Não tenho mais tanto medo de parecer a ovelha desgarrada do grupo. Não tenho mais tanto medo de colocar nem que seja o dedinho no inferno e queimar de vez esse monte de regras que devemos seguir. Deixar de ser a vítima, aquela que chora e que sempre alimenta a dor de não poder ser quem você gostaria de ser. Por querer ligar e dizer que perdoa. Por querer dizer que ama mas que às vezes se sente oprimida por amar alguém tão confuso. Deixa de se vingar de você mesma por acreditar que a culpa é sempre sua e que amar essa pessoa que parece não ser o ideal vai te fazer quebrar a cara igual muitos já te disseram. O amor é muito maior que a gente pensa, porque dai nos apegamos nessas coletâneas de auto ajuda onde devemos simplesmente engolir a seco nossa felicidade pois o garoto que amamos é um quadrado, um mala, não presta e vai nos fazer sofrer. A verdade é que a gente só pode contar com a gente mesmo, porque esse sentimento que vive em nós é como combustível que alimenta nossos passos mas são guiados pelo nosso coração, que muitas vezes não sabe bem pra que lado ir. Mas é como se a gente desequilibrasse nesse caminho torto, cheio de indagações que nos deixam loucos. Você é feliz? Nossa essência é nossa liberdade, e nossas escolhas devem ser pensadas pois às vezes devemos esquecer nem que seja um pouquinho os medos e as desconfianças para termos coragem de amar mesmo nadando contra corrente, na direção contrária do trajeto, das bocas falantes do lado de fora. Parabéns! Você acaba de quebrar a cara mas foi feliz. Ou você acaba de ser feliz e quem quebrou a cara foi…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Bruno Razzec

Tags