O toque dos nossos corpos bomba mais do que qualquer hit

Quero tocar as tuas estrias, celulites, rugas e contigo sentir as nossas afinidades. Quero teus beijos tão nossos, teus abraços apertados, e o teu cheiro suado junto aos nossos troços. Quero sentir a tua pele como a água da chuva que te invade por lugares onde jamais alguém sonhou estar. Quero a naturalidade dos teus olhos encarando os meus tentando adivinhar a conversar por trás de cada olhar apaixonado. Quero poder sentir a suavidade do teu corpo visitando o meu, então mostraremos ao mundo que o amor é um ato revolucionário.

Pode vir com vergonha. Eu expulso ela. Pode vir com medo ou receio. Eu os expulso dos teus pensamentos. Pode vir com roupa. Eu a expulso do teu corpo. Quero saber com o que você costuma sonhar e quero fazer parte dos teus sonhos também. Desejo povoar teus pensamentos com nossas histórias loucas sobre o amor. Eu poderia escrever um livro sobre teus olhos, mas meu português é errado, não sei a diferença dos quatro “porquês”, meu jeito não é o correto e teus pais não vão muito com a minha cara. Mas não importa, eles não sabem o que se passa dentro de nós dois. Eles não conseguem sentir o impacto que nossas almas causam quando nos aproximamos um do outro, mas eu não os culpo por isto. O toque dos nossos corpos bomba mais do que qualquer hit pois você é o refrão que costumo cantar repetidamente.

Meu signo é o teu sorriso com ascendente nos teus beijos.  Meu quadro favorito é o teu rosto pintado por minhas retinas nas tardes de Agosto. Esse teu jeito de mineira faz com o meu pobre coração qualquer brincadeira. Esse teu olhar de carioca me deixa apaixonado a qualquer hora. Mas apenas esse teu sorriso de pernambucana me faz querer construir um trono de ouro só para te ouvir dizer baixinho;  vem aqui e me ama. Só costumo escrever quando estou apaixonado, mas eu não sou um escritor, sou só um garoto bobo meio-muito apaixonado. Rabisco apenas sobre o teu corpo imperfeito e tua alma perfumada, quem espera poesia se ilude, aqui são só folhas de uma página rabiscada.

Meu amor era grande demais para ser carregado em um só corpo, por isso juntei meu sentimento ao teu, e hoje já não existe mais eu.

Somos fugitivos; como dois comparsas que roubam sorrisos e andam soltos por aí.

Procurados por furtar nossos próprios corações.

Juntos pelo toque dos nossos corpos.

Ligados pelo impacto de nossas almas.

Destinado por um amor sem tempo, sem data, ou escala.

P.S

Eu te amo

Por favor, não desista do amor por minha causa

Acabou.
Me desculpa, mas eu queria ter lhe falado isto já faz alguns meses. Não pense que foi fácil pra mim ter que lhe dizer isto, porque foi uma das escolhas mais árduas que eu tive que fazer. Se foi fácil? “Fácil é acabar com alguém que te traiu ou te magoou de alguma forma, difícil é acabar com alguém que beirava a perfeição comigo”.

Aprendi diversas coisas com teu jeito carinhoso de ser, com as tuas palavras-calmantes de ouvir. Mas eu me via presa a teu encanto enquanto meu coração tanto gritava por liberdade. Não me entenda mal, você sempre me deixou livre para ir aonde eu quisesse ir, mas minha alma insistia em visitar outros universos mundo afora, conhecer novas pessoas, e algumas outras línguas. “Eu não era senhora na minha própria casa”, entende?

Desculpa, eu não queria ter que mentir pra você, seria muito injusto da minha parte, mas eu não podia continuar mentindo pra mim mesma. A verdade é que meu coração já não batia mais tão rápido quando você aproximava-se de mim.

Teus carinhos me arranhavam, teus beijos já não tinham mais o mesmo gosto de amora, e quando eu deitava a minha cabeça em teu colo, eu não me sentia mais em casa. E como foi difícil ter que dizer estas palavras em teus ouvidos, ou pior, para teu doce coração que tanto cuidou de mim.

Tenho me sentido a pior pessoa do mundo, mas a minha consciência gritava que teu peito carinhoso merecia a verdade, e apenas a verdade é capaz de mover o mundo. Gostaria que tivesse terminado de alguma outra maneira, quisera ter lhe poupado de tanta dor que causei com meus sentimentos duvidosos.

Desculpa por tudo, esta é a única coisa que consigo dizer para acalmar teu coração, mesmo sabendo no fundo que não fará diferença.

Por favor, não desista do amor por minha causa. Há tantas garotas legais por aí afora sem ter ideia do cara maravilhoso e raro que você é.

