Estou bem melhor sem você

Semana passada fui naquele bar com temática mexicana que sempre quis ir e não podia porquê tu não gostavas de ritmo latino e odiava pratos apimentados. Comi uma guacamole dos deuses e sorri por ter demorado tanto tempo pra ter vindo, somente por causa de ti.

Reencontrei alguns amigos no final do mês passado e foi energético receber o abraço de tanto tempo guardado. Recordei que me afastei deles pouco tempo depois de termos começado a namorar. E fazendo uma reflexão rápida, me relacionar contigo me fez afastar de tantas pessoas queridas que se me desse conta antes, eu já teria partido de você à muito mais tempo.

Quinta passada fiquei a noite toda vendo filme na netflix e comendo brigadeiro com morango, e nunca me senti tão bem só. E olhe que quinta era o nosso dia dos filmes, e eu sempre via o que tu escolhia e meus gostos e indicações nunca eram aceitos. Eu assisti Frozen, que tu achava muito infantil e vi Anabelle que achava que era uma bosta, e eu peguei um amor enorme pelo Olaf e morri de medo debaixo das cobertas quando a boneca se mexia. Me senti a Elsa, me libertando de tudo e todos, principalmente de você, e cantei let it go no mais alto volume que a minha tevê era capaz de suportar.

Ontem mesmo comprei a passagem para aquela viagem que sempre quis fazer e você nunca me apoiou, parto na próxima segunda e estou radiante de alegria. Ficarei três semana comigo e somente comigo, e nem fiquei triste por tu não estar. Pra falar a verdade tu nunca estiveste presente na minha vida, a verdade é que eu estava sempre presente na tua e ausente na minha. Sempre eram seus gostos, suas escolhas, seus filmes, seus restaurantes e pratos favoritos, nunca era nada meu, nunca era nada pra mim. E que bom que acordei e mudei e hoje sou e vivo pra mim.

Hoje eu posso sair de noite e ir comer na pizzaria da esquina. Posso ir comer sushi, porque não tem mais ninguém do meu lado dizendo que não gosta de peixe cru, posso vestir a roupa que eu quiser sem tem alguém querendo controlar o tamanho, cor e estilo. Hoje, na verdade, eu estou bem melhor sem você.

Espero que estejas bem

Espero que estejas bem“, foi o que me mandastes  depois de mais de dois meses de ter me trocado por aquela amiga sua do trabalho, que toda vez que eu questionava, você dizia que era somente sua “colega da empresa“.

Hoje eu te digo que estou bem, mas que foi bastante difícil juntar meus cacos e me tornar inteira novamente, que foi um choque ver teus lábios beijando outra boca e foi extremamente dolorido ver suas fotos com ela no instagram.

Vi que depois de duas semanas, apagaste tuas fotos com ela e caíste na farra, e seu perfil ficou cheio de fotos com amigos e bebidas. E teus sorrisos não mentiam mais. Cada vez ficavam menos convincentes e mais forçados. Depois apareceu uma ruiva, que não era a sua ‘colega de trabalho’, e ela permaneceu no teu perfil por exato uma semana e meia, depois, assim como a outra, as fotos dela contigo desapareceram. E o teu ciclo era sempre o mesmo: amigos, bebidas e amores rasos.

Sábado, soube que você perguntou por mim pro nosso amigo Paulo, mas não me procurou por orgulho. E que bom que o teu orgulho permaneceu mais alto que tua culpa. Foi bom saber que teu caráter se equipara à uma simples, pequena e fedida bosta de cachorro.

Jogaste pelo ralo da pia, junto com minhas lágrimas, três anos de cumplicidade, diversão, divisão e planos. Planos de um futuro que se apagou, que nem as fotos dos teus casos rasos no instagram.

Mas hoje, além de dizer que estou bem, queria te pedir obrigada por me tornar a pessoa forte que sou hoje, que, sinceramente, seria incapaz de estar com um cara fraco como você.

Por favor, não pergunta mais de mim por aí, porque sempre acabo sabendo, e se, por acaso, pensar em me procurar, lembra do babaca que você foi comigo e dá um passo pra trás. Fica bem! Adeus!

Já faz 6 meses que a gente se foi

E já faz seis meses. Nem parece que tem tanto tempo assim. Nem parece que já faz esse tempo todo que cê se foi, que eu me fui, que nós deixamos de existir.

Queria entender os motivos dos finais não tão felizes, como foi o nosso. Que dolorido foi nos primeiros dias, primeiras semanas, mas estamos aqui, hoje, de pé. Não mais juntos, mas de pé. Nem sei pra quem foi mais fácil, ou melhor, menos difícil, se reerguer primeiro. Não que seja uma competição, longe disso. Na verdade, nem sei se conseguimos nos reerguer e nem sei se estamos de pé de verdade ou se apenas estamos escorando em algo para não cairmos de vez.

Seis meses se passaram e parece que foi ontem que tivemos nossa última briga e cada um seguiu pra um lado, seguiu em frente, porquê era o único caminho que tínhamos que seguir. E eu sei que doeu. Doeu, porquê ainda existia amor. Doeu porquê o orgulho foi maior que a gente e nos engoliu por inteiro. Doeu porquê a gente podia estar juntinho de novo e tá cada um pra um lado, esperando, ao acaso outro vim pra fazer par. Esperando alguém que seja tão especial como cada um de nós fomos para cada um de nós. Mas é difícil encontrar alguém igual a gente para se relacionar, é difícil, porque ainda tem amor, mas também, ainda tem orgulho. E nenhum dos dois tá disposto a admitir que errou, que ainda ama, que quer de volta mais do que tudo nessa vida. Nessa vida que está tão complicada pra gente, pro nosso amor.

