Te perdi por não dizer o que realmente importava

Eu nunca te disse que o seu café era amargo demais, não que faltasse açúcar ou porque você colocava muito pó. Mas era o jeito que você fazia ele, sabe? Ainda assim, era a sua marca, o seu café, aquele que eu tomava todas as manhãs e que eu já sentia o aroma invadir o banheiro enquanto eu me arrumava.

Tomar o seu café, mesmo que amargo, era o que deixava o meu dia mais doce, porque era o seu café.

Eu nunca te disse que seu cheiro ficava marcado nos nossos travesseiros e que quando você viajava era ele que me consolava na sua ausência. Eu podia sentir que você estava me abraçando, mesmo que você estivesse há km de distância de mim.

Eu nunca te disse que quando eu via você partir, eu também via o meu coração indo embora, porque era impossível ele ficar junta a mim enquanto você não retornava com um abraço apertado e me acordava com seu café amargo. Você podia demorar dias ou horas, não importa, o tempo da sua ausência, é o tempo que eu ficava incompleta.

Eu nunca te disse para ficar, pois eu pensei que você sabia o que sentia, que você via nos meus olhos o pedido para não me abandonar, para não deixar o meu travesseiro esquecer qual é o seu cheiro e para não deixar o meu paladar esquecer o gosto do seu café, que era amargo. Amargo assim como o dia que você não voltou mais.

Simplesmente partiu, e assim como nas outras vezes levou meu coração junto. Foram dias e até semanas de espera sem sucesso. Onde você estava? Onde o meu coração estava? Eu já não o sentia bater como antes, não sentia que ele estava protegido junto com o seu, pelo contrário, sentia frio, medo e abandono.

Eu nunca te disse nada, eu nunca te pedi nada, eu nunca tive uma atitude que te desse segurança. E por causa disso, você se foi, encontrou em outra pessoa o que eu não pude te dar, encontrou alguém para te dizer o quanto o seu café é amargo, mas também para dizer como o seu cheiro é bom para ficar no travesseiro, na roupa, no corpo. Encontrou alguém para dizer que te ama, algo que eu nunca tive coragem de te dizer.

Eu nunca te disse que te amo, porque eu amei seus detalhes em silêncio. Você nunca soube o que sentia. Se eu pudesse voltar atrás, talvez eu gritaria que amo seu café amargo, enquanto me envolvo em seu pescoço para que se cheiro fique em mim, enquanto digo que te quero comigo para sempre.

Você não precisa viver sempre a procura de algo

Às vezes me sinto perdida, como se não soubesse qual caminho seguir. As vezes sinto que estou esquecendo de algo ou que preciso de alguma coisa, mas ainda não sei o que ou onde conseguir.

Eu não procuro por algo, mas quando encontrar, mesmo que por acaso, espero que seja único, que não seja baseado ou idealizado nas séries e livros que eu li. Eu posso até viver no mundo da imaginação muitas vezes, mas também sei estar no mundo real.

 

É legal ter uma história a se contar, mas muitas vezes a história não termina quando o livro acaba. Então é melhor estar ciente de que não existe nada perfeito, nem a pessoa perfeita.

O que existem são pessoas perfeitas para você naquele momento, e é baseado nisso que eu não faço a minha busca. Você não leu errado, buscar por algo é idealizar e por isso é mais fácil de decepcionar.

 

É muito melhor quando tudo vem de repente, quando proporciona aquele frio na barriga, aquela ansiedade boa de não saber qual será o próximo passo.

Não procurar por algo ou por alguém é se abrir para novas possibilidades é deixar que o mundo te surpreenda, muitas vezes não tão positivamente.

 

É preciso ter desapego? Sim! É preciso muitas vezes tapar os ouvidos para o que as pessoas estão te “aconselhando”, afinal você não pediu a opinião de ninguém. E não se sinta mal por isso. A única opinião que vale é a sua e o único caminho certo para você é o que você escolheu. Mesmo que durante o percurso aconteça alguns imprevistos que vão te magoar, vão fazer você derramar lágrimas por dias e dias.

 

O caminho da não procura não é fácil, na verdade ele é muito difícil. Mas o que renova as forças todos os dias são as possibilidades. A possibilidade de viver experiências, de conhecer novas pessoas, lugares, culturas e o que mais for aparecendo durante o trajeto.

O caminho da não procura é cheio de julgamentos, terá dias que você vai querer desistir, vai se sentir fraco, triste e achar não vale a pena. Mas também haverá dias de extrema felicidade para compensar.