Há tantas pessoas precisando desse teu jeito carinhoso de ser com tudo e com todos. Não mude esta tua maneira linda e perfumada de mostrar a todos que existe sim, um motivo para acreditar no amor verdadeiro.

Sei que não estou em posição alguma de lhe pedir qualquer coisa, mas eu lhe imploro, seja você mesmo. Pois eu nunca irei me esquecer do que você me falou quando eu lhe questionei qual era o segredo da tua conquista. E você me respondeu sorrindo; Seja você mesmo. Esta é a melhor cantada de todas.

Me desculpa.

Com carinho hoje e sempre.

De alguém que lhe amou muito.

Só diga “eu te amo” quando estiver certo disto

Teus duzentos e seis ossos balançarão só de ver a pessoa amada de longe. Teus batimentos cardíacos mudarão de ritmo feito escola de samba quando teu – ou tua – amada(o) aproximar-se do teu corpo. Existirá um beijo só pela troca de olhares antes mesmo dos lábios se visitarem. Tuas mãos ficarão trêmulas, tuas palavras sairão de ordem, um calafrio macio envolverá teu peito, mas não se assuste, não é problema “de” coração ao algo assim, é apenas uma resposta do teu corpo ao receber uma mensagem dos teus olhos com imagens poéticas apaixonadas. 

Só diga eu te amo quando estiver certo disto, eu lhe imploro. Não tenha medo de gritar este sentimentos pelos quatro cantos do mundo, mas só o diga, “quando sentir uma urgência perfumada dentro do teu peito esquerdo.” Quando não conseguir mas conter este mar de belezas infinitas dentro do teu pequeno corpo. Quando sentir o pulsar da tua alma implorando por querer invadir outra. Seja fiel ao que sente, e ao que irá dizer a outros ouvidos. Tenha consciência de que não é justo despertar o sentimento de alguém sem ter a intenção de amar. 

Tantas vezes eu quis ter dito eu te amo, mas dentre todas elas, meus duzentos e seis ossos não balançaram, meu coração não bateu tão rápido ou sequer sentir uma urgência perfumada na minha alma. 

Eu não estava pronto.

Era só mera coceira no peito. 

Entende onde quero chegar?

Se a alma é da mulher, ela faz o que quiser

Moça, primeiramente,
me deixa falar com este rapaz, e prometo que volto a conversar com teus lóbulos atentos.

Meu rapaz, você tem que entender que a alma feminina nasceu livre de qualquer prisão que ouse tentar aprisionar suas vontades e seus desejos. Alma feminina é um objeto em constante liberdade, muda quando quer e quando não quer também. Quando uma mulher insiste em estampar um sorriso no rosto em meio a vida como quem grita; Eu-sou-livre!!!, não há criatura no mundo que consiga dissuadir este riso. Entenda que toda mulher tem alma poética e selvagem, você precisa respeitar o seu caos, para quem sabe, um dia, torna-se o seu cais. Seu porto seguro.

A alma feminina deseja liberdade em qualquer situação, e nem tente mostrar ou ensinar a maldade que se passa na mente de outros rapazes, pois as mulheres sabem de suas intenções apenas pela primeira palavra dita em um diálogo. Mulheres querem e desejam sentir a liberdade da alma mesmo que seja em um relacionamento. E quem foi o idiota que disse que não se pode ser livre em um relacionamento? Afinal, se você encontra-se trancafiado ou preso a alguém, não está nem perto de um relacionamento.

Entenda que a mulher que anda junto as tuas vontades é feita de vontades também. Uma alma que almeja a todo momento ser livre, e não suporta prisões amorosas, quem dirá, gaiolas na sua vida.

Moça?
Ainda está aí?

Me deixa te contar umas coisas sobre a tua alma perfumada. Ela é livre! Saiba disto. Então seja essa liberdade que grita dentro do teu peito 24 horas por dia. Se o corpo é teu mulher, faça dele o que você quiser. Quer mudar o corte do cabelo de acordo com as fases da lua, mude. Quer marcar teu corpo com inúmeras poesias, vai lá e rabisca a tua pele. Quer provar de outros desejos que o mundo lhe oferece lá fora, vai lá e prova menina. Quer mudar o mundo com tuas atitudes e teus sonhos, mude. Você é essa constante mudança que ocorre dentro de tua alma que insiste em gritar; EU SOU LIVRE!!!

A liberdade é inteiramente tua e de mais ninguém, e olha que já mencionei esta palavra – liberdade – milhões de vezes por aqui. Põe o teu batom vermelho-marcante e veste-se de ousadia frente a tua vida. Calça a coragem que carregas no teu peito e não se esqueça de perfumar a tua alma de – olha ela aí de novo – LIBERDADE. Conheça a menina que anda presa em teu interior e grita por soberania. Ame-se acima de qualquer coisa, e assim você se sentirá mais segura, conhecendo-se a si mesma antes de conhecer o gigante universo lá fora.

