Eu sinto a tua falta aqui. Sinto tanta falta, que às vezes eu acho que ele vai chegar como sempre, com os olhos sorridentes ao me encontrar. Porque esses olhos… eu já sabia que seriam meus amores desde o momento em que os vi chegando, trazendo uma bateria de carnaval pra batucar no meu peito. Eu ando pelas ruas, e quando sinto o teu perfume, cruzar o meu caminho, minha mente é invadida por tantas lembranças quanto eu sou capaz de administrar, e, apesar das lágrimas mal-educadas que querem brincar de trampolim com os meus olhos, o meu coração sorri de fora a fora. Mas o aeroporto é a minha tentação… eu queria chegar até a porta da sala de desembarque, e ficar esperando você chegar.
Só quem tem um amor distante, é que entende o que eu estou dizendo. As gírias do vocabulário do outro, se tornam as nossas palavras favoritas, e as vezes, nos apropriamos delas, para nos sentir mais perto, porque o outro lado do mundo é distante demais. Aliás… precisava ser de tão longe? Podia estar ao menos à um aeroporto de distância, ao invés de cinco. Podia estar na cidade ao lado, que a gente dava um jeito. Podia estar logo ali…

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38
O amor não tira férias, e você me fez entender isto da maneira mais doce que poderia existir, com a sua certeza me cercando, me mostrando quão única eu sempre vou ser no seu mundo; com o seu caráter me mostrando que nem todo homem, ao ver que encontrou alguém diferente e singular, continua procurando, cortejando e brincando com a sorte; com a sua gentileza, me colocando no topo do mundo. O amor não descansa, e eu percebi isso enquanto o seu olhar, cor favo de mel, me contava uns segredos absurdos.
O amor não passa. E eu percebi isso assim que você me deu o último abraço apertado e entrou naquele maldito avião. Você foi e o amor ficou. E eu passei umas vinte e cinco vezes na frente do lugar em que te conheci, pra ver se te trazia de volta. Parei na metade da vigésima sexta, não por falta de fé, mas porque o choro me invadiu feito um tsunami furioso que eu jamais conseguiria conter. O amor não passa, e esse tempo vivendo distante, me fez entender que quem passa, é a ingrata é ilusória paixão. O amor fica, sempre. Obrigada por me trazer este entendimento que muitos julgam como utopia.
Tanta distância, prova o quão longe o amor pode ir, quantos mil quilômetros pode viajar, e continuar sendo amor.
Obrigada por ser tão único no meu mundo. Obrigada por vir, e mesmo depois de ir, continuar aqui, e nunca se permitir estar realmente distante, mas sempre preencher as minhas saudades com presença. O amor espera, obrigada por me trazer mais este entendimento. E por falar nisso… Eu estou esperando por você. Volta logo.”

debora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Débora Cervelatti