27/10/2017

Vermelho

Há quem veja a cor como sinal de alerta
Ou a enxergue com embevecida vontade
A mim, nenhuma das visões parece certa
Pois sempre tive no vermelho a cor da verdade

Vermelhas são tuas maçãs e tuas madeixas
E a cor do céu que conheci na tua boca permitido
Vermelho é o estado em que deixas
Após cada toque, cada pecado cometido.

Vermelho é o quadro que batizamos “Amor”
E se dele apenas restar a moldura sem finalidade
Pouco importa pois foi pintado com nosso ardor.
Vermelho então será o tom da minha saudade.

Dizem ser luxúria, desejo ou mesmo ira,
Enganam-se estas opiniões e conselhos.
Pois de que modo esta cor à Verdade não se atira
Como reflexo exato numa sala de espelhos,
Se todo o mundo parece girar em mentira
Quando longe destes teus belos lábios vermelhos?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Douglas Cordare

Tags