Mas você pode desistir a qualquer momento, não é errado. As suas escolhas são suas e se alguém te julgar a única coisa que ele pode fazer é isso. Já você, você é quem pode tomar as rédeas da sua vida e decidir o que irá fazer ou ser. Só você.

Mesmo se for amor, não precisa ser eterno

Nem tudo é feito para durar. Eu aprendi da maneira mais difícil sobre isso, eu tentei várias vezes fazer dar certo. Eu passei por cima de tanta coisa, eu deixei de lado todo o meu orgulho para ter você comigo. Mas nada adiantou, você partiu do mesmo jeito.

Ainda hoje eu lembro do seu cheiro e tenho quase certeza que não importa quantas vezes eu lavar o meu travesseiro, seu perfume vai permanecer ali para sempre. Eu já tentei trocar as fronhas, comprei travesseiros novos, mas nada adiantou. Você está impregnado na minha casa.

Se eu eu fechar os meus olhos eu vejo você sentado no sofá escolhendo um filme, enquanto eu tento trabalhar um pouco. A imagem é tão real que eu juro que posso te tocar, mas é só abrir meus olhos e ver que você não está lá.

Outro dia encontrei os ingressos daquele show que fomos juntos. Guardei de recordação da cilada que nos metemos naquele dia, mas que terminou da melhor maneira possível. Nós dois, juntos.

Eu já aceitei não ter você aqui mais. Afinal fui eu quem coloquei o ponto final, que achei que estava na hora seguirmos nossas vidas separadas. Mas entre tantas coisas que eu te disse a mais importante você nunca me nunca escutou. Só me dei conta esses dias que eu nunca disse que te amava. E eu te amei e continuo amando.

Mas eu posso continuar te amando e ainda assim não querer ter você perto de mim. Temos que aceitar que nem todos os amores são feitos para durar.

E nós dois tivemos o nosso tempo e o aproveitamos da melhor maneira possível. Apesar de eu achar que nunca vou esquecer o seu beijo, que seu cheiro é o único que meu cérebro consegue lembrar e que eu sinto falta até das nossas discussões bobas.

Apesar de tudo isso eu vou seguindo a minha vida da melhor maneira possível, pois eu sei que um dia eu amei e fui amada.

Eu sinto falta dos seus beijos

Eu sinto falta dos seus beijos. E não são só dos que você me dava na porta de casa enquanto esperava o seu táxi chegar.

Eu sinto falta dos beijos de boa noite que você me mandava por sms antes de dormir. Já que muitas vezes as sua internet não colaborava e você queria ter certeza que eu receberia a mensagem na hora certa.

Eu sinto falta daquele beijo tímido que acontecia no meio da noite quando eu ia me ajeitar no seu abraço. Ou quando você me puxava para mais perto. Parecia que tinha medo de me perder na escuridão do nosso quarto.

Eu sinto falta de tantas coisas, mas principalmente dos beijos calmos. Aqueles vinham devagar no fim do dia, enquanto ficávamos esperando a hora da nossa série favorita.

Mas também sinto falta daqueles beijos demorados e apaixonado. Que você me dava quando nos encontrávamos depois de muitos dias distantes. Parecia que queria matar toda a saudade de uma vez só.

Eu nunca tive um beijo seu preferido. Porque todos os seus beijos eram meus preferidos. Até mesmo aqueles mais simples e que pareciam ser por obrigação, quando eu insistia em te beijar no meio jogo do seu time de futebol. Eu sei que não era “por obrigação”. Mas sei que te irritava um pouquinho essa mania.

Eu conheci todos os seus beijos, e lembro de todos. Do nosso primeiro beijo com gosto de café ao último beijo com gosto de lágrimas.

Todos os que vieram entre eles ainda estão em minha memória e me fazem sentir saudades, não só dos beijos. Mas de quem me beijava.

Eu sinto falta é de você!

Eu não confio mais em que não gosta de café

Olha eu posso estar sendo radical. Afinal de contas já falam que eu escolho demais. Que eu coloco barreiras e defeitos demais. E agora eu venho com  mais essa?!

Mas é verdade!..

Eu não confio mais em que não gosta de café.

Eu juro que eu já tentei, uma, duas, várias vezes. Afinal, eu tomo tanto café que posso muito bem tomar por mim e por mais quantas pessoas forem necessário.  Mas vai além disso. Gostar ou não de café, hoje em dia para mim tem outro significado.

