Já acreditei em muito “para sempre” que não se concretizou. Hoje, eu sei que quase nada é certo nessa vida, principalmente quando se trata de sentimentos.

E falando em sentimento, sabe aquele cara que eu sentia que era o meu grande amor? Agora eu nem sei quem ele é, o que faz ou como está. O motivo? O que parecia ser um conto de fadas com final de “felizes para sempre” teve o seu fim. E sim, teve de fato o “felizes”, talvez não para sempre, mas o felizes separados, com cada um seguindo o seu próprio caminho, como um conto da realidade.

Tá certo que levou um bom tempo… chorei muito, sofri, me decepcionei e até achei que nunca mais amaria alguém de novo, mas passou. Lembro que me diziam desde quando eu comecei a lamentar o término que tudo passa, mas eu não conseguia acreditar que desta vez passaria. Mesmo assim, como em todas as outras vezes, passou. Eu precisei de uma tristeza profunda e de uns bons dias de recolhimento para perceber que as coisas são como devem ser, que não faria sentido continuar uma relação na qual eu já havia aprendido e amado tudo o que eu precisava aprender e amar.

O tempo passa e o desespero vai sumindo, a dor vai diminuindo, a saudade vai se esgotando… E assim a gente dá lugar para a serenidade necessária para cuidar de nós mesmos, a força essencial para recomeçarmos a nossa vida. Depois, você pode até encontrar um outro alguém que fará o seu coração bater mais forte de novo, mas será diferente, sempre é.

A gente ganha mais sabedoria a cada relacionamento que tem e a gente também aprende a se gostar mais a cada decepção que sofre. Só assim a gente consegue amar de forma mais livre e saudável, com os pés no chão, porque já sabemos que nada é para sempre e que não existe garantia de eternidade no amor (nem mesmo na vida!).
Por isso, se hoje está doendo, acredite: passa. Assim como a relação teve o seu fim, a sua dor também terá… Geralmente, aquilo que um dia te fez feliz e hoje te faz chorar é exatamente o que você precisa para transformar algo dentro de você. Foi “seu” enquanto trazia algo de bom e deixou de ser exatamente pelo mesmo motivo, porque a gente precisa do vazio para dar espaço ao que merece chegar.

E então, você vai perceber que a sua dor foi fundamental para que você aprendesse algo importante: a amar alguém de uma forma muito mais harmoniosa e/ou a amar a si própria sempre em primeiro lugar, entendendo que algumas coisas saem para que outras melhores possam entrar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

CATEGORIA

Beatriz Zanzini

Tags