A seleção feminina de futebol decepcionou? Ou seria a sociedade que a decepciona a mais de anos? Elas perderam, sim, mas lutaram como poucas vezes eu, admiradora do futebol, vi. Elas esgotaram suas forças, mas encontraram energias a mais para continuar correndo. No primeiro jogo, elas conquistaram os brasileiros, desinformados e preconceituosos, com seus belos gols e belos lances, e isso, para elas, talvez tenha sido a melhor coisa das Olimpíadas. Elas conquistaram as crianças desavisadas que não sabiam da existência de uma seleção feminina de futebol, fizeram um menino riscar o nome do Neymar de sua camiseta para escrever Marta. Elas conquistaram e surpreenderam uma nação inteira. Elas só não conquistaram o apoio que realmente precisam. Sim, o apoio financeiro, infelizmente, é somente o que as fazem crescer.

Elas nos decepcionaram? É óbvio que não. Elas nunca nos decepcionaram, pois talvez poucos saibam, mas elas nunca deixaram de chegar ao menos em uma quartas de final de olimpíadas, elas estão entre as melhores seleções há muito tempo. Sim, elas chegaram na semifinal das Olimpíadas de 2016, em seu próprio país, jogando “em casa”. Ou será que podemos mesmo dizer que elas estão jogando em casa? O Brasil é um dos poucos países que simplesmente não oferece NENHUM apoio para a seleção feminina de futebol. A maioria das atletas, as que já são conhecidas, jogam fora do país, para conseguir seguir o sonho. Já as que ainda não conseguiram o reconhecimento permanecem no país, sem muitas escolhas, fazendo com que a CBF opte por fazer da seleção brasileira feminina uma seleção permanente para que, ao menos, elas tenham onde treinar. E aí então, podemos fazer a comparação com a seleção do Canadá e da França, por exemplo, que possuem campeonatos de seleções femininas, onde a maioria dos clubes famosos pelo futebol masculino possuem, também, um time de futebol feminino. E aí, vimos a seleção brasileira, que não encontra esse apoio, chegar entre as 4 melhores seleções do mundo, e você continua a dizer, mesmo assim, que elas nos decepcionaram?

Mas elas simplesmente chutaram essa mágoa para longe e jogaram para alegrar uma torcida. E elas nos alegraram. Elas deixaram de lado todas aquelas pessoas que insistem em falar que “lugar de mulher é na cozinha”, para conquistar os torcedores mirins que clamam por uma equipe com vontade de vencer. E elas tem vontade, muita vontade.

Elas mostraram que um sonho é muito mais importante do que qualquer crítica ou falta de apoio, fizeram um país inteiro engolir a seco o fato de que, sim, elas são melhores do que muitos homens por aí. Elas mostraram a garra e a raça em que não estamos acostumados a ver. Elas não caíram por qualquer pontapé, elas não desrespeitaram juízes por qualquer lance confuso. Elas mostraram determinação, elas mostraram respeito.

Elas não se importaram com o salário baixíssimo que ganham, elas não se importaram com chuteiras estilosas ou cabelos da moda. Elas apenas jogaram com amor à camiseta que estavam vestindo. Sim, amor, amor a um país que virou e vai seguir virando as costas a elas. Amor a uma nação que idolatra o futebol masculino e esquece completamente do feminino. Elas jogaram apenas com o objetivo de mostrar o seu valor. E mostraram.

Elas mostraram que salários caros, mansões e iates não fazem de nenhum jogador o melhor do mundo. Mostraram que a raça, que a vontade de pegar aquela bola perdida é que vão fazer delas grandes jogadoras. Elas mostraram que um sonho é muito mais importante do que qualquer barreira que possa te impedir. Mostraram que nada vai barrar quem nasceu para brilhar. Elas correram, suaram, se machucaram, se esgotaram, choraram e VOARAM. E ainda vão voar muito mais.

Elas nos fizeram enxergar além, enxergar que o mundo machista pelo qual fomos acostumados a ver e a conviver está perturbando e prejudicando sonhos enormes. Nos fizeram ver que, além delas, há outros esportes que não possuem o devido valor que merecem, em nosso país. Nos fizeram aprender que de nada adianta exigirmos uma medalha de ouro do handebol, basquete e outras modalidades, se na verdade vivemos em uma sociedade que não dá o devido apoio a esses atletas. As vimos chorar e nos colocamos no lugar delas, choramos junto. Percebemos na lágrima que caia de seus olhos e nos abraços apertados que elas receberam o quanto difícil deve ser seguir um sonho que, no país onde nasceram, é considerado “impossível”.

Elas nos fizeram entender, de uma vez por todas, que mulher pode, e vai, sim, estar onde quiser. Que o lugar delas é onde elas se sentirem felizes. Elas nos representaram com maestria. Representaram uma nova classe de mulheres, que dá a cara a tapa, que se expõe e que vai atrás do que quer, independente do que venham a pensar.

Elas são o atual exemplo da nação, o exemplo de que o sonho e a vontade são maiores do que qualquer valor financeiro ou qualquer valor que a sociedade machista insiste em impor. Elas mostraram que ainda vão longe, e isso sem o devido apoio. Imagina só o que essas meninas seriam capazes de fazer se tivessem o devido valor no país?

Elas encheram nossos olhos com tamanha determinação e a elas só devemos o seguinte: GRATIDÃO. Gratidão por terem jogado por nós, por terem lutado por nós e por terem esgotado suas forças físicas e mentais por nós. Nós temos orgulho de vocês, orgulho de ter uma seleção feminina tão incrível em nosso país. Esperamos mais apoio, mais valorização. Esperamos vê-las serem sempre mais, desse jeitinho mesmo que encantou a todos nós. Obrigada!

vic

Anúncios

Participe da conversa! 1 comentário

  1. Perfeito

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Victória Martins