Eu não tomo leite sabe? Faz quase 20 anos que eu não tomo leite e toda oportunidade que eu tenho eu conto isso. Não, eu não tenho intolerância à lactose ou qualquer outro tipo de coisa. Eu tomo até Yakult, mas leite não! Mas é tão comum as pessoas não tomarem leite, que nem todo mundo se assusta quando eu digo isso. Se assustam mais pelo tempo que tem desde que parei, e pela minha aversão ser tanta que eu não lavo nem copos se tiver sujo de leite. Porque até o cheiro me enjoa. (traumas).

Mas com o café é diferente. Todas as pessoas que conheci que não gostavam de café, não eram boas pessoas. De verdade, elas no começam pareciam ser legais, pareciam que eram diferentes. Algumas até topavam em ir à cafés comigo. Mas no fim das contas era sempre a mesma coisa.

Uma amiga sempre me fala que se eu quero finais diferentes, preciso agir diferente. Então resolvi que a primeira grande mudança vai ser cortar pessoas que não gostam de café. Afinal já pensou que chato passar boa parte da sua vida com alguém que não gosta daquilo que você mais gosta? ( isso vale para amigos e amores).

Então a partir de hoje eu não confio mais em que não gosta de café. E vai além disso. Eu quero conhecer pessoas que amem café. Que amem tanto quanto eu. Que tomar uma garrafa em poucos minutos seja algo normal. (mesmo que as consequências da gastrite também sejam reais).

Quero me cercar de pessoas que tomem café por prazer, e não para ficarem acordadas para cumprir prazos. Quero conhecer pessoas que topem sair para tomar café ou cerveja, não importa a hora do dia, para nenhum dos dois.

Pois eu sei que as pessoas que gostam de café, essas são pessoas que em se pode confiar, de verdade!

Moça do olhar triste, não fique assim

Não posso te dizer que vai ficar tudo bem, que logo vai passar, pois não sei o que aflige o seu coração.
Mas posso te dizer que um dia, pode ser que demore (até demais). Mas um dia vai doer menos.
Moça do olhar triste, pode até não cicatrizar. Mas as suas alegrias deixarão essa dor ser menor do que uma picada de formiga. O que a gente sabe que é pouco, afinal sempre usam isso para comparar a dor de uma vacina, as vezes até de uma tatuagem.
Moça do olhar triste suas lágrimas não estão caindo, mas eu sei que estão quase. Deixe-as cair. Deixe a sua dor transparecer.
Se permita chorar e até gritar um pouco, ou muito, se você se sentir melhor assim.
Moça do olhar triste. Eu posso até não saber o motivo da sua dor, mas eu sinto ela. Sinto todos os dias que te vejo. Queria poder te ajudar, te dar um abraço para acalmar o que tanto lhe incomoda.
O problema não é seu olhar, eu gosto dele, acho misterioso e faz parte de quem você é. O problema não é a tristeza, já que nessa vida é comum que a gente se sinta como numa montanha russa, de felicidade de tristeza.
Moça do olhar triste, eu já vi o seu olhar de alegria. O seu brilho próprio que contagiava todos à sua volta. Você continua contagiando, continua dando força para aqueles que precisam e para aqueles que pedem a sua ajuda. Você continua, por fora, demonstrando alegria, demonstrando que está tudo bem.
Mas eu, eu sei que não está. Porque eu vejo nos seus olhos uma tristeza inexplicável. Uma dor que não se sabe o motivo, ou que talvez você não queira aceitar o motivo.
Você esconde tão bem dos outros o que realmente sente, o que realmente está passando. Quem te ver por aí, não imagina as batalhas internas que você vem lutando todos os dias. Os sacrifícios que está fazendo para se manter de pé, para estar aqui pelos outros, como sempre foi. Você tenta se afastar, de tudo e de todos. Mas não consegue por muito tempo, já que isso faz parte da sua essência. Estar mais pelos outros do que para si mesma.
Moça do olhar triste, só eu enxergo como seu olhar mudou. Pois só eu que te vejo todos os dias pelo espelho, da hora que acordo até a hora que vou dormir.
Moça do olhar triste que eu me tornei. Hoje sinto que somos duas, mas eu sei que isso vai passar e voltaremos a ser apenas a moça, de olhares que mudam como o dia. Mas que sempre voltam a sorrir. E um dia eu voltarei.

Desabafo

Cansei.

De me enganar e esconder tudo o que eu sinto. De fingir que não estou nem aí,mas no fundo me preocupar, até mais do que deveria.