Seja a mulher que sonhou em ser e não deixe que ninguém lhe impeça disto. Apaixone-se todos os dias pela mulher que batalhou para ser e lembre-se que você não nasceu mulher, mas agora, neste exato momento,(olha o pleonasmo aí.) tornou-se uma.

O corpo é teu menina.
TE LIBERTA.
TE BANHA DE SOBERANIA.
Liberdade.
Tu és livre.

E eu soube por aí que a tua alma deseja tirar umas férias.

A gente quer dizer tanto, mas acaba ficando calado

Eu acho que já amei alguém ou me apaixonei, sei lá. Só sei que meu coração batia mais rápido quando ele se aproximava de mim e eu nunca soube explicar isto, entende? Eu apenas sentia, sempre achei que as explicações científicas tiravam toda a graça das coisas. Se foi amor? Acho que foi mais para; “Como-eu-não-havia-reparado-naquele-sorriso-bobo-antes?” Eu nunca soube se ele sentia o mesmo, também nunca o questionei. A primeira vez que a gente se cruzou foi no ônibus e, cê sabe, aquela troca de olhares e sorrisos tímidos já diziam tudo. Um sorriso de canto de boca dali, umas bochechas envergonhas daqui, resultado, dois corações apaixonados.

Eu não cheguei a perguntar o seu nome, mas eu sabia que aquele sorriso tinha sido entregue para mim. Dizem por aí que os amores platônicos são os que mais nos conquistam, porém, os mais difíceis de acontecer. Pensando bem, acho que deveria ter perguntado o seu nome, ou pelo menos ter comentado algo sobre o trânsito, sei lá. Mas não sei por qual motivo, eu não o fiz. Talvez eu estivesse distraída demais construindo um futuro utópico ao lado de alguém que estava apenas a uns metros na minha frente e dentre todos aqueles pensamentos, acabei me sentindo mais segura nas minhas fantasias bobas do que na possibilidade de encarar a realidade.

Romeu e Julieta?

Como assim?

Não era possível que ele estivesse lendo o meu livro favorito. Outra chance para eu ir até lá falar com ele.

Mas o que eu digo?

Alguém me ajuda?

Qual desculpa eu vou dar?

“Este-lado-do-ônibus-é-o-lado-da-sombra?”

“Sabia-que-este-é-o-meu-livro-favorito?”

E eu dizia para mim mesma; Fala alguma coisa sua idiota.

Ele sorria enquanto lia. Não dava para explicar o quão mágico era aquilo tudo. Certo dia minha avó me contou um segredo em meus anos mais jovens. Ela disse baixinho em meus ouvidos:

  • Cê tá vendo o vovô sentado lendo aquele livro ali? Talvez você não vá entender o significado disto minha filha, mas quando você ver um homem lendo um romance, seja qual for, case-se imediatamente.

E hoje eu me questiono: Quantos homens na rua você consegue ver lendo um romance?

Vovó tinha razão.

Eu queria ter observado mais aqueles olhos claros, queria ter ouvido aquela voz que eu tenho certeza que namoraria meus ouvidos nos primeiros instantes em que o som escapasse daquela boca. Queria ter dito a ele que Romeu e Julieta era meu romance favorito, e que a gente já poderia se casar segundo a minha avó, e olha que ela tem uns 60 anos de casada.

Eu poderia ter dito tantas coisas.

Mas não disse sequer uma palavra.

E eu sussurrava baixinho;

Fica.

Enquanto ele descia do ônibus.

A gente quer dizer tanta coisa – e por algum motivo, – acabamos ficando calados.

A gente quer dizer tanto, mas acaba ficando calado

Eu acho que já amei alguém ou me apaixonei, sei lá. Só sei que meu coração batia mais rápido quando ele se aproximava de mim. E eu nunca soube explicar isto, sabe. Eu apenas sentia, sempre achei que as explicações científicas tiravam toda a graça das coisas. Se era amor? Acho que foi mais para “como-eu-não-havia-reparado-naquele-sorriso-bobo-antes?” Eu nunca soube se ele sentia o mesmo, também nunca o questionei. A primeira vez que a gente se cruzou foi no ônibus e, cê sabe, aquela troca de olhares e sorrisos tímidos já diziam tudo. Um sorriso de canto de boca dali, uns bochechas envergonhas daqui, e pronto, dois corações apaixonados.

