O olhar que você me negou

Leia ao som de Não Me Olhe Assim – Capital Inicial

Olha, eu sei que é difícil para todo mundo. Ter que superar e passar por essas coisas que ninguém quer, mas todos passam. Coração partido, decepções, histórias que não foram como a gente imaginou que poderiam ter sido.

Mas tenho uma teoria de que quando algo é superado, você para de temer aquilo. Se você ainda tem medo, se você não tem coragem de encarar de frente alguma coisa é simplesmente porque não superou aquilo.

Eu tenho sentimentos ambíguos sobre a nossa história. Pois ao mesmo tempo que sei que o mais correto, maduro e humano para se fazer – já que seguimos caminhos distintos – é cada um ir para o seu lado, sem ficar remoendo nada, quero também que nossa história fique viva de alguma maneira.

Durante muito tempo me entristeceu ver que você seguiu em frente muito bem. Tocou a sua vida, manteve as amizades que eu falhei em manter, conservou os traços da sua história comigo que eu não pude. Porém no fundo, algo sempre me disse que talvez você ainda me amasse.

“Eu faço tudo por ti”. Jamais vou me esquecer de quando me disse esta frase.

E “eu te amo”. Quem sabe disso você nunca lembre, pois eu não cheguei a nem dizer. Mas sim, é verdade.

Superou? Bom, parecia que você havia mesmo superado. Eis que a vida nos reserva um novo encontro. Então nós, frente a frente. E você? Me nega um olhar. Caramba, um olhar!

Entenda, eu não esperava um olhar maldoso ou um olhar de desejo. Sequer um olhar de quem quer mudar algo. Não. Mas esperava um olhar de quem superou, deixou tudo isso em uma outra vida. Um olhar “pra ser sincero, prazer em vê-lo, até mais”.

Este olhar você me negou. Teria sido tão mais simples se você tivesse simplesmente me olhado…

Mas por que – eu me pergunto – você me negou este olhar?

Será que a indiferença é tão grande criada pela mágoa? Será que eu já sou um ponto tão insignificante da sua história que para você tanto fez, tanto faz, como se eu fosse um desconhecido?

Ou será que te faltou coragem? Para dizer a mim com teus olhos que eu já sou página virada.

Você tem medo? Pois, se você tem medo, saiba que eu também tenho.

Contudo, eu tentei te olhar. Mesmo morrendo de pavor de não conseguir sustentar a mentira de que já superei. Mas te olho mesmo assim, pois mesmo sem ter superado, no fundo, ainda sinto muito. E queria, de verdade, que você ainda sentisse alguma coisa.

Mas isso ficou escondido no olhar que você me negou.

 

Paulinho Rahs

Anúncios

Você foi a minha escolha certa

Leia ao som de Speed Of Sound – Coldplay

Por muitas vezes perdi o sono perguntando a mim mesmo se eu sabia qual caminho havia tomado para minha existência.

Eu não sabia.

Viver, para mim, sempre foi uma forma inconsequente de brincar com fogo. Eu nunca fui uma criança disciplinada, nem um adolescente comportado ou um adulto cuidadoso. Eu não planejei a minha vida e deixei as portas abertas para qualquer coisa que viesse pela frente.

Muita coisa veio. Vivi de tudo um pouco, um pouco demais de tudo. Cometer excessos sempre foi a minha especialidade, afinal. E agora, com um pouquinho a mais de maturidade e juízo na cabeça, finalmente me dei por conta do tamanho da minha sorte. Continuar lendo “Você foi a minha escolha certa”

A vida é mais simples do que parece

(Leia ao som de Soldier)

Sim. Eu costumava ver tudo com um jeito meio vira-lata, assim, de baixo pra cima. Mas conforme a gente vai vivendo a coisa vai mudando, a forma de ver vai ficando mais clara e simplificada.

Falhar é sim uma opção. E muito.

Conquistar tudo não depende só da gente e está tudo bem se as coisas não derem certo.

Quanto mais cedo melhor? Nem tanto. Quanto mais cedo, menos maduro. Isso sim. Já é praxe você ler textos por aí que dizem que cada um está em um degrau diferente da escada da vida. Vou repetir, mas sei que você já sabe: um conquistou tudo com 25 e morreu aos 40. Outro iniciou aos 50 e viveu até mais de 100. Por aí vai. Continuar lendo “A vida é mais simples do que parece”

Meu único arrependimento é você

(Leia ao som de Nearly Witches)

Às vezes acho que enlouqueci. Para ser mais honesto, isso tem se repetido com tanta frequência que já arrisco afirmar com certeza que cruzei a fronteira da insanidade.

Sim, eu enlouqueci.

Me internem, me trancafiem em uma sala toda branca, me amarrem e amordacem, me envolvam em uma camisa de força!

Já não tenho mais condições de conviver em uma sociedade normal e bem estabelecida. Não estou mais apto a seguir os padrões de convivência e etiqueta que sejam considerados saudáveis pelos seres humanos comuns. Eu sou um maluco, doido de pedra, desequilibrado. E você é a prova viva de que isso não tem remédio e nem cura.