Cansei de ter que estar sempre bem, aparentar ser forte  feliz. Quando no fundo sou tão frágil quanto o vidro, que a qualquer golpe mais forte se despedaça.

Cansei de olhar de longe. De nunca estar presente. De viver me escondendo nas sombras dos meus desejos. De disfarçar as vontades, e ignorar que elas existem, que estão mais presentes do que nunca, que são parte do que sou e eu não preciso esconder isso de ninguém.

Cansei de perder as coisas que gosto. Os lugares. As pessoas, principalmente as pessoas, que deixo partir tão facilmente.

Cansei de ter medo de falar o que eu sinto. De ser taxada. De ser rejeitada. De ser ignorada. Ou até mesmo de ser correspondida.

Cansei de ser várias em uma. De tentar ser. De ser. Cansei de quem fui, e até de quem serei.

Cansei de muitas coisas, mas acima de tudo cansei de tentar mudar, e sempre acabar do mesmo jeito. Sempre.

No final o que resta, são dúvidas e bagunças que chegam ao um ponto em que não se sabe mais qual é a solução, e somente o que resta é o cansaço.

Cansaço do corpo e da alma!

Não confunda as minhas intenções

Por mais que eu possa ter demonstrando querer algo a mais, eu gostaria de deixar claro que só te peço amizade. Sim, somente amizade. Pode parecer clichê, pode parecer mentira, mas dessa vez é verdade. Independente do que aconteceu com a gente, independe dos beijos, carinhos, abraços. Independente do nosso começo que parecia que nos levaria a outro final. Independente das dependências que temos. Independente de tudo.

Conversar com você sobre qualquer coisa, qualquer hora do dia é um dos motivos que me faz ter um sorriso tímido ao fim de um dia de cansativo e cheio de imprevistos. Mas não é porque eu gosto de conversar com você, gosto de ouvir sobre o seu dia, seus planos, te dar opiniões ouvir seus conselhos, não é por causa disso que eu esteja querendo um romance com você.

Sabe aquela frase popular “sou legal, não estou te dando bola?” então ela é perfeita para o nosso momento, será que posso chamar de nosso? Não sei, talvez seja apenas o meu momento, pois por mais amigável que você seja mais indecifrável você se tornou, e se tem uma coisa que eu odeio é não conseguir decifrar as coisas, talvez seja por isso que você me atrai tanto. Ops, disse atrair, por favor, não confunda, podemos nos sentir atraídos por várias pessoas sem necessariamente ter desejos sexuais, carnais, fantasiados.

Existem bilhões de pessoas no mundo e não é só com você que sou assim, então não confunda as minhas intenções e não me deixe falando sozinha. Vamos trocar conselhos de madrugada, vamos apostar quem bebe mais tequila, vamos indo para ver até onde a vida nos leva.

Duas xícaras de café – Uma crônica sobre o amor

Todas as manhãs de sábado ele ia ao mesmo café e sempre pedia duas xícaras de café puro para a atendente. Ela lhe perguntava se era para esperar ele terminar uma e depois trazer a outra, mas ele sempre dizia que não, era para trazer as duas xícaras juntas.

Ele tinha certeza que de ela ficava curiosa em saber porque mesmo pedindo dois copos, tomava apenas um.

Claro que a atendente já tinha pensando mil coisas, que ele sempre marcava encontros do tinder e levava um bolo, que ele fazia parte de alguma seita que tinha o café como oferenda, ideias é o não faltavam na cabeça dela, mas ela tinha vergonha de perguntar diretamente o porque de duas xícaras de café e parecer que estava sendo indelicada demais.

E assim foi por um tempo, mesmo nos dias chuvosos em que as pessoas querem ficar mais tempo na cama aos fins de semana, ele estava lá, quase que pontualmente às 10 da manhã.

Lily, a atendente, trabalhava apenas há alguns meses ali, seu sonho era se tornar uma barista, mas como ainda não tinha experiência, o mais perto que conseguiu chegar foi de atendente daquele café chic. Durante os dias ela via todos os tipos de pessoas, mães com seus filhos, casais apaixonados, casais que escolheram aquele lugar para terminar seu relacionamento, ela perdeu a conta de quantas relações ela viu começar e acabar naquele mesmo banco onde o rapaz das duas xícaras de café sentava todos os sábado.

Ela estava cada vez mais curiosa em saber porque um rapaz tão bonito e que parecia ser alguém legal sempre estava sozinho naquele café, afinal ele nunca foi acompanhado.