Eu não cheguei a perguntar o seu nome, mas eu sabia que aquele sorriso tinha sido entregue para mim. Dizem por aí que os amores platônicos são os que mais nos conquistam, porém, os mais difíceis de acontecer. Pensando bem, acho que deveria ter perguntado o seu nome, ou pelo menos, ter comentado algo sobre o trânsito, sei lá. Mas não sei por qual motivo, eu não o fiz. Talvez eu estivesse distraída demais construindo um futuro utópico ao lado de alguém que estava apenas a uns metros na minha frente. Eu me sentir mais segura nas minhas fantasias bobas do que na possibilidade de encarar a realidade.

Romeu e Julieta?

Como assim?

Não era possível que ele estivesse lendo o meu livro favorito. Outra deixa para eu ir até lá falar com ele.

Mas o que eu digo?

Alguém me ajuda?

Qual desculpa eu vou dar?

“Este-lado-do-ônibus-é-o-lado-da-sombra?”

“Sabia-que-este-é-o-meu-livro-favorito?

Fala alguma coisa sua idiota.

E ele sorria enquanto lia. Não dava para explicar o quão mágico era aquilo tudo. Certo dia minha vó me contou um segredo em meus anos mais jovens. Ela disse em meus ouvidos bem baixinho:

  • Cê tá vendo o vovô lendo aquele livro ali? Talvez você não vá entender o significado disto minha filha, mas quando você ver um homem lendo um romance, seja qual for, case-se imediatamente.

E hoje eu me questiono: Quantos homens na rua você consegue ver lendo um romance?

Vovó tinha razão.

Eu queria ter observado mais aqueles olhos claros, queria ter ouvido aquela voz que tenho certeza que namoraria meus ouvidos no primeiro instante em que o som que escapasse daquela boca. Queria ter dito a ele que Romeu e Julieta era meu romance favorito, e que a gente já poderia se casar segundo a minha avó, e olha que ela tem uns 60 anos de casada.

Eu poderia ter dito tantas coisas.

Mas não disse sequer uma palavra.

E eu sussurrava baixinho,

Fica.

Enquanto ele descia do ônibus.

A gente quer dizer tanto mas – por algum motivo – acabamos ficando calados.

Tantas mulheres-poemas em um mundo de tantos homens analfabetos

Ela tem arte marcada no corpo. Carrega em si umas cicatrizes de falsos amores e algumas tatuagens de futuras promessas. Arte por dentro e por fora. Ela tem um sorriso firme e frágil e sabe muito bem o momento certo de usar cada um. Possui umas retinas marrons que parecem fotografar tudo que ela contempla com seus olhos miúdos. Ela tem uma nuca que pede beijos e uns ombros macios que querem um peito para se aconchegar, ela deseja esquecer umas dores. Quanta poesia no corpo daquela pequena. Quantos traços para ser tocados. Quantos poemas marcados em sua pele. Quantas histórias carregadas em sua alma.

À noite, quando o frio costuma visitar sua pele lhe causando arrepios, ela costuma se perguntar; Onde estão os moços com sorrisos largos? Onde estão os rapazes com a verdade na alma e sentimentos sinceros no coração?
E costuma passar horas encarando o teto do quarto questionando-se o que pode ter de errado com ela.

Mal sabe ela que não há nada de errado, alguns homens que não tiveram coragem de carregar tanto sentimento bonito dentro do peito. Alguns e tantos outros homens que só aprendem a arte da conquista, mas não sabem a poesia de manter quem se ama por perto.

A alma dela é perfumada com o mais belo perfume dos jardins botânicos, ela possui um sorriso capaz de desarmar o BOPE inteiro, e uma verdade no coração que só os verdadeiros sabem interpretar só de olhar no fundo de suas retinas escuras. Uma perfeita mulher-poema em um mundo de tantos homens analfabetos.
Uma pena.

Volta e meia a vida continua fotografando seus passos e revelando novas pinturas poéticas apenas para aqueles que conseguem ver beleza nas coisas mais banais. Ela continua apaixonada pela mulher que batalhou para ser. Pois ela não nasceu mulher, tornou-se uma. Carregando umas feridas aqui e outras ali, ela escreveu poemas dentro da alma. Marcada por riscos na pele, ela rabiscou poesias no corpo. Ela é uma arte que apenas alguns conseguem perceber a pragmática de toda sua semântica. Uma mulher que nunca desacreditou no amor por contas de alguns rapazes passageiros. Uma pequena com um sentimento gigantesco dentro de si. Ela vai continuar sua caminhada pelo mundo afora e passará por algumas esquinas alegres e outras tristes, mas sempre com um sorriso no rosto. “Se é falsete ou não, ninguém sabe. No final, toda mulher sorrir de qualquer forma.”

P.S.

Eu lhe imploro,
namore alguém que leia.