Nos abraçamos tão forte naquele hall de hotel que eu pude sentir o tempo parar. É sério. Eu juro. Enquanto ele me segurava com força, como se aquilo de alguma forma pudesse absorver todas as minhas lágrimas de uma só vez, eu senti o mundo parar por nós dois. Como se o universo soubesse que nos restavam minutos juntos antes de ficarmos longe um do outro por mais x meses.

Eu sentia a lágrima dele cair sobre meu ombro. Cada gota me fazia apertar mais o coração e querer implorar pra Deus: só mais cinco minutos. Cinco minutos do lado dele. Ele podia congelar com o resto do mundo inteiro, o tempo podia parar, eu poderia ficar só observando o rosto dele, por mais cinco minutos, dez horas, um ano, uma vida.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

A parte mais dolorosa da despedida é saber que tudo precisa do pronome “último”. E não interessa se o tempo que vocês puderam aproveitar juntos foi o melhor da vida de vocês, ou nem se vocês estão livres no dia seguinte, muito menos se vocês tem certeza absoluta de que vão ficar juntos pra sempre, em algum momento vai ser hora de dizer “tchau” e serão os últimos beijos, os últimos abraços, as últimas oportunidades de falar alguma besteira pra ver o outro sorrir uma última vez.

É comum ouvir que namorar a distância é impossível. Quem ler só o começo desse texto vai achar que não vale a pena, que não passa de uma tortura, mas eu afirmo que é mentira. Depois que tu encontras alguém que te faz tão bem que faz-te esquecer que tu precisas controlar tuas risadas porque são estranhas, que tu não dormiste bem, que tu sentes dores de cabeça, que tu tem compromissos e prazos, essa pessoa vale a pena mesmo do outro lado do mundo. Sabe por que? Porque mesmo contigo no Brasil e ela na China, ela é, sim, a pessoa destinada a criar uma vida feliz contigo – tanto perto como longe 

Enquanto as raras vezes que vocês puderem estar fisicamente juntos, essa pessoa provar que a felicidade momentânea vale meses de espera, a distância se torna só uma pedra no caminho de vocês dois.

Eu namoro alguém que está à 1567 km longe de mim. É incrível como pessoas gostam de falar que eu sou louca por estar amando alguém distante. Eu não sou louca por amar alguém que tá longe. Loucas são as pessoas que desperdiçam meses das vidas delas fingindo amar alguém só por conforto. Eu não sou louca porque daria tudo do possível e impossível pra ficar mais cinco minutos ao lado dele. Louca eu seria se tivesse pedido pra Deus ter me poupado de toda essa aventura que vivo diariamente, de longe, mas sempre, ao lado dele.

debora Bobsin

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Débora Bobsin