Tenho consciência de mim mesma e sei que nem todos os meus atos são merecedores do teu amor e da tua companhia. Às vezes me perco e por muito tempo te deixo partir, te deixo ir para longe, em um lugar distante onde não sou capaz de te encontrar. O problema é que sempre que isso acontece, é como se eu também desaparecesse, ou pelo menos aquela parte boa que existia aqui.

Porque quando tu vais, um pedaço de mim vai junto. Uma célula minha se perde ao deparar-se com a ausência do teu toque quente e suave. A cabeça gira e o coração perde a mira. Encontro-me sem rumo e perco-me na certeza de ter jogado fora todo o meu possível futuro.

E não posso te culpar por não gostar de ficar. Eu também não ficaria. Deve ser foda o meu grude e minha forma de querer te prender a mim, de querer te pertencer por completo. A cada abraço eu tinha medo de perder os teus braços que me envolviam tão bem. Todas as noites deitada em teu peito, eu tinha certeza de que aquele seria para sempre o meu melhor travesseiro e o único capaz de trazer paz para as minhas noites de ansiedade e insônia. O teu beijo precisava ser eterno e o nosso tempo era tudo que eu tinha de mais precioso nessa vida, e por fim, guiada pelo medo de te perder, acabei te levando para bem longe de mim.

Mas ainda assim, caso um dia venha a ler esta carta, saibas que não desisti de nós. O teu lado da cama ainda está vazio, vez ou outra ocupado por um livro ou uma garrafa de vinho, mas ele ainda está lá. Aquela camisa branca que tu deixaste de rastro ao partir, continua ali, pendurada no mesmo cabide e trazendo o mesmo cheiro de paz para a minha vida. De vez em quando me pego olhando para ela e é como se conseguisse te enxergar aqui, me faz bem saber que talvez um dia tu voltes para pegá-la e leve de brinde também, essa bagunça que ficou dentro do meu peito.

Eu estou te esperando. Talvez seja em vão, mas algo me diz que um dia tudo isso vai ter a sua determinada razão. Hoje te escrevi na intenção de simplesmente dizer que estou ciente dos teus motivos, mas jamais irei me arrepender dos meus excessos. Eles fazem parte de mim e meu coração estará sempre aqui te esperando para transbordar comigo, por isso se quiseres voltar, um dia de repente, quando a saudade acusar, bate aqui de madrugada e vem correndo me amar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Uncategorized

Tags