Uma lição olímpica

A seleção feminina de futebol decepcionou? Ou seria a sociedade que a decepciona a mais de anos? Elas perderam, sim, mas lutaram como poucas vezes eu, admiradora do futebol, vi. Elas esgotaram suas forças, mas encontraram energias a mais para continuar correndo. No primeiro jogo, elas conquistaram os brasileiros, desinformados e preconceituosos, com seus belos gols e belos lances, e isso, para elas, talvez tenha sido a melhor coisa das Olimpíadas. Elas conquistaram as crianças desavisadas que não sabiam da existência de uma seleção feminina de futebol, fizeram um menino riscar o nome do Neymar de sua camiseta para escrever Marta. Elas conquistaram e surpreenderam uma nação inteira. Elas só não conquistaram o apoio que realmente precisam. Sim, o apoio financeiro, infelizmente, é somente o que as fazem crescer.

Elas nos decepcionaram? É óbvio que não. Elas nunca nos decepcionaram, pois talvez poucos saibam, mas elas nunca deixaram de chegar ao menos em uma quartas de final de olimpíadas, elas estão entre as melhores seleções há muito tempo. Sim, elas chegaram na semifinal das Olimpíadas de 2016, em seu próprio país, jogando “em casa”. Ou será que podemos mesmo dizer que elas estão jogando em casa? O Brasil é um dos poucos países que simplesmente não oferece NENHUM apoio para a seleção feminina de futebol. A maioria das atletas, as que já são conhecidas, jogam fora do país, para conseguir seguir o sonho. Já as que ainda não conseguiram o reconhecimento permanecem no país, sem muitas escolhas, fazendo com que a CBF opte por fazer da seleção brasileira feminina uma seleção permanente para que, ao menos, elas tenham onde treinar. E aí então, podemos fazer a comparação com a seleção do Canadá e da França, por exemplo, que possuem campeonatos de seleções femininas, onde a maioria dos clubes famosos pelo futebol masculino possuem, também, um time de futebol feminino. E aí, vimos a seleção brasileira, que não encontra esse apoio, chegar entre as 4 melhores seleções do mundo, e você continua a dizer, mesmo assim, que elas nos decepcionaram?

Mas elas simplesmente chutaram essa mágoa para longe e jogaram para alegrar uma torcida. E elas nos alegraram. Elas deixaram de lado todas aquelas pessoas que insistem em falar que “lugar de mulher é na cozinha”, para conquistar os torcedores mirins que clamam por uma equipe com vontade de vencer. E elas tem vontade, muita vontade.

Elas mostraram que um sonho é muito mais importante do que qualquer crítica ou falta de apoio, fizeram um país inteiro engolir a seco o fato de que, sim, elas são melhores do que muitos homens por aí. Elas mostraram a garra e a raça em que não estamos acostumados a ver. Elas não caíram por qualquer pontapé, elas não desrespeitaram juízes por qualquer lance confuso. Elas mostraram determinação, elas mostraram respeito.

Elas não se importaram com o salário baixíssimo que ganham, elas não se importaram com chuteiras estilosas ou cabelos da moda. Elas apenas jogaram com amor à camiseta que estavam vestindo. Sim, amor, amor a um país que virou e vai seguir virando as costas a elas. Amor a uma nação que idolatra o futebol masculino e esquece completamente do feminino. Elas jogaram apenas com o objetivo de mostrar o seu valor. E mostraram.

Elas mostraram que salários caros, mansões e iates não fazem de nenhum jogador o melhor do mundo. Mostraram que a raça, que a vontade de pegar aquela bola perdida é que vão fazer delas grandes jogadoras. Elas mostraram que um sonho é muito mais importante do que qualquer barreira que possa te impedir. Mostraram que nada vai barrar quem nasceu para brilhar. Elas correram, suaram, se machucaram, se esgotaram, choraram e VOARAM. E ainda vão voar muito mais.

