Não dá mais para esconder, eu tenho segurado as pontas por um longo tempo. Tenho me silenciado por medo do estrago que as minhas palavras poderiam fazer, mas não está dando mais para segurar, o coração está gritando e implorando para lhe dizer. O meu olhar vai me entregar a qualquer momento, e já não sei mais disfarçar que você não me afeta. Porra! Como você me afeta.

Às vezes eu fico tentando entender, qual é o sentido de ter algo tão surreal que vai além da pele, e da combustão de nossos corpos, mas mesmo assim parece ser totalmente impossível? Meu peito chega a latejar, dói demais guardar tudo o que eu tenho vontade de lhe dizer. Fique tranquilo, não estou aqui para te cobrar absolutamente nada, apenas estou para dividir o que à algum tempo carrego no peito.

Não sei exatamente quando aconteceu, mas definitivamente me apaixonei por você. Não, não me venha com essa cara de surpreso, você já sabia, no fundo sei que você sabia. Sabia que meus beijos não eram só casuais, e a química nunca foi só tesão que de nos transbordava. Eu jamais pude explicar o quão ligado a você eu me sentia, e de repente? Olha todo esse sentimento explodindo por dentro.

Eu sei que não iremos mudar o que somos, eu sei que eu e você, somos a variável que não deu certo, mas que culpa tenho eu? Não escolhi ter todo esse sentimento, mas enfim, aqui ele está. Queria poder voltar no tempo e ficar só naquele tal sexo sem compromisso, mas já me peguei fantasiando nós juntos por aí e todo aquele clichê de casal.

Eu sei, eu sei, você está se dizendo, por que eu tinha que estragar tudo né? Sempre nos demos tão bem. Por que eu simplesmente tinha que acrescentar sentimentos em algo que a demanda era apenas a pele? Não tenho as respostas para suas perguntas, e confesso que imaginei várias vertentes para essa conversa. Queria que fosse reciproco, mas também sou grandinha o suficiente para saber que não estamos na mesma sintonia.

Está tudo bem, não se sinta culpado. Eu jamais pedi que acontecesse, e acredite em mim, também estou surpresa, hoje descobri que que por você estou apaixonada. E eu sei que nunca fomos um casal comum, já fomos do esquisito até o quase normal. Curtimos rock, e somos viciados em porcarias, amamos a liberdade, mas nos invadimos pela presença um do outro, você pela prisão dos meus beijos, e eu por aquele seu sorriso sedutor com cara de que sempre quer mais.

Nunca fomos de cobrança, mas não nos largamos, sempre estamos prontos para o próximo porre, para dividirmos as novas experiências, e sonhamos sempre em sair um dia sem hora para voltar, para onde? Isso não é o problema, o que basta é estarmos juntos, mesmo que não dentro de um relacionamento comum e piegas.

E Renato Russo já cantava por aí: “Ele completa ela como o feijão com o arroz’’. Somos aquele tipo de romance que dá gosto de se ver. E em mim você sempre deixa saudades quando se vai. Somos alegres, sem dramas, e sem bagagens, é a roupa do corpo, a velha estrada e os corpos durante mais um luar.

– Você é louca Andréa.
– Completamente louca, mas por você!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

CATEGORIA

Re Vieira

Tags