A chuva cai lá fora, aqui em casa me afogo em minhas lágrimas que quebram toda a minha pose de durona.

-Eu nunca irei sair da sua vida Valerie!

Foram as palavras que frisei antes de tudo se contradizer, de repente um quebra-cabeças com peças iguais, de repente uma saudade que nunca dá trégua, de repente, olha eu em um apartamento que é o reflexo de uma história que já teve dias cinzentos, mas que nunca foram tão vazios como me sinto agora.

De repente as músicas se tornaram clichês, as pessoas comuns, os barzinhos que tantas vezes fomos juntos me dão tédio, até a noite da pizza toda sexta-feira pós Happy Hour, passaram a me dar náuseas, como pode uma pessoa, uma falta mal preenchida, um desencontro de almas e um esbarrão na solidão não são capazes de fazer na vida de alguém que até dias atrás sorria e sonhava com mil e um planos para um futuro que parecia tão certo e de repente tudo se desfez.

Olho para o canto do quarto e a nossa mala ali, ainda por se fazer, me fazendo reviver aquela última noite de amor que tivemos em Bali. Um pôr do sol esplendoroso, meia taça de vinho branco, roupas por se desfazer e corpos sedentos pela ânsia de entregar. Me entreguei e fui mais uma vez sua, inteiramente sua, tanto quanto a primeira vez. Risos, sorrisos, dedos entrelaçados e a delícia de um despertar ao seu lado me trazendo aquele frenesi absurdo de querer começar a viver o nosso agora, exatamente agora!

Éramos opostos e isso desde sempre foi nítido, você era de escorpião, e aqui para nós, escorpianos são um pouco difíceis de lhe dar, mas mesmo assim eu quis arriscar, nunca fui ligada em astrologia e não seria agora que me ligaria.

A única coisa que queria era estar com você, que se dane a astrologia, seu mapa astral, ascendente, lua e o diabo a quatro, eu queria você e não teria zodíaco no mundo que impediria que isso acontecesse.

Tínhamos tudo para dar certo, os mesmos gostos, vontades, sonhos e até defeitos, o único defeito é que eu desejava voar um pouco mais alto, ir além e você permanecia ali, com os pés no chão.

Chegou o momento de caminhar um pouco além, de tentar novas histórias e viver sonhos, você não me pediu para ficar e também não me impediu de ir, segurou meu queixo, beijou meu nariz e virou as costas, você seguiu seu rumo e eu segui o meu.

Travesseiros jogados, frases entaladas, olhos inchados e a entrega de que a noite anterior não terminou como eu desejava, tínhamos tudo para dar certo, se não fosse o pequeno detalhe que fizesse com que tudo desse errado – você não queria voar e eu desejava o céu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Andressa Leal, Re Vieira

Tags

, , ,