Eu posso ser bem mais do que você conheceu

Acordei chamando teu nome em pensamento. Levantei tentando te encontrar em cada canto da casa, mesmo sabendo que você não estaria lá. Entrei no banho e então tudo desmoronou, a manhã era fria e eu não teria o teu abraço do lado de fora do chuveiro para me esquentar e aquecer meus instintos. O dia seguiu e tudo foi igual. A cada esquina eu te enxergava, mas não era você. O teu calor estava longe, nós estávamos longe e a proximidade dos nossos corações se tornava cada vez mais distante.
Cheguei do trabalho e tudo parecia um intenso martírio. As nossas fotos ainda estavam na estante e eu te apreciava enquanto saboreava aquele vinho que você deixou guardado e nunca tomou. Eu liguei o computador no mínimo umas 5 vezes pensando no e-mail perfeito, mas ele não existe. Geralmente as palavras são tudo, mas naquele dia elas não poderiam me expressar, não em relação a ti…
Nada fazia meu peito acalmar. Ele ardia como fogo dentro de mim. A cama estava vazia, você costumava ficar com o lado maior e eu ainda não tive coragem de ocupa-la por inteiro. Parece que o ambiente está incompleto. Parece não, de fato a principal parte da minha vida não está mais aqui e eu não faço ideia de onde você se encontra, por favor, me conta?
Meu corpo rolava de um lado para o outro daquele espaço limitado. Levantei algumas vezes e fui até onde ainda estavam algumas coisas tuas. Sei que é ridículo admitir isso, mas o fiz, não posso esconder. Afirmo que essa não foi a pior coisa que já vivi por você… Entre uma camisa e outra que eu cheirava para tentar guardar as lembranças inesquecíveis, me arrependi do ato, pois comprovei o que já sabia, mas não queria acreditar… Uma carta, a carta. Um pedaço de papel escrito coisas lindas e juras de amor que um dia já fizeres para mim. No entanto dessa vez o destino dela não era eu. O nome ao final era outro e eu quis rasgar tudo e te fazer engolir, mas o bom senso que eu já nem lembrava existir me invadiu e eu simplesmente fechei o armário, deitei e sem nem perceber… Dormi!
No embalo daquele sono pesado eu sonhei que era alguém muito melhor, que eu saberia enxergar as coisas certas e me reconstituiria novamente a partir daquela desilusão. Acordei em um sobressalto e de repete lembrei-me dos acontecimentos anteriores. Ao contrário do dia passado, eu levantei, me olhei no espelho e disse que eu posso ser bem mais do que você conheceu. A vida nos engrandece de forma devastadora, mas tudo vale a pena no final da novela. Eu me vi e percebi tudo o que você perdeu, tudo o que outro pode ganhar e com certeza, fará por onde, da mesma forma que você… Bom, não fez!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s