Hoje fazem seis meses que estamos matando aos poucos a coisa mais linda que já possuímos: nosso amor. Ele está sendo metralhado, pisoteado, espancado a cada ignorada que damos um pro outro e aos seis meses de silêncio que nos calaram.

Que o nosso amor sobreviva, que ele se salve, porquê eu tô morrendo a cada segundo, minuto, tempo que passa. E eu sei, que mesmo mergulhado em orgulho, tu também está.

Não te quero de volta

Eu, de vez em quando, lembro de você. lembro como você costumava passar sua mão, a noite, no meu rosto, pra eu dormir mais leve, e olha, eu dormia. Semana passada mesmo, fui no supermercado e peguei seu iogurte diet sem querer, só no caixa que vi que você não estava mais. Eu lembro de você como se você estivesse, mas você não está, e olha, não te quero de volta.

Ontem, enquanto assistia a TV, passou aquele filme de terror que você adora, eu me assustei nas mesmas partes que sempre me assustava enquanto você ainda estava, mas dessa vez, o edredom foi meu refúgio, e não mais os teus braços e abraços.

Segunda-feira, fui naquele restaurante mexicano que costumávamos ir, e acabei lembrando daquela vez que fomos, e não percebi que a tortilla estava apimentada e você foi correndo pedir água, porquê eu já tinha mudado de cor e nem falar mais eu conseguia. Segunda, eu só pedi um pozole e nem precisou você lembrar ao garçom  que eu tinha pavor de pimenta, ele já sabia e me conhecia de tanto irmos lá. Segunda ele perguntou por você, mas eu não soube o que responder e falei que você estava viajando e que ia demorar a voltar.

Hoje, enquanto mexia e revia algumas fotos no celular, encontrei aquela nossa foto que tiramos na nossa viagem para Porto de Galinhas, lembrei do exato momento em que chegamos nos hotel, e lá, somente lá, você se lembrou que não passou protetor solar e ficamos o resto das viagem em lugares sem sol, porquê você parecia um camarão, e se protegia com hidratante, pra não arder mais.

Foram tantos momentos. Tantas situações. Tantos olhares e sorrisos e gestos e falas. Foram tanto tempo que você faz parte de mim, sabe.

Eu te lembro muito durante todo o meu dia, mas tenho a convicção de que foi bem melhor estarmos separados. E eu não te quero mais. Não te quero de volta. Eu estou feliz. Feliz por lembrar desses momentos sem sentir saudades, apenas recordando como belas lembranças.

Ainda te lembro muito, mas não te quero de volta.

Querido, ex-amor

Querido ex-amor, eu nem sei se devia, mas te escrevo isso somente pra te dizer que estou bem. Demorou muito pra eu chegar nesse estado, mas estou bem.

Hoje eu posso sorrir e seguir em frente, mas fiquei semanas lembrando de você e chorando pelos cantos, como criança que perde algo que gosta muito. Eu não era uma criança, mas eu tinha perdido alguém que gostava muito. Você.

Não foi fácil, nas eu também meio que não colaborei, eu fazia questão de lembrar de tu todos os dias, mesmo sabendo que nem de mim tu querias mais saber. Eu comprei um perfume igual ao teu, só pra sentir teu cheiro todo dia. E quando mais sentia, mas lembrava e mais queria lembrar.

As três primeiras semanas foram as piores, eu pensei que ia morrer, e confesso que morri um pouquinho a cada dia que não tinha mais mensagem sua de bom dia e quando tudo em comum começou a desaparecer.

Eu ainda via te acompanhava pelo Instagram, pelo menos até você me bloquear e me deixar sem saber de mais nada da tua vida. Eu senti tanta raiva nesse dia que jurei que te apagaria de tudo, mas aí, eu vi nossas fotos naquela viagem pra Pipa, vi a tua foto naquele mural do maior cajueiro do mundo, e fiquei tão feliz.

Fiquei feliz por termos passado tantos momentos bons juntos, por termos aproveitado tantas coisas ao longo do tempo que durou nossa relação. Eu deixei de sentir ódio, e passei a ter gratidão por você ter passado pela minha vida. Claro que algumas coisas eu queria que não tivesse acontecido, como nossas brigas ultimamente constantes e o nosso término tão brutal. Talvez isso faça sentido em algum momento, não agora, minha cabeça ainda tá tentando digerir tudo, por mais que já faça três meses que já se fostes, mas pra mim parece muito pouco diante de tudo que vivemos.

Apesar de tudo que você me disse e de tudo que te disse também, eu me sinto leve em poder te falar tudo isso, mesmo que em escrito, mas mesmo assim, feliz, por estar chegando ao teu alcance, próximo de você.

ontem, a Manu perguntou se eu voltaria pra você caso houvesse essa possibilidade. Eu fiquei pensando. Há um mês atrás eu voltaria correndo pros teus braços sem nem pensar, hoje, eu estou tão feliz só, que estar com alguém, mesmo sendo você, seria muito injusto comigo. Eu fico feliz que as coisas tenham tomado o rumo que tomaram, por mais que tenha doído, que tenha machucado, mas isso me fez mais forte e me fez perceber que faltava muita coisa de mim pra mim, e hoje, eu meio que estou conseguindo perceber e me dar tudo que eu jamais tive e que ninguém poderia me dar, além de mim e mais do que eu mesmo. Te desejo amor. Próprio. Pro outro. Pra vida. Pra seguir. E te desejo coragem. Pra viver. Pra amar de novo. Pra seguir em frente, porque eu já segui.