Conheço muitas dessas histórias dos “quase amores”. São histórias sobre pessoas que amaram muito alguém, mas depois disso teve um mas, um porém, um porquê de não ter dado certo, de ter acabado antes mesmo de começar. Sabe, ninguém vive de quases, o “quase” é uma forma tímida de dizer que não aconteceu.

Conheço histórias dos “quases” porque são histórias que marcam, são histórias que mostram que alguém tentou muito, se doou e de nada adiantou porque do outro lado o esforço não era o mesmo, seja pelo motivo que for.

É aquela velha história da falta de reciprocidade. Ele gostava de mim, mas… Ela queria me ver, mas… Ele queria corresponder, mas… Eu sei que era verdadeiro porque…mas, porém, de alguma forma, não aconteceu.

Esse é o final das histórias dos “quase amores”. Elas não acontecem e a gente suspira indignada achando que chegou muito perto de acontecer, de viver aquele que acreditamos ser o maior amor de todos quando, na verdade, não conseguimos dar se quer o primeiro passo.

Sabe o que vem depois? Depois da história do quase, vem a história que muda a vida da pessoa para o que é real, para o que aconteceu, se encaixou, se esforçou e puf! Lá estava ela sorridente ao lado de quem fez acontecer, lá estava ele acompanhado de quem não mediu o sentimento e o fez feliz.

Essas são as histórias que valem a pena escutar e se fazer suspirar. A história que nunca é perfeita, mas que mostra que os dois se esforçaram para que ela acontecesse. É a história do que fez bem, de desejos que se concretizaram ao invés de ficarem no “se”. São histórias que podem até chegar ao final, mas que foram vividas pelos dois.

Estamos tão acostumados com fantasias, filmes de Hollywood e “Era uma vez…”, cheios de reviravoltas, que aprendemos a dar mais valor aos “quases” fantasiados porque eles nos parecem perfeitos. São histórias criadas na nossa imaginação que ocupam os espaços vazios do outro que fica atrás do “mas” enquanto esperamos o jogo virar também, mas o jogo não vira.

São as histórias reais que nos preenchem e valem a pena, é sobre quem esteve com a gente que devemos contar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thamires Alves

Tags

, , ,