Guarde os presentes, os bombons e as flores. Agora me escute. Hoje é dia 08 de março, dia das mulheres, dia marcado pelo início da luta de várias de nós que deram o sangue fervendo pelas veias em forma de protesto para que tivéssemos nosso papel no mundo reconhecido como deveria e deve ser.

Não adianta você trazer as flores mais bonitas e cheirosas e achar que sou um pedaço de carne e que o “fiu-fiu” é um elogio. Não adianta você postar foto nossa nas redes sociais falando do quanto sou importante e especial se você me estapeia e usa palavras chulas se referindo ao meu gênero e por consequência ao que sou ou deixo de ser na cama. Não adianta você me abraçar desejando um feliz dia da mulher se meu desempenho no mesmo cargo que o teu é melhor e, mesmo sabendo que ganho menos, isso fere teu ego e você não tolera meu sucesso. Tudo isso porque sou mulher. Não adianta os bombons caros que você me traz se você acha que eu tenho que te dar quando VOCÊ tem vontade e eu não. Não adianta você pegar aquelas imagens cintilantes de “feliz dia da mulher” e compartilhar no Facebook ou nos grupos do Whatsapp se você acha que minha roupa curta é um convite. Não adianta me levar para jantar no melhor restaurante se você acha que não posso pagar a conta (ou dividir) porque isso é coisa de homem. Não adianta você postar que mulheres são seres incríveis se você não entende o porquê do seu amigo colocar uma mulher para chefiar na empresa e até pergunta se ele está “comendo a moça e quer garantir a carne”. Não adianta você falar que mulher precisa mesmo de um espaço na sociedade se acha “ok” um governo não ter mulheres à frente dos órgãos os quais ele engloba. Não adianta gastar dinheiro e tempo se acha que teu pau e teu espírito macho predador vão me deixar no chinelo e me fazer desistir da sociedade que preza a equidade de gênero. Não vão, você entendeu? Guarde tudo isso e me entregue quando repensar suas atitudes, me presenteie com suas ações primeiro, enquanto elas não mudarem não vou recebê-los, tá bem? Agradeço por educação, mas eu não quero. Não preciso.

Não adianta nada disso se você acha que a casa e o filho são responsabilidades exclusivas minhas, se você acha que falar sobre feminismo é besteira minha mas que, ok, eu mereço um agradinho. Não adianta sobretudo se você acha que tudo o que nos oferecem no dia 08 de março serve para anular toda a violência que sofremos diariamente e desde sempre por sermos mulheres. A gente não precisa de abraços, apertos de mãos e outras diversas formas de felicitações por esse dia se você reproduz o machismo que nos atinge a cada segundo. O mesmo machismo que mata mulheres todos os dias. O que a gente precisa é dos nossos direitos, do significado dessa luta concretizado.  Queremos voz, espaços, decisões, salários dignos, oportunidades. Queremos transformar um mundo em que as mulheres de amanhã não passem o que nós mulheres de hoje vivemos e muito menos que o nossas bisas e avós passaram. Não precisamos de palavras da boca para fora e nada que valha o que tens na carteira, isso pra gente realmente não importa. Volte várias casas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thais Oliveira

Tags