Continuação deste texto aqui (https://jornalismodeboteco.com/2017/03/15/senti-o-tsunami-que-era-voce-prestes-a-me-engolir/)

Eu tentei frear teu pensamento incontáveis vezes, mas você não me dava brecha para falar. A chuva de palavras que você despejou em cima de mim me deixou um tanto angustiada e claustrofóbica. Era eu quem precisava de ar, mas você estava tão absorto nas próprias conclusões, que não percebeu o tanto que eu implorava para que você parasse de falar e me deixasse calar tua agonia.

Sei que tenho culpa, não nego. Nesses meses tantos de relacionamentos, nunca te mostrei o quanto estou envolvida. Sempre tive a sensação que, se eu me demonstrasse demais, você se acostumaria e desistiria de mim. Desistiria de nós. Mas eu cansei de pisar em ovos e tentar esconder meus sentimentos, por isso te liguei ontem e perguntei como você estava. Eu só estava cheia de saudades e, para não confessar, perguntei se estava tudo bem.

As coisas mudaram, sabe? E, por ter as coisas mudadas dentro de mim, resolvi que era hora de baixar guarda. Desculpa se eu parecia fria, mas eu sempre tive coração quente. O resto é só armadura, um medo de doer demais, de sair machucada de uma história que termina cedo. Mas eu estava envolvida na tua companhia, estava te amando exageradamente – e agora ainda mais.

Você está certo quando argumenta o ‘não é você, sou eu’. Eu carrego uma parcela de culpa por você pensar dessa forma, mas, hei, respira. Eu não pretendo partir. Não quero e nem posso. E eu gostaria muito que você ficasse, que você continuasse me envolvendo e me amando da mesma forma, mesmo eu estando doce, a partir de então. Tudo mudou de uma forma linda e eu quero muito que você faça parte dessa doçura.

Vem comigo? Eu te imploro! Aceite meus carinhos e meu novo jeito de te envolver. Perdoa minha frieza até então. Me dá a mão, me aperta forte, me deixa ficar. Eu quero te olhar doce hoje e sempre. Quero que você seja a primeira coisa que vejo ao acordar e quero dormir fazendo cobertor com teu abraço. As coisas mudaram. Ontem, quando te liguei cheia de saudades e recheadinha de novidades para te contar, as coisas mudaram. Engasguei com a felicidade e só soube perguntar se estava tudo bem, porque comigo estava tudo ótimo.

Sabe, nós dois, agora, somos três…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Mafê Probst

Tags