Datas serão sempre datas, suas cicatrizes ela cura com um bom porre e com sua melhor amiga, ela não faz de uma pequena tristeza um momento épico, sente a dor, mas não guarda a dor, é de temperamento forte, e só se abre depois de um certo grau de intimidade. Se você não gostar? Problema exclusivamente seu, vive com os pés no presente, e metas plantadas para o futuro, sobre o passado? Ela é convicta de que se o passado não morre o futuro não nasce.

Ela tem aquele costume de ir, de voltar, de ir de novo e assim de novo, não costuma perguntar nomes, apenas de conhecer, e depois sentir saudades daqueles minutos que viveu, e acrescente aí: “Que viveu intensamente”. Ela se joga no mundo como uma folha ao vento, não é de criar laços, tão pouco raízes, chega com a noite e se vai com o sol, o depois? Ela até sente falta, fica dia sim outro também meio nostálgica, mas então em alguma dessas pousadas da beira da estrada com um conhaque nas mãos ela acende mais um cigarro e sente falta dos risos daqueles dias sem fotos e sem lembranças físicas.

Alguém ficou para traz, mas ela também não fala quem é, ou quanto tempo faz. Diz que não gosta de despedidas, de dizer adeus, eu particularmente acho triste quando olhamos para trás e percebemos que um último abraço poderia ter sido dado a aqueles que nunca mais veremos, ou aqueles que já me esqueci o nome por ter sido meramente rápidas suas passagens, mas que jamais esquecerei o rosto, a alegria que me passaram, o quanto me ajudaram, e o motivo que estiveram ali.

Ela insiste que essa minha filosofia de vida é meio antiquada e que algum dia ainda vou me ferrar com tanto sentimentalismo. Ela é viciada em adrenalina, e não, não é nada modesta, é livre de nascença e pertence somente a si, ela ama perder o folego, a hora, o próximo trem, mas sempre está pronta para próxima estação. Ela é a mistura de todas as mulheres, brinque com seu lado de menina e a mulher vai te tirar o folego, abuse da sua inocência e ela te mostra de quem é o jogo.

Vontades dão e passa, as dela não, elas se aprofundam, fazem moradia em sua pele, ela não é de rasantes baixas, mas sim de voos altos e seu pouso sempre será arriscado.

– Depois que fiz já não dá mais para remediar o que já foi remediado. Ela repetia isso constantemente, da vida só esperava muito, porque dizia que dela a vida gostava de exigir pra caralho, era loucamente e fielmente apaixonada pela vida e não se contentava apenas em existir.

Das coisas que aprendi com ela, uma eu nunca mais esqueci. “Ela insiste que essa minha filosofia de vida é meio antiquada e que algum dia ainda vou me ferrar com tanto sentimentalismo”. Ela tinha razão, porque mesmo a conhecendo a ela eu entreguei meu coração, resultado? Ela se foi, assim como se passa a estação.

PS: Obrigado por ter me mostrado qual é o sabor que o amor tem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Re Vieira

Tags

, , , , , , , , ,