Na tentativa de retratar minha vida nas minhas obras, acabei me dando conta de que tomei a direção errada no caminho rumo aos meus objetivos. Minha intenção sempre foi agradar outrem, sempre servir de apoio para as pessoas ao meu redor. Consequentemente acabei por me tornar alguém que correspondia a qualquer expectativa que fosse imposta na minha frente. Doar o seu melhor às pessoas não é errado, mas doar-se sem limites é ser escravo das expectativas alheias.Lendo as entrelinhas de cada parágrafo, pude notar esse empecilho que subtraía a minha essência, colocando camadas de outras vontades por cima do que sou. Rapidamente, vieram-me várias reflexões acerca da minha vida. Tais reflexões estenderam-se por inúmeras madrugadas, dissipando toda e qualquer vontade de dormir. Antes, eu idealizava que se eu fosse bom todo mundo iria gostar de mim, sem exceções – quanta inocência! Colocar outros anseios em detrimento da sua satisfação é deixar de trabalhar suas próprias virtudes. Creio, hoje, que o que você faz deve gerar satisfação primeiramente a você, e se for uma coisa virtuosa as pessoas virão à procura daquilo. Tornar-se escravo das expectativas do próximo é nocivo para ambas as partes, pois você perde sua natureza intrínseca tentando agradar, enquanto o outro deposita confiança excessiva em você, o que pode acarretar uma quebra de laços numa eventual decepção – o que sempre ocorre, pois somos seres que costumam decepcionar. Isso dentre outras consequências desagradáveis.

Portanto, através de tais reflexões diante dos meus escritos, pude montar um itinerário que busque reverter todo o meu comportamento, para que eu possa produzir a partir daquilo que tenho de melhor, daquilo que parte de dentro de mim e que atrai conexões de fora. Assim, meu jardim estará receptivo a quem agradar, sem que eu precise montar flores postiças tentando impressionar o visitante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre Jornalismo de Boteco

Paulinho Rahs Escritor, compositor, poeta solitário, vocalista da Arcadia e criador do Jornalismo de Boteco. Entusiasta, subversivo e magnânimo, contém na lista de vícios café, cerveja, o Foo Fighters e o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. https://www.facebook.com/PaulinhoRahsOficial/

CATEGORIA

Jhonata Santos