Um laço somente é posto à prova quando esticado. Isso demonstra a sua resistência. Distanciar uma relação confirma a sua duração. Aqui, me coloco diante da amizade. Até aonde resiste? Parte da minha vida, até então, foi construída em cima de mudanças locais. Então, sempre houve uma separação de todo laço que eu criava em cada lugar que havia passado. Ou melhor, sempre tive que esticar os laços em todas as mudanças. Hoje, me veio à mente que, às vezes, nossos laços são criados por palavras; outras vezes, pelas ações – sem que estas precisem de um adorno, pois os momentos vividos falam por si. Palavras sempre embelezam o momento, mas são as ações que fortificam um relacionamento. Construir nossas amizades baseadas em palavras é como montar um castelo de baralho. Muitas vezes, aumentamos a crença de que uma amizade é realmente forte pelo simples fato de falarmos isso, dizendo mais do que foi vivido e mais do que realmente significa. Como se quiséssemos projetar um amigo idealizado. Talvez por uma empolgação de momento. Assim, deixamos de notar a realidade do grau de importância que determinada pessoa tem em nossa vida. O que pode explicar o fracasso da relação quando os laços esticam, ou seja, quando um amigo se distancia do outro. Por outro lado, amizades duradouras, que resistem a distância, são construídas pelo que foi vivido e nada mais. Sem necessidade de grandes discursos pra confirmar algo que já foi confirmado pela vida. Esta tende a ser mais sólida. Rodeada de poucas palavras que demonstram a saudade, e que a distância somente reforça a importância. Não que estas estejam imunes ao fracasso. Já escrevi uma vez que nem sempre as relações acompanham as alterações, pois mudam os nossos gostos; a forma de pensar; a própria personalidade vai ganhando outras formas; e uma infinidade de coisas que alteram com o tempo. Com isso, alguns ciclos de amizade vão divergindo, e essas pessoas criam outros ciclos que estejam de acordo com a sua vida atual. Mas quando vivemos intensamente com alguém, o tecido do laço torna-se consistente, feito a partir da realidade de uma relação, com seus altos e baixos sendo superados, tendo assim mais resistência quando é esticado.  Segura daí que eu seguro daqui. Enfim, hoje, em um novo lugar, estiquei novamente os laços. E numa espécie de seleção natural da amizade, vou formando o ciclo de amigos que, provavelmente, permanecerá até o fim da vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Jhonata Santos

Tags