Um dia desses eu sonhei com você.
No sonho, nós trocávamos olhares, entrelaçávamos sutilmente as nossas mãos e ficávamos em silêncio. Não foi muito diferente (e talvez ainda não seja) da nossa realidade.
Afinal, nossos olhos hoje não se cruzam e nossas mãos não se tocam, mas volta e meia os nossos pensamentos se encontram.
Assim como a nossa saudade. Como aquele “e se?” que bate de vez em quando na nossa porta.
E como aquela nossa vontade de ter sido o que não fomos.

Eu, claro, acordei saudosa e sentindo o teu cheiro ali no meu travesseiro, mesmo sem você ter deitado nele um dia sequer que fosse.
Lembrei das vezes em que falamos a mesma coisa ao mesmo tempo, dos sentimentos em comum que contrariavam qualquer lógica, das vezes em que recebi suas declarações inesperadas, das vezes em que eu decidi me declarar… E até dos abraços que demos em nossas despedidas que, mesmo sem beijo, faziam a gente suspirar como dois adolescentes cheios de dúvidas, mas claramente apaixonados.
É verdade. Muitas vezes os nossos beijos aconteceram sem o toque, somente no silêncio… Silêncio do desejo (que o coração já não era capaz de calar como a boca).

Já me perguntei se nos deixamos levar pelo medo.
Medo de se machucar em algo tão intenso, surreal e raro (tão raro que questionamos diversas vezes a sua existência).
Ou será que foi medo de tentar e perceber que tudo não passava de uma mera e ingênua fantasia? Confesso que eu não gostaria de desmanchá-la, caso fosse assim.

Pode soar loucura, mas esse laço mágico despertou e ainda desperta tanta coisa boa em mim.
Esse laço é que me faz acreditar nessas coisas invisíveis e bonitas da vida, como a sensação de plenitude que me invadia em nossas conversas intermináveis da madrugada. “Fica mais um pouco”, você me pedia. Talvez sem saber que eu queria mesmo era ficar para sempre…

É, talvez agora pareça triste o fato de não estarmos juntos (embora estejamos, sempre que as lembranças aquecem o coração, como aqueceu o meu hoje).
Mas sabe, eu acho tão bonita a nossa história que soa como “quase história”.
Acho tão bonita a relação que criamos, o cuidado, o carinho um com o outro, independente do tempo e da distância.
E acho mais bonito ainda ter alguém como você na minha vida… Alguém que eu sempre vou me lembrar, não do que quase foi, mas do pedaço de amor que sempre será dentro de mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Beatriz Zanzini

Tags