Uma certa vez um amigo me disse que ao pararmos para escutar a música, se nos permitirmos viajar em sua melodia, ela há de nos trazer a paz que o coração necessita e alegria que a alma deseja.  Arthur Schopenhauer já dizia: “A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende”. Concordo plenamente com sua breve citação. Podemos nos encontrar cansados, basta ouvir o som de algo que seja capaz de prender nossa atenção pelo mínimo de minutos, e já encontramos muitas vezes a resposta para aquilo que tanto nos aflige.

Quantos casais enamorados não usam essa mesma faceta para se declarar aos seus amores. E já dizia Renato Russo “Será que eu sou capaz de enfrentar o teu amor, que me traz insegurança e verdade demais?” Quem nunca ouviu Legião Urbana e não teve vontade de se perder em uma dessas histórias que viraram poemas e de poemas se tornaram canções? Confesso que foi quando eu descobri que estava apaixonada por você.

Foi exatamente essa voz que ecoou em minha mente ao avista-lo pela primeira vez, quem era dono daquele sorriso tão encantador? E aquela boca?  E o que realmente ele viu em mim? Ele tem cara de Alberto e um pouco de maluques em seu jeito de andar, e o pior é que eu tenho queda por garotos malucos. “- Ok, ok enfatiza na frase de Renato, lembra-se que se te permitires ser seduzida pela melodia musical pode perder o seu lado racional”. “ – Não permita que um sorriso de 33 dentes mecha com seu lado frágil”. Eu vivia a me repetir isso incontáveis vezes, porém sem fundamento algum, por mais que eu tentasse tirar o seu olhar de mim, tudo pedia para eu lhe seguir.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Mas o que realmente tinha nele que mexia tanto comigo? E o que foi que acendeu todos os alertas e indicava o sinal de perigo? Sim, eu tive a certeza desde o primeiro dia, que era você que viria para bagunçar toda minha rotina que já é possui caos até pelas beiradas. Finalmente as composições de Lulu Santos se encaixara como uma luva, e aquele simples beijo roubado viria para roubar muito mais, e não é apenas um beijo bom, foram muitos beijos bons depois disso tudo, e o papo na madrugada, e os passeios do final de semana, e a vista para as estrelas. Mas o que dizia a frase mesmo? Me perdi em meio ao som que me embalava, eu tinha plena consciência da resposta, mas tinha medo de falar em voz alta, porque então, estaria afirmando o quanto por você eu já me encontrava apaixonada.

E lá no mundo por trás de meu quarto bagunçado e discos de Renato para todos os lados, eu me via em um conjunto textual onde em minha cama debruçada eu dividia meus pensamentos para me recordar dele que tanta inquietação me trazia, e também para pôr leitura em dia, e era algo mais ou menos assim que me prendia:

“- Mas o preço do sonho aumentou! Grita o padeiro. Menina bobinha que gira e inspira. I acho que estou sentindo que o passarinho amarelo picou no braço dela e lhe passou a alergia do amor. Mas tão novinha e já apaixonada? Mal sabe ela a dor que a aguarda. Menina que canta e encanta, e será que encantada ela ficará e não notará a primavera chegar?

“- Carolina abaixa o som”. Grita a mãe da sala de estar. Ela está mais uma vez parafraseando em seu caderno de escrever poesias.

“- Você tem que decorar é a tabuada menina tola, já disse que quero uma médica na família e não uma sonhadora”. E mais uma vez ela ri, sonha, respira e inspira, e anuncia a família que seu querer não está nas vontades e sim na reflexão que as atitudes trazem.

– Estou feliz, o dia está lindo lá fora. Mas ninguém a ouviu, e então ela mais uma vez continuou a escrever. O que tanto ela escrevia? Sobre o coleguinha da mesa ao lado o quanto as sardas do seu rosto eram condizentes com a cor dos seus olhos. Há o amor, ele não avisa quando vai chegar e nem em que idade é certa para se amar.

E ao terminar o meu romance, mais uma certeza me acertara em cheio, era Pedro, o dono de meu desespero. Não havia mais como negar e como em toda e boa canção que fale sobre amor, eu decidi tirar o violão empoeirado do guarda-roupas e comecei a cantar algo mais ou menos assim: “De todos os loucos do mundo eu quis você, porque eu estava cansada de ser louca assim sozinha, de todos os loucos do mundo eu quis você, porque a sua loucura combina um pouco com a minha. ”

E o estranho passou a fazer parte da minha vida. E foi crescendo um desejo incontrolável de sempre estar por ali, marcando presença. Era o simples querer de estar perto, de saber se realmente estava tudo bem. E não dá para negar que foi coisa de pele desde o primeiro instante. Foi algo que não se explica jamais, só quem já sentiu sabe do que estou a falar. E de repente? A saudade foi fazendo moradia, e os encontros mais e mais acontecia. Quando dei por mim te querer virou rotina, e eu que não gostava de monotonia estava me deliciando na urgência de querer só você. Se já nos conhecíamos? Claro que sim, dos meus sonhos, mas confesso é um prazer enorme te trazer para minha realidade, assim como em uma linda melodia, essa aqui se fez a nossa canção de amor.

re

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Re Vieira