Oi, amiga

Eu sei que seria muito mais fácil eu te mandar uma mensagem instantânea. Mas desde sempre, uma carta e um telegrama têm uma diferença imensa. Optei pela carta. Ainda que seja a versão moderna.

Pra começar, quero dizer que sinto muito. Sinto muito por tudo o que aconteceu entre você e ele.

Eu poderia vir aqui agora e dizer que tentei te alertar mas, por incrível que pareça, quem aconselha também se assusta quando a coisa acontece.

Não pense que sinto algum prazer por isso ter acontecido. Ao contrário. Não vou dizer “eu te avisei”. Me sinto mal por ver uma amiga que amo chorando por um canalha.

Sei que você deve ter estranhado a minha ausência, talvez outras pessoas tenham chegado antes de mim, mas é que eu estava aqui sentindo em sintonia com o seu coração.

Eu poderia ter mandado uma mensagem instantânea, mas não sabia ainda o que dizer. Por isso, vim parar aqui, no meio do dia, num restaurante qualquer, pra tentar encontrar algum sentido em tudo isso e confortar o teu coração.

Toda vez que uma menina é traída, eu sinto também. Sinto porque sei como é. E sinto porque sei o quanto você amava pura e genuinamente.

Quando ele te traiu, não traiu só você. Traiu a si mesmo. Traiu a honra de firmar um compromisso. Traiu a dádiva de ter alguém que concorde em estabelecer um compromisso às cegas.

Quem se compromete precisa ter um mínimo de consciência do tamanho da responsabilidade que aceita ao receber integralmente a confiança de alguém. Precisa saber que, mesmo existindo o livre arbítrio e, com ele, a possibilidade de fazer o que bem entender, alguém apostou todas as fichas na sua lealdade.

Ele não foi capaz de fazer isso. E eu lamento muito que existam pessoas assim, que pouco se importam com o sentimento alheio.

Não falo tudo isso para te relembrar da dor. Falo porque quero que você olhe para si mesma e sinta muito orgulho de ser como é.

Ele só caçou níqueis e não enriqueceu ninguém. Só que o jogo ainda vira. No fim da noite, você dorme o sono dos justos. Ele ficará no frio de um salão gelado sem ninguém para apostar.

Acho muito engraçada essa história das pessoas rirem de quem é traído. Deveriam chorar por quem trai. Quem é traído é pego de surpresa pela pessoa que mais confia. Trata-se do imponderável. Quem trai tem a confiança plena de alguém e, ainda assim, decide cortar o laço sem pôr o relacionamento em risco. Trata-se de uma escolha lúcida.

Traição é covardia.

Medo de ir embora e desgosto por ficar.

Ausência de personalidade mascarada com soberba.

Uma tristeza profunda convertida em um prazer sádico por usar os outros.

Sei que só o tempo pode te curar as feridas, mas vim escrever porque acho que você deve somente pensar no que é real: quem trai, sempre perde. Pode não parecer, pode demorar. Se não perder pros outros, é derrotado por si mesmo. Já a sua integridade, essa segue intacta.

Eu vou estar sempre aqui.

E milhares de caras legais também estarão pra te merecer de verdade.

Não pense no que você perdeu. Pense apenas que a vida se encarregou de enviar cada um de vocês para um destino justo de acordo com as suas índoles.

Aquele abraço apertado da sua sempre amiga.

Te amo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Uncategorized

Tags