Hey! Tá na hora de ir embora

Provavelmente você já leu vários textos sobre esse tema (e eu também), mas é quase impossível não falar mais uma vez. Se me perguntassem sobre algo que eu gostaria de aconselhar aos outros, eu diria quase prontamente: More fora! Existem várias outras vivências e experiências que eu também penso e acho muito válidas, mas morar fora está entre as principais. Esse momento, se assim posso dizer, desencadeia vários outros pelo caminho.

Saia de casa e da sua cidade, de preferência. Pode ser por 6 meses ou por 6 anos, mas tenha essa experiência ao menos uma vez na sua vida. Saia de casa de verdade: da sua casa familiar, da sua bolha, do seu mundinho paralelo. Saia de casa para conhecer o mundo lá fora, ou melhor, o mundo do outro. Mais do que a sensação de liberdade que isso traz, é a chance que te é dada de crescer interiormente. Não é garantido; isso vai depender da maneira como cada um lida com a situação. Eu não me lembro de algum momento da minha vida em que eu não soubesse que iria morar fora. E talvez tenha sido a melhor coisa que me aconteceu.

Morar fora te faz reaprender tudo que seus pais te ensinaram um dia. Te faz perceber que o mundo é infinitamente explorável. Mesmo que você resista, morar fora te obriga a abrir mão: da zona de conforto, da facilidade de ter tudo por perto, das suas vaidades, de manias que te mimam, dos seus caprichos, do egoísmo que, até sem querer, a gente tem dentro de nós. Você aprende a ser mais humilde e menos egocêntrico.

Morar fora te dá a chance de ser mais humano. De valorizar coisas que por vezes são consideradas banais. Sua geladeira não vai ter comida se você não enfrentar a fila do supermercado. Sua dor de cabeça não vai passar se você não for até a farmácia mais próxima. Sua cama vai ficar desarrumada, a toalha vai ficar jogada, as roupas não vão voltar sozinhas pro armário. A propósito, as suas meias nunca mais serão tão brancas como antes. Você não será mais como antes. E a gente só enxerga tudo isso de verdade, quando sai de casa.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Ir para outro lugar te dá oportunidade de expandir relações. Conhecer novos amigos, viver novos amores, construir uma família que não é de sangue, mas que te ajuda a preencher o coração. É ter numa mesma mesa, seus amigos de infância, os da faculdade que fez no interior de SP e os colegas da empresa do Rio. Como nem tudo são flores, morar fora também te faz aprender quando coloca em seu caminho, pessoas que não são tão boas assim. Vai ter rasteira, vai ter gente passando por cima da sua cabeça, vai ter aquelas cenas de novela que a gente acha que não acontecem na vida real, mas acontecem. Faz parte! E tudo isso nos ensina a sermos menos inocentes e mais realistas.

Recomeçar sua vida em outro lugar te faz repensar naturalmente. Seus princípios te sustentam quando você precisa decidir sozinho, a maneira de agir em situações que talvez nunca tenha imaginado viver. Sua percepção de mundo começa a mudar quando você se abre para conhecer o cotidiano de quem te cerca. E não há nada tão delicado e enriquecedor quanto adentrar ao universo de outra pessoa.

Morar fora te ensina a viver mais simples. Te faz dividir não só a casa, mas momentos que raramente você conseguirá explicar a alguém que não viveu essa experiência. Morar fora te faz se reaproximar de você mesmo e faz com que se conheça mais a fundo. Afinal, quando faltar uma companhia, será você e você mesmo por esse mundão afora. Depois, se quiser, não há problema nenhum em voltar pra casa. Mas primeiro, more fora. Vai fundo, vale a pena! Sua alma enobrece e agrade.

Yulle

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s