Elas nos fizeram enxergar além, enxergar que o mundo machista pelo qual fomos acostumados a ver e a conviver está perturbando e prejudicando sonhos enormes. Nos fizeram ver que, além delas, há outros esportes que não possuem o devido valor que merecem, em nosso país. Nos fizeram aprender que de nada adianta exigirmos uma medalha de ouro do handebol, basquete e outras modalidades, se na verdade vivemos em uma sociedade que não dá o devido apoio a esses atletas. As vimos chorar e nos colocamos no lugar delas, choramos junto. Percebemos na lágrima que caia de seus olhos e nos abraços apertados que elas receberam o quanto difícil deve ser seguir um sonho que, no país onde nasceram, é considerado “impossível”.

Elas nos fizeram entender, de uma vez por todas, que mulher pode, e vai, sim, estar onde quiser. Que o lugar delas é onde elas se sentirem felizes. Elas nos representaram com maestria. Representaram uma nova classe de mulheres, que dá a cara a tapa, que se expõe e que vai atrás do que quer, independente do que venham a pensar.

Elas são o atual exemplo da nação, o exemplo de que o sonho e a vontade são maiores do que qualquer valor financeiro ou qualquer valor que a sociedade machista insiste em impor. Elas mostraram que ainda vão longe, e isso sem o devido apoio. Imagina só o que essas meninas seriam capazes de fazer se tivessem o devido valor no país?

Elas encheram nossos olhos com tamanha determinação e a elas só devemos o seguinte: GRATIDÃO. Gratidão por terem jogado por nós, por terem lutado por nós e por terem esgotado suas forças físicas e mentais por nós. Nós temos orgulho de vocês, orgulho de ter uma seleção feminina tão incrível em nosso país. Esperamos mais apoio, mais valorização. Esperamos vê-las serem sempre mais, desse jeitinho mesmo que encantou a todos nós. Obrigada!

vic

Mensagem de ilusão

Celular tocou… mensagem no WhatsApp. Aquele nome tão temido apareceu nas notificações. Ao ler o nome e o sobrenome minhas pernas bambearam. Era você. De novo você. Por que?

Li a mensagem apressadamente achando que poderia ser algo importante, afinal você nunca mais havia me procurado. Não era. Tudo em volta parou. A conversa não passava de uma bobagem qualquer, como a que temos com alguém que falamos diariamente. Mas nós não nos falamos com frequência, não desde 2011. 6 anos de distância, 6 anos em que evitamos conversar demais.

Percebi, então, que sua conversa não passava de apenas mais um dos seus jogos. Aqueles mesmos que antes eu adorava jogar e sempre acabava ganhando de você, principalmente naquele famoso de aguentar ficar sem sorrir um para o outro. Mas a verdade é que o real motivo daquele jogo inesperado foi descoberto após a conversa se estender. Sim, era ele… o tal do sentimento, aquele mesmo de 6 anos atrás, aflorando novamente.

E eu vou te dizer que não, eu não senti o coração acelerar como em todas as vezes que trocamos mensagens ou olhares. Eu não senti um arrepio percorrer o meu corpo só de lembrar de você e nem senti o peito apertar de saudade ao ver uma foto sua que você fez questão de mandar. Eu não achei o teu sorriso tão lindo como eu achava antes. Não senti as mãos suarem frio e não senti o sorriso invadir o meu rosto ao ver a pressa com que você visualizava as minhas mensagens. Não, eu não senti absolutamente nada.

Droga, você sabe mais do que ninguém, eu minto muito mal.

Eu senti, não deveria, mas senti. Senti tudo como na noite do nosso primeiro beijo. Te senti perto novamente e te quis ainda mais perto. Senti vontade de dizer que te amava antes de você fugir de qualquer conversa mais séria. Senti vontade de voltar, de te abraçar. Senti vontade de sermos novamente um só. Senti vontade de me perder em teus braços, de me encontrar no teu sorriso. Senti vontade de ser tua. Senti vontade de te amar, ao menos só mais uma vez.

