Leia ao som de “Slow dancing in a burning room”
 
 A gente bem que tentou e não foram poucas vezes, só que meu bem, quando não é pra ser não adianta forçar.  Fizemos planos e tantos sonhos juntos, uma pena não terem saído do papel. Procurei em ti minha outra metade e me perdi ao te encontrar, me deixei, me diminui pra caber no teu mundo e nem pensei muito, aceitei tuas condições. No fundo o que eu queria mesmo era te ter do meu lado com aquele mesmo sorriso torto que me deixou encantada. Tentei te convencer de todas as formas, tu resistiu e quis ficar ali, mesmo me vendo partir não fez nada para me alcançar. Eu te queria no meu mundo, assim do jeito como tu é, com teus costumes, teus defeitos, não me importava de te aturar nos dias tensos. Te apreciei de uma forma nenhum pouco justa, mas de um modo simples eu tentei te compreender.
 
 Levei tempo para me dar conta de que as peças não se encaixavam, o quebra cabeça da minha vida não se completaria naquela relação. Foi preciso quebrar a cara muitas vezes para aprender. Mas digo que fiz tudo em nome do amor, não o amor que tu define por aí como algo dramático e sensível demais, mas sim, o amor que me escorria pelos olhos quando finalmente podia te ver. Sempre soube que nada seria permanente e que o adjetivo “inconstante” nos definia de certa maneira, nossas histórias juntos já foi longe demais, decidi parar por aqui. Foi no exato momento que vi a tua verdade, aquela que eu insistia em mascarar. Quando tentei te proteger deles, deveria estar me protegendo de você, quando eu fui julgada e pisada, você é quem deveria ter ficado com a culpa toda por não ter tomado a atitude certa. Mas tudo bem, todo mundo erra e eu perdoei, sempre perdoei todas as mancadas, mas não significava que deverias permanecer errando comigo. Me apaixonei foi pela tua alma mas quando percebi que tu na verdade não era o que eu fantasiava aqui, preferi não enxergar, quis fazer a todo custo as peças desse quebra cabeça se encaixar. 
 
 No fim dos laços fizemos um grande nó e o que era bonito acabou se perdendo, nós dois caímos no conto de uma história mal resolvida. Não é um momento bobo. Não é uma tempestade antes da calmaria. Esse é o final e ofegante suspiro do amor que estivemos mantendo”. Pois bem, nós mantemos e fomos longe demais nisso, agora nada pode reverter, nada vai mudar o que já foi. Não há como negar nosso passado, ele já está mais do que quebrado e não existe forma de colar. Chegamos ao nosso fim como quem termina um filme compreendendo claramente a mensagem dele, agora vamos nos levantar, bater a poeira e seguir em frente. As lembranças um dia nos deixarão eu posso sentir. Nada dura para sempre, assim como nós também não duramos. Hoje me sento para escrever sobre você apenas para refletir, porque aprendi que nem sempre os amores da nossa vida serão como desejamos.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thai Merelin

Tags