Amar foi o primeiro dos temas que veio à minha mente.

Só que, como sempre, a vida exige que a gente delimite o tema. E foi aí que você surgiu. Tinha tantas peculiaridades, tantas coisas que te identificavam claramente, que foi fácil optar. Era só desenvolver.

Mais fácil que delimitar pra onde eu queria ir, foi ver a quantidade exorbitante de problemas de pesquisa que você me ofereceu. Sei que é da bagunça que nasce o desenvolvimento desse trabalho que escolhi pra vida, mas foi difícil resolver tanta coisa para ficar somente com uma inquietação.

O bom é que eu já tinha diversas justificativas. Eu sabia por que queria ficar contigo. Sabia por que o mundo seria um lugar melhor com a gente junto, sabia a contribuição que eu daria às pessoas ao ficar ao teu lado.

Meu objetivo geral estava traçado e eu segui firme no percurso, mas travei nos objetivos específicos. O que eu poderia esperar, especificamente, de alguém tão idiossincrática? Talvez o amor more nas possibilidades infinitas que se tem de dar o próximo passo. E foi por isso que tomei fôlego e comecei a escrever os capítulos da nossa história.

Tive de provar por A + B as razões pelas quais você tinha tudo pra ficar comigo. Citei autores consagrados, cruzei suas informações e montei um arsenal intelectual pra te colocar do meu lado. Quase consegui. Precisei de mais algumas etapas pra te dar a certeza.

Minha metodologia foi variada. Fiz um estudo bibliográfico pra conhecer tudo que você gostava, usei questionários com tuas amigas para tentar me aproximar ao máximo do que era importante pra você.

Te relatei tudo que aprendi pra que a gente pudesse, finalmente, chegar às conclusões.

E deu certo.

Todo mundo sabe a vontade que dá de arrancar os cabelos, de chorar, jogar todas as páginas fora e dizer que não está nem aí pra esse trabalho idiota.

Mas a gente volta. E a gente pega tudo de novo. E a gente respira. E a gente lembra que a vida vale nota. Essa nota vale a vida. E a gente precisa concluir alguma coisa.

Eu concluí que tudo valeu e vale muito a pena.

Que se o tema for você, eu sigo para especialização, mestrado e doutorado.

Eu reescrevo meus agradecimentos todos os dias pra atualizar com cada coisa pela qual sou grato ao conviver contigo.

Minhas considerações finais, que devem terminar com uma pergunta instigante, serão simples e diretas:

– Fica com esse nerd pro resto da vida?

Referências Bibliográficas:

GHESLA, Júnior. Textos para amenizar a bad por conta do TCC e lembrar do amor da tua vida. Gramado: Editora Seja Feliz Sem Culpa, 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Júnior Ghesla

Tags