É que a verdade é que você ainda tem o mesmo efeito sobre mim, você ainda faz o meu peito ficar tumultuado. Só você é capaz de me fazer ignorar os desejos por outro alguém. Só você é capaz de dominar por completo os meus pensamentos. Só você sabe me acarinhar do jeito que eu gosto, só você sabe ser quem eu preciso. Você ainda tem o mesmo poder sobre mim e talvez esse poder seja só teu, para o resto da vida.

E então um “vou dormir, boa noite” interrompeu uma conversa que talvez daria em algo a mais… nós nunca saberemos. E ali, em meio a um “dorme bem”, as 3h da madrugada, as luzes do celular se apagaram. O mundo real me deu um chute no peito e me nocauteou para um sono profundo.

Foi mais uma noite de ilusão, mais uma conversa sem final. Mais uma vez que nos perdemos antes mesmo de nos reencontrarmos. Mais uma vez que deixamos o amor escorrer pelos nossos dedos.

vic

Hoje eu senti vontade de te ver

Hoje eu quis sentir tua presença, hoje eu quis ver teus olhos. Hoje… eu senti vontade de te ver.

Mas ao contrário do que estou acostumada, eu não senti vontade de somente me perder em teus lábios. Eu senti algo mais forte. Eu senti vontade de me aquietar nos teus braços.

Não senti vontade de te ver para somente dividirmos as gargalhadas de piadas toscas ou os sorrisos de felicidades, hoje eu senti vontade de te fazer um cafuné enquanto você chora de saudades de alguém que já se foi. Hoje eu senti vontade de te proteger do mundo em um abraço, e não de ser a protegida. Não dessa vez.

Hoje eu senti vontade de ao menos estar contigo, te ouvindo suspirar, em silêncio, apenas estando ali por perto. Hoje eu não quis te convidar para tomar um vinho, hoje eu quis te fazer um café quente e tentar acalentar esse teu peito tumultuado.

Por um momento eu não quis ser somente a sua ficante qualquer, que está ali somente para aproveitar os momentos bons. Hoje eu quis ser a tua namorada, aquela que está sempre ali, independentemente de ser um momento bom ou ruim.

Não senti vontade de não te deixar dormir e de fazer o quarto sacudir, eu senti vontade de te ver dormir e te acariciar a barba sem você notar. Hoje eu não quis que você me desejasse, eu quis que você me aceitasse como alguém que apenas quer te fazer bem, quer te ver bem.

Hoje eu quis ser aquela mulher que te faz ter a certeza de que sempre vai ter alguém ao seu lado. Hoje eu quis ser ela, aquela que domina teus pensamentos antes de dormir.

Mas te ver e não poder sermos, mais uma vez, NÓS, dói, machuca, perturba e tira o sono. E isso faz com que tudo perca o real sentido.

Porque não podemos tocar os que tanto queremos? Porque insistimos em gostar de quem pouco se importa com a gente? Porque você, aí, não me abraça forte e tenta esquecer do mundo? Porque não posso ser a que domina teus pensamentos antes de dormir? O que de errado eu fiz?

Vem aqui, deita o teu peito no meu e me deixa ser o teu porto. Ao menos até o final desse filme.

vic

O amigo que nos faça tirar o pé do freio

Todo mundo precisa ter alguém que não siga regras e não se importe com uma gargalhada alta em meio a um lugar silencioso. Todo mundo precisa ter alguém que te abrace apertado em qualquer lugar do mundo e que não tenha vergonha disso. Todo mundo precisa de alguém que te faça gargalhar, mas que também te faça se emocionar. Todo mundo precisa de alguém que desperte em ti os mais diferentes sentimentos.

Todo mundo precisa ter alguém que não vai se importar com a roupa que você está usando, se você está com olheiras fundas ou com os cabelos embaraçados. Todo mundo precisa de alguém que não se importe com a maneira apressada que você come, com suas risadas que parecem um porco ou com suas unhas roídas até a carne.

Todo mundo precisa de alguém que só queira estar contigo, sem regras, sem motivos específicos, apenas a vontade de estar ali. Todo mundo precisa de alguém que veja que você não está bem e apenas fique em silêncio do seu lado, pois não é preciso mais nada.