Mais um tempo se passou e agora ela já sabia seu nome, Marcelo, porém ainda não sabia o motivo dele pedir sempre um xícara extra que ficava ali para jogar fora depois.

Até que um sábado ela disse a si mesma que iria ter coragem de falar com ele, deu 10 horas e ele não apareceu, 10:30h, 11h, meio dia. Ele nunca se atrasou tanto e o café fecharia pontualmente as 14 horas, que era a hora que ela podia treinar suas habilidade de barista com ela mesmo, pois todos os outros funcionários saiam correndo ao fim do expediente para aproveita o resto do seu sábado.

quando deu 13:45 seu coração disparou, Marcelo entrou no café, com o rosto um pouco abatido, ela viu que ele carregava um pequeno embrulho debaixo dos braços. Logo lhe perguntou se ele queria o de sempre, ele disse que sim.

Assim que chegou com o pedido ela foi direta e lhe perguntou o porque dele sempre pedir duas xícaras e tomar apenas o café de uma delas. A resposta não poderia lhe surpreender mais.

  • A outra xícara é para você!

Marcelo morava ao lado do café que Lily trabalha e no dia que ela chegou procurando emprego ele estava la, e desde então se encantou com o jeito perseverante dela e também por eles compartilharem a mesma paixão, o Café.

Desde então ele sempre ia no seu dia folga ao café na esperança de que ela lhe perguntasse porque ele pediu duas xícaras de café, se estava sozinho, porém ela nunca perguntou até então.

Ele contou ainda que descobriu que ela ficava até depois do expediente para fazer novas receitas de café, então que iria mudar a sua abordagem para tentar se aproximar dela, por isso nesse dia ele foi ao café mais tarde.

Lily ouviu tudo sem ter reação, pois nunca imaginou que alguém como Marcelo se interessaria por ela. Mas resolveu ver no que poderia dar e o convidou para experimentar algumas de suas receitas ao fim do expediente.

Assim, duas xícaras de café, se tornaram várias, depois alguns copos de cerveja. Lily e Marcelo podem estar juntos até hoje, como podem não estar, mas o mais importante é que eles tentaram. Tentar nunca será algo em vão, mesmo que seja apenas tomar um café!

Talvez o destino esteja nos dando uma segunda chance

Hoje eu acordei pensando em você e tudo o que passamos e até mesmo imaginei o que poderíamos ter passado juntos. Parecia que o nosso “quase nós” havia sido em uma outra vida.

Vida essa que eu me lembro tão pouco, mas que sei bem lá no fundo que existiu.

Me lembro tão bem do seu sorriso tímido, da sua voz baixa, da sua fala um pouco embolada, que eu particularmente achava que era seu maior charme.

Era tão fácil conversar com você, fazer você participar da minha vida, te contar meus planos, ouvir os seus, saber como foi seu dia e se eu poderia contribuir para que eles fossem melhores, dias após dia.

E assim foi por algum tempo, você já era parte da minha rotina, que eu nem ficava com aquele frio na barriga na expectativa de uma mensagem sua e se ela iria me fazer sorrir, isso porque ela sempre chegava e o resultado era sempre o mesmo, um sorriso tão grande que nem eu sabia que existia dentro de mim.

Mas o tempo foi passando, os compromissos e prioridades foram mudando, você mudou, eu mudei, mudamos e nos afastamos.

É tão engraçado, para não dizer triste, como que temos a facilidade de afastar aquilo que nos faz bem tão rapidamente. E assim foi, o que era frequente começou se tornou raro até não existir mais.

E justo hoje eu me lembrei de você, lembrei que era fácil estar com você, lembrei que com você eu não me importaria de passar noites em claro apenas jogando conversa fora e tentando de te convencer de que Game Of Thrones é a melhor série da atualidade.

Se você acreditasse em destino, diria que tudo que acontece já estava programado há muito tempo. Que as coisas não deram certo naquela época simplesmente porque não era o nosso momento.

Mas como eu acredito no destino, e se ele está te colocando de novo no meu caminho, o jeito é me arriscar e ver onde isso irá me levar.

Talvez o destino esteja nos dando uma segunda chance, aquela em que vamos tirar a prova se podemos dar certo ou se sempre será um erro. Aquela para pararmos de pensar nos “e se” e vermos como o que é, o que foi e o que será.

De qualquer maneira, havendo um nós ou um eu e você (separado, na frase e na vida), o que importa é que sempre irá valer a pena arriscar.