O caminho de volta

Tento me imaginar distante desse amor, e é como se todas as luzes do mundo se apagassem diante de meus olhos. É como se todos os caminhos ficassem perdidos, sem direção. É por isso que eu o amava, que eu me sentia bem ao seu lado. Eu gostava de sentir o perfume que saía da sua nuca quando eu o abraçava. A gente podia fazer coisas extraordinárias, ou até mesmo as coisas mais simples como comer um sanduíche barato e se olhar nos olhos um do outro por muitos minutos, nos admirando naquele local nada romântico. Eu me sentia cada vez mais segura quando até mesmo o mundo tentava de todas as formas me deixar para trás, quando o distanciamento até então inevitável quis levar você de mim. Quando naquele tempo os olhos de outra pessoa tentaram roubar não só o seus olhos mas também todo seu corpo, seu sorriso e o cheiro da sua nuca que abastecia não só meus pulmões, mas também a minha vida. Você foi o primeiro e o último cara até então que não tentou me convencer que o amor era perfeito. Você foi o único que não tentou me impressionar o tempo todo como quem deve ser algo bom só nos primeiros atos da conquista. Tenho certeza que nunca me senti tão feliz, tão amada, pois agora depois de tudo me sinto como quem perdesse por entre todas as melhores chances que a vida me colocou nas mãos, e eu deixei escapar. Mas nada acabou. Eu sinto! Talvez nada tenha acabado. Detalhe, ela ligou para ele pois sentiu saudade daquela época, daquele cheiro, daquele sorriso. E ele, havia tomado uma decisão. Ele também ia procurar-lá pois ainda sentia que aquela história mal tinha começado a ser escrita, e por alguns deslizes nesse caminho os dois deixaram algumas páginas em branco que agora, precisariam ser novamente escritas.

Anúncios

Um quebra cabeça de mil peças chamado amor

É que às vezes eu acredito que o amor deve ser tudo, menos piedoso. Mas coitado não é ele, o amor na verdade é um fofo, as pessoas na qual se metem a dizer que amam, talvez é que são perversas com a gente, são canalhas, impiedosas.

Eu prometi pra mim mesmo que ia ser diferente, que eu não ia cair mais em esparrela alguma, mas é que na verdade eu já acreditava que eu estava calejado de me decepcionar com tal sentimento, mas não!  Talvez eu nunca saiba como agir diante disso, porque felizmente ou infelizmente a intensidade deveria ser meu sobrenome. Ingenuidade? Até que não, porque eu vou “pisando em ovos”, vou tentando agir de maneira diferente comparado com os erros que eu cometi com possíveis amores do passado. Mas a sensação que fica é que eu sempre erro! Eu sempre meto os pés pelas mãos quando na verdade eu sinto que dessa vez estou agindo da maneira certa. E quando eu vejo, nada sai como planejado. As coisas se embaraçam no caminho, e tudo que parecia ser óbvio se torna um quebra cabeça de mil  peças… Nessa hora eu desisto, olho para tal jogo que virou essa maneira absurda de amar, esse jogo de ego, de disputa, de não querer se jogar de cabeça, de não querer demonstrar, de não querer saber amar o outro. E no meio disso tudo, eu sofro, porque idealizo o amor nas pessoas erradas, o sentimento que é bonito, que é gostoso de sentir, mas que talvez eu esteja investindo minhas fichas em alguém que mal aprendeu a se amar, mas que por uma triste ironia são “expert” em jogar com os sentimentos dos outros. 

O amor é muito maior que a gente pensa

Não tenho mais tanto medo de parecer a ovelha desgarrada do grupo. Não tenho mais tanto medo de colocar nem que seja o dedinho no inferno e queimar de vez esse monte de regras que devemos seguir. Deixar de ser a vítima, aquela que chora e que sempre alimenta a dor de não poder ser quem você gostaria de ser. Por querer ligar e dizer que perdoa. Por querer dizer que ama mas que às vezes se sente oprimida por amar alguém tão confuso. Deixa de se vingar de você mesma por acreditar que a culpa é sempre sua e que amar essa pessoa que parece não ser o ideal vai te fazer quebrar a cara igual muitos já te disseram. O amor é muito maior que a gente pensa, porque dai nos apegamos nessas coletâneas de auto ajuda onde devemos simplesmente engolir a seco nossa felicidade pois o garoto que amamos é um quadrado, um mala, não presta e vai nos fazer sofrer. A verdade é que a gente só pode contar com a gente mesmo, porque esse sentimento que vive em nós é como combustível que alimenta nossos passos mas são guiados pelo nosso coração, que muitas vezes não sabe bem pra que lado ir. Mas é como se a gente desequilibrasse nesse caminho torto, cheio de indagações que nos deixam loucos. Você é feliz? Nossa essência é nossa liberdade, e nossas escolhas devem ser pensadas pois às vezes devemos esquecer nem que seja um pouquinho os medos e as desconfianças para termos coragem de amar mesmo nadando contra corrente, na direção contrária do trajeto, das bocas falantes do lado de fora. Parabéns! Você acaba de quebrar a cara mas foi feliz. Ou você acaba de ser feliz e quem quebrou a cara foi…