Todo mundo precisa de alguém que seja sincero o suficiente contigo, que te diga que o menino que você está interessado é horrível ou que as suas ideias para aquele trabalho importante são péssimas. Todo mundo precisa de alguém que seja sua âncora. Todo mundo precisa de alguém que te dê motivos para ficar e que te dê razões para voltar. Todo mundo precisa de alguém que deixe o dia mais colorido, alguém que te puxe de volta do fundo do poço, alguém que te faça rir até mesmo no pior dia.

Todo mundo precisa de alguém que te faça apertar com força o acelerador, alguém que te faça viver na intensidade que a vida pede. Todo mundo precisa de alguém que mostre que a vida é muito mais que um seriado do Netflix, e que um café no meio da tarde para colocar o papo em dia pode valer ouro. Todo mundo precisa de alguém que faça da rotina menos chata, que faça da vida menos pacata. Todo mundo precisa de alguém que te faça viver.

Todo mundo precisa de um amigo que encha seus dias de luz. Todo mundo precisa de um amigo que esteja sempre ali, seja para rir de áudios sem noção do whatsapp ou para te ajudar em uma mudança importante na sua vida. Todo mundo precisa de um amigo fiel. Todo mundo precisa de um amigo-irmão que a vida traz e que, de maneira alguma, nos imaginamos longe. Todo mundo precisa de luz, todo mundo precisa daquele amigo iluminado em sua vida.

vic

Ele completa, ela transborda

Eles se conheceram ao acaso e também se amaram ao acaso. Dois medrosos, cheios de traumas. Cheios de receios e cheios de vontades. Se encontram para se divertir, se encontram para se perder.

Em meio a vinhos frios e beijos quentes eles se entregam.

Ele a quer como nunca quis alguém, mas ainda assim, a acha demais para sua vida mais ou menos. Ela o deseja como poucas vezes desejou alguém, mas ainda teme se entregar por completo. Ele demostra a paixão, ela demostra a vontade. Ele a completa, ela o transborda.

Ele morre de ciúmes dela, ela chama a atenção por onde passa.

Ele quer ser o principal pensamento dela, ela quer ser o motivo dos sorrisos dele. Ele demonstra até demais, ela se entrega até demais. Dois receosos, com seus passados fazendo sombra na felicidade. Dois ansiosos por um futuro bonito que talvez esteja logo ali, na próxima esquina. Ele quer seguir o fluxo do trânsito, ela quer ir na contramão. Ele quer respeitar as sinalizações, ela quer quebrar regras.

Os olhares se procuram na multidão, os lábios se chamam. Os braços se encaixam perfeitamente. As pernas se entrelaçam, e as mãos se procuram. Os desejos se transformam. Os medos desaparecem.

Ali, entre as quatro paredes, eles são inteiros, um ao outro. Ali, o receio não tem vez e a vontade prevalece. Ali eles são completos, eles se completam. E eles não querem sair dali, eles não querem enfrentar a vida lá fora. Pois ali tudo está certo, tudo está estrelado. Ali nada há de atrapalhar. Ali o peito de um é morada do outro e apenas isso basta.

vic

Perdoa meu exagero?

Perdoa meu exagero, perdoa meu excesso. Perdoa minha sinceridade, perdoa minha coragem. Perdoa minha loucura, perdoa minha euforia. Você quer calma, eu só quero te ter em meus braços.

Eu sei, eu exagero. Falo coisas que sinto sem pensar nas consequências, mas é que eu só te quero por perto. Não é pedir muito, né?!

Você tem decisões importantes para tomar, eu só quero te ver feliz. Você não me procura, não parece sentir falta. Eu te procuro em outros corpos, em outros lugares. Não encontro… ainda não. Te procuro nos copos de cerveja e nas festas que não tenho coragem de ir. Você segue sua vida normalmente, e eu só queria ser parte da tua vida também.

Você já não me dá bom dia ou boa noite como era de costume, não me pede para me cuidar. E eu só quero que você me cuide. Eu só quero poder te cuidar. Quero ter a certeza de que você está bem e te pedir que continue a sonhar comigo, pelo menos nos sonhos todos os nossos medos perdem o sentido.

