Da vida não peço muito, apenas assistir a algum filme do Lars Von Trier largado contigo no sofá de casa num domingo à tarde quase noite com meia-dúzia de pãezinhos de queijo um pouco torrados e uma coca-cola com gelo e limão, pouco se lixando que no dia seguinte será segunda-feira e que o trânsito estará o velho caos de sempre.  
 
Da vida não peço muito, apenas te olhar acordando com aquela cara de ressaca, levando uns dois ou três segundos pra lembrar de onde teríamos ido na noite anterior, tentar abrir os olhos sem muito sucesso, perguntar pra mim a hora e eu dizer que já passou das onze e você resmungar tão docemente que tá cedo pra cacete e voltar a dormir.
 
Da vida não peço muito, apenas sair contigo pra tomar um sorvete na praça mas cair uma chuva daquelas bem na hora que abrirmos a porta pra sair, e então ficarmos olhando o temporal pela janela meio frustrados mas achando graça da nossa ideia de tomar sorvete debaixo de um temporal, e rir muito só de imaginar nós dois alagados naquela praça, abraçados, encharcados e com um sorvete na mão. 
 
Da vida não peço muito, apenas deitar contigo em alguma grama bem rasteira e bem bonita em algum lugar desses bem bonitos também, num fim de tarde, fazer um pique-nique pra relembrar a época de infância, e você rir e me sacanear porque em vez de sucos eu tenha resolvido beber cerveja. “Onde já se viu tomar cerveja comendo comidinhas de pique nique” e mesmo assim você beber comigo brindando e olhando as estrelas que já começam a acender o céu. 
 
Da vida não peço muito, apenas tomar banho de cachoeira com você em algum lugar bastante isolado lá perto da divisa entre Rio e Minas, você pensar umas cinco vezes se entra naquela àgua geladíssima e eu te dizer que é gelado só no início e que logo acostuma, você pegar na minha mão, pular na água e bater os dentes brrrrr que frio mas logo se adaptar, parar debaixo da queda da cachoeira e ali pensar na vida enquanto aceno pra ti e ganho um sorriso de retribuição. 
 
Da vida não peço muito, apenas beber um capuccino em algum desses cafés pelo centro simplesmente pra podermos olhar um pro outro de forma que todos os ponteiros do universo parem nesse momento, e então termos certeza de que o destino nos escolheu pra sermos um do outro e que cumprir esse desejo é o que realmente pode nos fazer felizes. E fará.
 
Da vida não peço muito. Apenas tudo. Apenas você. 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Brunno Leal

Tags