Parece mentira, eu sei, mas todas as vezes que disse que te amava, pulsava veracidade em cada veia minha. Não menti uma vírgula sequer, moça, acredita em mim. Meus poros exalavam teu perfume sempre que me permitia pensar na tua doçura e, te confesso tardiamente, deixei que você me inundasse até quase me afogar. É insano dizer isso agora, mas lembro o quanto me assustei quando me vi quase submerso nesse amor que te declarava e então, numa crise de pânico, resolvi abrir o ralo e deixar escorrer um pouco desse amor todo. Foi a atitude mais sem pensar que fiz, porque quando permiti que teu amor fosse embora, acabei afastando você de mim, porque era esse amor insano que nos movia, de certa forma. Se fosse um pouquinho mais inteligente, por assim dizer, saberia que bastava deixar que o amor transbordasse e, então, estaria tudo bem. Eu, você, nosso amor esparramado sob nossos pés por não caber tudo dentro da gente. Hoje a matemática parece simples, mas outrora não me parecia nem um pouco palpável. Meu amor por mim era medíocre de tal forma que julguei ser medíocre o amor que sentia por você, embora tenha sido sincero. Ou, te confesso com um punhado de vergonha, acredito que fiquei desgostoso demais e egoísta demais por me ver amando-te mais do que a mim mesmo. Isso me dava agonias insones, porque eu queria me bastar, tal qual você me bastava. Não pense errado, moça, talvez eu esteja só tentando criar conclusões absurdas do porquê eu estou aqui, sentado sobre o mundo do alto do meu apartamento, e você está aí, vivendo a vida de forma doce, como sempre soube fazer. Vezenquando sonho com teus cabelos claros e acordo procurando os fios entre meus lençóis, mas sempre fico um punhado frustrado por ver que não há mais resquício nenhum teu aqui, salvo aquele post it que você colou uma vez no espelho e que guardei com pouco zelo no meio de algum poema sujo. Passei um tempo te odiando, depois que você foi embora. E foi bom, porque a minha mágoa você enxergava que era sincera. Eu amei você demais, moça, mas de um jeito tolo e egoísta.

 

Acredita em mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Mafê Probst

Tags

, , , ,