi muita coisa de lá para cá. Percebi que as mentiras nos matam aos poucos se não reveladas brevemente. Entendi que por mais que doa escutar a verdade, você se fortalece aos poucos mesmo após um forte golpe no peito. Por isto me perdoe se caso eu tiver magoado os teus sentimentos mais bonitos. Talvez naquele instante, eu não tive a coragem de carregá-los comigo.

Estou hoje em uma fase onde enxergo todas as coisas com retinas mais maduras, e com as minhas íris mais calmas e apaixonadas. Quisera eu ter te conhecido quando este amadurecimento me visitou há uns anos a fio, mas sei que o restinho de lembranças que você guardou de mim se foram sem deixar bilhetes ou esperanças. Por isto guarde consigo apenas as coisas boas mesmo de relacionamentos que tenham sido ruins. Mantenha o seu peito sempre perfumado e carregado de aprendizado das pequenas coisas da vida. Pois são estes pequenos instantes que ficam cravados como uma espada em nosso peito, mas ao invés de nos machucar, apenas nos alerta das coisas que não nos farão bem daqui pra frente.

Eu não nasci preparado para nada disto, eu sei, você também não. Mas as mulheres sempre amadureceram com mais facilidade do que nós homens, isto é fato. E hoje, elas nos ensinam tantas coisas bonitas sobre o amor, mas que infelizmente, poucos de nós conseguimos enxergar. Mas enxergaremos um dia, assim espero. Quisera voltar no tempo quando você me disse fitando nos meus olhos; Eu-te-amo, e eu apenas lhe disse; Obrigado. Injustiça minha ter lhe dito algo assim quando você merecia muito mais em tua vida.

Eu esbarrei contigo uns dias atrás na estação do Recife e você me olhou sem ver. Mas por algum motivo, olhou novamente para trás e esbarrou os teus olhos nos meus.

Eu sorri timidamente.

Você também.

Então eu lhe disse de longe com a minha voz baixa:

  • Me desculpa por tudo.

E você me sorriu um sorriso largo mais bonito do que qualquer coisa neste mundo. Então eu soube que você havia me perdoado sem dizer sequer uma palavra. A porta do vagão se fechou assim como aquela ferida que você tinha em teu peito.

E eu fiquei pensando o quanto as mulheres são perfeitas. E talvez no dia em que descobrirem o quão perfeitas elas são, não precisarão mais de nossa companhia.

Dar errado, às vezes, é o primeiro passo para fazer dar certo

A vida é sacana, meu amigo, e nisso precisamos concordar. Ela prega peças em nossos destinos e muitas vezes faz questão de destruir os sonhos que mais almejamos, tentando nos passar alguma lição extremamente dolorida, que no momento não conseguimos enxergar, mas que ao mesmo tempo se faz necessária e mostra que os erros e acertos são mais duas coisas responsáveis pelo amadurecimento de cada um, e precisamos de ambos para o sucesso florir.

O nosso problema é o desespero, achar que o fim do mundo é amanhã e chorar como se as coisas nunca mais fossem ter uma solução. Lidar com algo simples, como se fosse gigante. Dramatizar, muitas vezes sentir demais e colocar a sua vida inteira dentro de um único acontecimento.

Somos movidos pela energia negativa e pesada que o mundo faz questão de depositar sobre nossos ombros, como se um erro te fizesse ser menor do que todos os teus acertos, e apagasse os teus créditos e momentos de glória até ali. Por isso vivemos nessa de que não importa mais quantas coisas deram certo, quantas pessoas eu fiz sorrir, quantas amizades eu cativei ou simplesmente, em quantas provas eu fui bem. Se algo, por menor que seja, sai dos nossos planos, a angústia é de matar e simplesmente não nos damos conta do quanto os erros e as derrotas são importantes para as nossas maiores vitórias.

Eu mesma já passei dias no quarto, trancada, pensando em como a vida era injusta e procurando formas de encontrar o meu lugar nela. Chorei até as minhas lágrimas acabarem e gritei aos quatro ventos o quão desacreditada eu estava. Tive certeza de que era o fim, e que aquele momento acabaria com qualquer esperança de algum dia eu viver o destino dos meus sonhos, o que eu acreditava e jurava querer, mas tudo isso sem saber eu que dali vinha só o início, só o primeiro passo de uma das coisas mais certas e realmente reais de toda a minha vida.

Porque por mais difícil e doloroso que seja, no final tudo se ajeita. Chega um determinado momento da vida em que só nos resta lutar, correr atrás dos nossos sonhos e deixar com o tempo a missão de decidir quando cada coisa deve acontecer. A mesma chuva que cai e molha, é a responsável por regar e fazer tudo florescer. Dentro de um certo tempo e de um determinado contexto, as coisas se encaixam no seu devido lugar e o que ontem era desespero, passa a ser a trilha do teu futuro e a razão pela qual tu voltaste a sonhar.

 

 

 

Soneto #19

Somente aquele que jamais amou
Dirá haver no amor qualquer escolha.
Opção não há, toda certeza lhe dou,
Para que este sentimento se encolha.
Oh não! Uma vez tomado, o coração
Mesmo em teu peito, baterá por ela.
Haverá medo, desespero não,
Quando se entregar à coisa tão bela!
Do meu sentir és a dona, donzela;
Também são teus os versos nesta folha.
À ti minhas palavras, pena e vela,
E este meu amor, que dou a ti sem escolha.
E ainda que escolha fosse, não dever,
Por amar-te eu optaria, e com prazer.