O amor que fica nem sempre é arrebatador ou tira os móveis do lugar e o sono antes de dormir, às vezes é apenas abrigo no meio da chuva, um peito confortável e seguro para estar, é mãos dadas no shopping e um sorvete de sobremesa no domingo.
O amor que fica é bom de curtir na rede de varanda em tarde preguiçosa, é um beijo na testa quando acorda e uma estranha sensação de que tudo está no seu devido lugar.
O amor que fica não deixa espaço para dúvidas e enganos, não deixa  vazios ou se quer um olhar para os lados, é um caminhar na mesma direção sem trazer o passado, é carregar na bagagem apenas o necessário porque para os contratempos já se tem um ao outro.
O amor que fica é as palavras certas nos momentos difíceis, é o silêncio onde tudo se compreende no olhar, é o abraço que afasta qualquer sombra ruim de uma solidão vazia.
O amor que fica deixa saudade quando vai, mas sempre volta para matá-la, ele não te tira nada, nem devolve, apenas mostra que você é suficiente, te torna especial por cada detalhe imperfeito, te faz mais você e você o faz mais ele porque o amor que fica te mostra que tendo você do lado, todos os outros sonhos são possíveis.
Anúncios

Participe da conversa! 1 comentário

  1. […] via O amor que fica — Jornalismo de Boteco […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thamires Alves