Eu tive que aprender duramente que o amor acontece do inesperado

É como se aos meus olhos a gente vivesse em perfeita sintonia. Ele tinha suas particularidades, estranhas!? Mas eram dele e de mais ninguém. Eram suas características, seu andar, seu modo de ter equilíbrio ao acertar de manhã e ter o direito de errar a noite. Eu queria que fosse tudo igual, até a medida do amor. Eu apontava os dedos como se o alvo fosse sempre as imperfeições. Aquela maneira metódica de não querer ver nada desandar e que nada poderia sair errado. Eu sempre queria sair na frente, queria ganhar vantagens, de ter um amor sobre minha proteção. Sobre o meu olhar embaçado por amores que já me fizeram chorar. Me deixaram sem saber como eu ia ficar. Talvez seja isso, e tudo que eu faço é pra minha única segurança, era como se eu tivesse um controle remoto e o canal sempre seria o que eu terminasse. Foi então que tudo se transformou, e eu não pude impedir. Não pude fazer absolutamente nada quando ele quis a alegria dele. O sorriso vindo da motivação dele. Eu não consegui segurar, quando a vontade de ser ele mesmo falou mais alto. Foi então que tive que desentoar a dança e começar a dançar o ritmo dos meus próprios erros que eu mesmo provoquei. Porque ele procurava e eu não via, justo porque eu prestava somente atenção no medo de perder, sendo que eu perdia todos os dias com os excessos de dizer — Não! Ele só queria ser ele. Queria ter o desejo e o tempo dele. Ser aquele cara babaca que quando vê os amigos esquece da gente. Eu tive que aprender que algumas coisas vão ser assim. Eu tive que aprender duramente que o amor acontece do inesperado. É como esperar o leite ferver e quando se vira as costas ele faz toda aquela sujeira, é como você esperasse uma ligação e o telefone tocasse quando você desistisse de esperar. É preciso saber lidar com inesperado, com distrair da individualidades de quem se ama.
Desse cara que eu corro risco de perder por pressionar entre os dedos como quem quisesse segurar uma água corrente em minhas próprias mãos.

Eu sinto que apesar de tudo você é o grande amor da minha vida

Tem sido assim, eu de um lado tentando me esquivar, querendo provar pra mim mesma o tempo todo que desta vez não. Desta vez eu vou fazer tudo diferente. Eu espero que você não seja o grande amor da minha vida. É que na verdade, bem lá no fundo eu sei que é você. Sinto, e tenho medo de quebrar a cara outra vez. De sentir de novo aquela dor no estômago quando vi um grande amor que eu julgava ser pra sempre sair da minha vida. Mas com você tem sido exatamente igual, com uma pequena diferença. Você tem sido o motivo do meu sorriso, e desta vez eu queria muito que com você fosse diferente. Você simplesmente esquece de demostrar “carinho”, e de dizer palavras bonitas, de se auto declarar. Talvez eu te odeio por isso, por seu não comprometimento com as coisas triviais e aparentemente necessários para um relacionamento. Mas não! Você substitui tudo isso por um questão que vai além, que me faz sentir interinamente segura sem me segurar em nada, sem precisar das flores, das palavras bonitas, porque quando te vejo voltando depois de sumir por uns dois dias eu respiro, e silenciosamente penso comigo. — Eu senti uma falta tremenda desse canalha. Eu odeio suas piadas, o futebol de domingo, aquele seu amigo chato que te chama pra sair. É que na verdade eu fico esperando as flores, o Eu te amo clássico numa terça-feira à tarde. Mas com você tem sido diferente, tudo isso fica pequeno, ou até mesmo simples demais quando seu abraço depois dos dois dias sem você me comprime, me aperta, e eu frágil me sinto sufocada pelo seu calor, pelo cheiro que você exala, pela nuca feita espetando minhas mãos. O engraçado que você é todo diferente, de tudo e de todos que passaram por minha vida, porque você tem potencial pra acabar de vez com esse meu medo de errar, de me aventurar. Porque quando olho pra você eu ainda quero insistir, quero te ver com aquela camiseta cinza e a bermuda bege que você tanto gosta chegando com a cara de quem vai mudar meu modo de sentir o seu amor.