Quero voar, te fazer amar. Quero sentir, te fazer pulsar. Quero gritar, aos quatro cantos do mundo, entre as nossas quatro paredes. Gritar que você está aqui. Gritar que eu não preciso de mais nada. Quero sorrir, te fazer ter motivos para seguir. Quero amar, te fazer confiar.

Deixe o medo de lado, deixe ele pra depois. Eu te prometo, eu não irei te machucar. Deixa ele ficar trancado em uma gaveta escondida dentro do seu peito, você não terá motivos para abrir essa gaveta. Deixe o medo, traga a vontade. Diga que me quer, apesar de tudo, apesar de todos. Por causa de tudo. Diga que vem me ver.

Você parece não se importar, e eu me importo, até demais.

Você não diz nada, eu digo meia dúzia de palavras confusas tentando demonstrar o que eu sinto. Mas a verdade é que não sou boa em lidar com meus próprios sentimentos, ainda não aprendi a me entregar pela metade, a querer pela metade. Sou inteira demais, faço tudo por inteiro.

Eu sei, meu exagero e minha falta de jeito ao lidar com tudo podem te afastar. Mas e meus textos? Eles são capazes de te fazer ficar?

vic

Eu não vou te esperar

A porta ainda está aberta. Você jurou voltar. Já fazem 5 meses e eu ainda a deixo aberta. Curiosos já entraram e ao me ver sentada a te esperar resolveram não mais ficar. Vez ou outra eu dou uma rápida olhada para fora, vejo as árvores e o ar convidativo que sopra, mas ainda não vejo o seu carro chegando apressado e com o som a todo volume. Todos lá fora me pedem para sair e trancar a porta. “Ele não vai voltar”, falam. Eu ignoro e continuo a encarar a arte da espera. Tenho esperança de que você volte, bata e entre sem jeito. Todo envergonhado. Me olhe nos olhos e diga que resolveu deixar o medo de lado, resolveu ficar ao meu lado. Mas você não vem. As horas passam, os dias se arrastam e as semanas terminam e começam outra vez. Você ainda não voltou.

Resolvi, então, fechar a porta. Mas não a tranquei, eu não conseguiria viver com a possibilidade de você voltar e a encontrar trancada. Ela ainda está aberta, não como antes, mas ainda está, basta empurrá-la de leve. Eu estou lá fora, descobrindo as coisas que você tanto me privou de saber. E quer saber, entendo você ter me privado, pois eu nunca mais iria querer voltar ao teu casulo. Estou aqui, vivendo outros amores, tomando outros porres. Porres de cervejas importadas, vodkas baratas. Porres de beijos e abraços. Te vejo perambulando por esse mundo a fora e já não te imagino preso a mim, não me imagino presa a ti. Procuro, inconscientemente, um espelho teu, mas quando acho ao menos um reflexo logo dou um jeito de fugir para longe. É que quero outro espelho, outro amor. Mas o problema é que teu desprezo me deixou com medo. Medo de viver outro amor, medo de me entregar outra vez, medo de me afundar novamente em expectativas frustadas.

A fechadura ainda permanece da mesma maneira de quando você se foi, a chave ainda é a mesma, pode abrir com a sua mesmo. E eu espero você voltar e encontrar tudo bagunçado, como quando você se foi. Você só não vai me encontrar, não mais. Estarei lá fora, vivendo o que você nunca me deixou viver. Amando quem também me ama. Entre, fique a vontade. Tem café no fogão, é só esquentar. Tem aquelas bolachas que tu adora na mesa ao lado do tua coleção de CDs. Se sentir frio, teu moletom velho ainda está no meu armário, te peço perdão se ele estiver com meu perfume, é que por dias ele foi a minha única lembrança de você. Vais sentar onde eu estava sentada? Para me esperar? Sinta-se em casa. Afinal, ela já foi a sua casa também… a nossa casa. Só não espere eu voltar, eu já estou em outras casas, em outros corações.

 vic