O jeans era um qualquer e acompanhava uma dessas camisetas velhas, surradas, que sua mãe sempre insistiu para jogar fora. Mas por alguma razão idiota, ela acredita ser sua camiseta da sorte. Mas que sorte, você está no cinema sozinha e observa casais felizes e apaixonados. Bom, seria só mais uma noite no cinema, desleixada e jogada, a mercê da sorte, de conseguir um bom lugar, refrigerante com gás e pipoca não muito salgada. Só que foi diferente. A sorte lhe sorriu mais do que o normal, além de um bom lugar, refrigerante gelado, com gás e pipoca com sal o suficiente, tinha um olhar pousando sobre ela.  Pousou. Ele bateu seus olhos negros sobre ela. Não sei se foi o cabelo bagunçado, a camiseta surrada, ou o brilho no olhar de quem fugia do mundo sem ir muito longe, ali, parada diante das telas, que lhe chamou atenção.

captura-de-tela-2016-03-18-acc80s-23-14-38

Mas que isso rapaz, não seja idiota, ela tá fugindo de tudo e de todos, se ficar parado feito um abestado lhe observando, ela vai te espantar. Ela consegue fazer isso com muita facilidade e nem precisa se esforçar. Ele é do tipo bem bobo, mas saiu de casa disposto a abraçar o mundo. Tudo bem, alguém tão largado assim não é exatamente o que tinha imaginado para um sábado à noite. Só que ela tem algo, é como um perfume, um imã que lhe atraiu. E ao observá-la pela primeira vez, sentiu como se pudesse lhe seguir pelo mundo inteiro, sem parar.

Sim, ele parece estar naquela famosa “lanterna dos afogadas” e busca desesperadamente seu porto. Por incrível que pareça, a maré parece que estava a favor desse encontro. Sua poltrona era ao lado dela. Mas ainda estava preso demais para lhe dizer qualquer coisa, então fez o que todo bom “nerd”, sem coragem faria, lhe fintou os olhos. Mas ela era amarga demais para perceber sua suplica por atenção, para perceber, seu anseio por um sorriso seu. Amarga mas não burra, sua bolsa caiu no chão, ele foi rápido e pegou para ela. Gentilmente lhe sorriu e ali ela percebeu, que sua fuga poderia ser mais interessante. Poderia fugir do mundo, sem sair do seu mundo. Poderia ir longe, sem sair do lugar, foi que em entendeu, através dos grandes olhos negros.

unnamed-1

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thamires Benetório