06/11/2017

Soneto #15

Se em tirania, os Deuses algum dia
Tirarem-me a fala, ainda sem voz
Eu diria os versos que em melodia
E tanto sentimento escrevo a vós.

Se privam-me das mãos para compôr,
Semelhante efeito há de acontecer.
Ainda que os membros amputassem-me em dor
Jamais impediriam-me de lhe escrever.

Só a ti, expor o segredo me atrevo:
São meus olhos autores do que escrevo,
Testemunhas fiéis de tudo que senti.

Quando têm a sorte de estar em ti,
Como dois poetas tocados pela alegria,
Meus olhos a ti dedicam uma elegia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Douglas Cordare

Tags