Existe aquele clichê que diz: “A gente não manda no coração” e eu não posso negar que isso seja uma imensa verdade. Seu pudesse escolher, se tivesse a chance de decidir te amar ou não, com certeza, negaria esse amor, mas não posso. Já sinto por você um fascínio tão sublime que o controle dos sentidos já não existe mais. Não sou capaz de sufocar o sentimento que habita meu peito de maneira tão completa. Tudo isso é muito bonito na teoria, mas minha cabeça não está concordando, nem um pouco, com todas as batidas que meu coração te dedica.

A pulsação acelerou com a primeira troca de olhares, com o leve toque e com as palavras de carinho. Os olhos se encantaram com o sorriso maroto, com a gentileza e com cada piscadinha que você mandava de longe. Mas a consciência pesa toda vez que eu bato o olho no metal dourado que brilhava no seu dedo esquerdo. Essa aliança me fere com força e rigidez. Essa argola me enforca e retira todo o ar dos meus pulmões. Esse metal massacra minhas aspirações e planos. Ela representa o compromisso que você assumiu com outra pessoa, que chegou antes, que conquistou você quando eu nem sabia da sua existência. Alguém que te ama como eu e não merece sofrer uma traição dessa maneira.

Meu coração pulsa por ti, mas minha cabeça não permite que eu deposite em você toda minha felicidade. Por mais que eu tenha me apaixonado por seus beijos e me sinta em casa no seu abraço, não posso fazer a mudança. O imóvel está ocupado e eu não aceito ser uma invasora clandestina. Já ouvi todas as suas promessas de divórcio e suas juras de amor. Já ponderei os prós e contras e essa balança não sabe para que lado pende. O coração tem suas armas, mas a cabeça apresenta argumentos mais fortes.

Eu queria ser para você o que você é para mim e é essa esperança que não me deixa jogar tudo pro alto. O descuido de me deixar apaixonar por você desestabilizou todas as minhas convicções e valores. Me sinto culpada, mas não consigo comedir o que você causa em mim. Sim, é um erro insistir em algo que não pode acontecer. Mas e quando seu coração diz que esse erro é o melhor acerto? O amor é um sentimento poderoso e, por isso, perigoso. Sinto que ele pode me destruir, mas não seria amor se não destruísse.

MONIKAJORDAO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre Jornalismo de Boteco

Paulinho Rahs Escritor, compositor, poeta solitário, vocalista da Arcadia e criador do Jornalismo de Boteco. Entusiasta, subversivo e magnânimo, contém na lista de vícios café, cerveja, o Foo Fighters e o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. https://www.facebook.com/PaulinhoRahsOficial/

CATEGORIA

Monika Jordão

Tags