Será que ela te ama como eu? Será que sonha como eu? Com certeza não, e é por isso que preferiu estar com ela. Não que tenha aversão ao amor e todos os detalhes melosos, é que na balança da vida isso é bem pesado pra ti né?! Eu não te culpo, não te condeno. Afinal, estamos no século da putaria, amor é coisa de gente estranhamente corajosa né?! Pois é, pode ser. Sei lá, de repente como lidar com alguém que anseia lhe aquecer, alguém que deseja ficar para o café da manhã e não tenha medo de lidar com suas esquisitices né?! Eu te entendo, pelo menos eu tento. Mas aqui entre nós, a gente sabe que você e eu, estamos naquela parcela da população completamente apaixonada pelo que não tem. E não tenta negar, isso é verdade porra!
Eu já cheguei a me perguntar se ainda estaria apaixonada se você me quisesse com a mesma intensidade. Não foi uma pergunta confortável de responder, na verdade me doeu. Porque sim,  eu estaria vivendo um sonho se isso fosse verdade. Mas como sonho ultimamente é só na padaria, voltemos ao eixo central aqui: não dá mais!
Não dá mais pra amar sozinha. Não dá mais pra guardar meu cantinho pra ti, enquanto já ocupou o meu e pior, da forma mais estúpida que poderia fazer, brincando. Não dá pra continuar caminhando, como se ali na frente eu fosse lhe encontrar. Tudo porque tu já pegou outra estrada diferente.
Sabe, sobre o lance de querer justamente aquilo que não se tem, eu não me arrependo. Falei e esbravejei tudo quanto queria, tá certo que ficaram aqui ainda, uma parcela dos beijos que eram teus. Ficou o amor que era só teu, transcorrentes noites de beijos quentes e tudo quanto mais coubesse entre nós. Pois é, ficaram aqui.  Mas tem a famosa história do “segue o baile” né?! É sim, então. Assim como tu seguiu, eu vou seguir.  E assim como encontrou uma substituta, com sorte encontrarei alguém que vai se deleitar em tudo que era teu. Sei lá se isso faz sentindo ou não. Só sei que não dá mais. Não que te esperar seja um erro, mas é um tempo que não quero perder. Até mesmo, porque tempo a gente perde pelo que vale a pena e uma história pela metade, um amor meia boca, de longe nunca valeu a pena. Então me respeita,  tu pode falar o que quiser, eu vou continuar sendo a mesma mulher: aquela que apesar de muito lhe querer, em nada precisa de você. E como dizem por ai: segue esse baile, porque não dá mais. O amor não é um problema, o que muitas vezes você faz com ele sim.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thamires Benetório

Tags