Eu achava no início que era um sonhador, uma pessoa a frente do meu tempo. Insisti em cultuar a minha própria personalidade a níveis absurdos. Me considerei sempre um prodígio nascido na era-moderna e pronto para desabrochar. Tive plena certeza de que minha diferença tão grande para os outros que conviviam comigo era porque eu vim de uma outra terra pra cá. Por muito tempo me lembrei de vidas passadas e orientações que me deram antes mesmo de nascer. Eu segui tudo à risca, posso dizer sem vacilar: fiz exatamente como as vozes na minha cabeça me falaram.

Mas desde o dia que te conheci só consigo me embriagar com o seu perfume.

Joguei o meu melhor aos quatro ventos sem esperar muita coisa de volta. Fiz bem ao mundo e não esperei coisa alguma em troca. O pouco que conquistei sempre me pareceu muito, pois sempre valorizei cada gotinha de reconhecimento que veio em meio a uma tonelada de indiferença.

Tanto faz, pois hoje eu descobri que sou louco. Sou um desvairado, um mentecapto, biruta, alienado. Pode chamar o pessoal da saúde pública para me interditar! Meu tempo nesse mundo de gente esperta e correta já passou. Não há espaço para um tantã, aloucado e esclerosado como eu.

Vou me ocultar até que a vida termine, porém registro que não levo nenhum pesar das coisas que fiz.

Me orgulho dos sonhos que sonhei.

Me entusiasmo com os seguidores que conquistei.

Me satisfaço com o legado que deixo.

Me alegro com a sede de vitória que tive.

Pra ser sincero, meu único arrependimento é você.

 

Paulinho Rahs

A velocidade de tudo que acontece em cada momento depende de você

(Livremente inspirado na canção Velocidade – Vera Loca)

Estávamos eu e ela, sentados, conversando sobre nada, falando quase tudo.

Era a minha chance, mas passou tão rápido. Era um pôr do sol, um momento perfeito. Mas quantos minutos dura um pôr do sol? Não o suficiente para eu conseguir me declarar. E quando escureceu, o clima já era outro. Foi embora uma das mais lindas oportunidades daquelas que acontece apenas uma vez na vida. Continuar lendo “A velocidade de tudo que acontece em cada momento depende de você”

Para seguir em frente, às vezes é preciso dar um passo para trás.

Você é do grupo dos sonhadores natos, né? Então prazer em te conhecer! Escrevo essas palavras diretamente pra ti.

 

Nós somos movidos por sonhos. Queremos sempre mais, conquistas maiores e feitos mais brilhantes. Mais que isso até: nós entramos de cabeça em todas as coisas. Se for para fazer mal feito a gente nem tem vontade de começar. E já que nós sempre começamos, temos o péssimo hábito de colocar uma pressão absurda em absolutamente todas as coisas. Tudo têm que ficar excelente, digno de parabéns, ao nível de ser compartilhado pelos outros em rede social. Mal colhemos os louros de uma glória e já nos vemos desesperados por uma nova conquista. Talvez seja por causa de nosso ego inflado, nossa vaidade, nossa mania de grandeza. Seja lá o que for, há uma tóxica necessidade de sermos sempre os melhores e isso vai nos afogando pouco a pouco.

 

Abraçamos todos os projetos possíveis, entramos em todas as causas, dizemos sim pra tudo numa compulsão absoluta e do estilo Jim Carrey em “Sim, Senhor!”. E aí chega uma hora que os prazos expiram, desapontamos pessoas, botamos em cheque nossa autoconfiança. Tem dias que a inspiração não vem, bate um bloqueio e simplesmente não temos a menor vontade de criar nada novo. É puro desespero!

 

Andei assim, lhes confesso. Vai saber se a lua entrando em sei lá onde, se é que os astros explicam alguma coisa. Quem sabe seja falta de açúcar no sangue por causa da dieta, se é que a ciência explica alguma coisa. Talvez seja pelas mudanças da idade e as fases que vem e voltam, se é que existe alguma explicação. Bom, tanto faz. Sempre fui mais de procurar as soluções do que perder tempo tentando achar primeiro a causa dos problemas.

 

Andei mesmo é de saco cheio de tudo, me arrastando pelos cantos da casa numa depressão a base de cafeína para ver se talvez eu não havia tomado o caminho errado. O lance no fim das contas é que parei com tudo. “Parem as máquinas!”, bradei aos meus sonhos e projetos. Eu sou tão intenso nas coisas que quero que vou indo assim, que nem cavalo de corrida, só olhando para frente e agindo muito mais do que pensando. No fim das contas, quando achei que havia me perdido de vez foi quando acabei encontrando as minhas respostas.

Para seguir em frente, às vezes é preciso dar um passo para trás. E foi assim que conseguir ver o plano todo: andar para trás não é feio, desde que seja para tomar impulso.

 

 

Paulinho Rahs

Recomecei e desta vez foi do jeito certo

Por certo tempo me abriguei na solidão que acabou sendo a única companhia dentro da escuridão em fiquei sem teu brilho. Dias e noites perderam qualquer sentido que poderiam ter para mim. Planos e projetos do futuro simplesmente desabaram como se houvessem roubado uma das cartas de base que construía um castelo frágil de um baralho comum. Continuar lendo “Recomecei e desta vez foi do jeito certo”