Mais uma vez eu cheguei meio bêbada em casa, a ansiedade me dominava e tudo que desejei foi ligar para você, mas como? Eu já não te tenho mais, tentei evitar momentos como esse, tentei já sabendo o quão falha eu seria, sei que eu prometi que seria uma garotinha forte, mas hoje eu queria te ver, sentir do seu carinho, queria te falar como eu sinto a sua falta, é normal ainda sentir isso tudo mesmo depois de tanto tempo? As vezes não, mas quem liga mesmo? Eu que não vai ser, afinal, eu nunca fui normal mesmo. Quem é que entende as razões para o coração não querer apagar alguém, e você me fez prometer que eu seguiria em frente, e algo no seu olhar me dizia que você estava falando sério, me fez prometer que eu cuidaria da mamãe entraria pra faculdade, assistiria algumas aulas, outras eu mataria, e o primeiro gole da cerveja sempre seria em sua homenagem. E chegou o tão esperado primeiro dia, e você não estava lá como prometido, e foi um saco, e eu só queria poder chegar em casa e te contar, talvez sobre o lanche da cantina, ou que agora nessa vida de adulta (17 anos), não era mais recreio e sim intervalo, queria te contar que me apaixonei pela primeira vez, quem em sã consciência se apaixona aos 17 anos? Mas você também não estava lá para me explicar, e que falta me fez seu colo. Como previsto consegui me meter em muitas merdas até criar a tal da maturidade, e tudo que eu me perguntava era: “Será que eu cresci de acordo com os seus planos”? Quantas vezes eu deitei e dormi com a roupa do corpo, cresci sem ouvir você me dizer boa noite, acordei tantas vezes e olhei para o lado e minhas coisas espalhadas na cama e no chão e tudo a minha volta denunciava que eu precisava de alguém, que precisava de você para colocar ordem nisso tudo, mas nunca mais você entrou em casa. Hoje? Em resumo? Já sou independente, mas ainda não sei dar os nós certos no tênis, já sei me virar, mas ainda faço a maior confusão quando eu vou fritar um ovo, e não, não tenho filhos e nem te darei um genro tão cedo, desculpa, mas eu cresci exigente como você me ensinou, e ainda não apareceu essa tal pessoa que vai bagunçar minha vida inteira, mas estou pensando em comprar um cachorro, isso é bom né? As vezes o tempo alivia e ajuda a não sentir, mas no outro dia eu lembro que nunca existirá tempo suficiente para me fazer curar essa falta que você me faz. Eu gostaria de falar sobre saudades, essa porra de saudades que você deixou, como eu queria ouvir de você agora: “MENINA NÃO FALA PALAVRÃO”. Como os anos voaram, tenho tanta coisa para comemorar, tantas conquistas que eu gostaria de dividir, não, nem vem querer me agradar agora, porque eu to de cara, ou melhor eu to muito puta da vida, cadê você nessa comemoração? Pode ser perca de tempo para os outros, mas essa nossa conversa me faz tão bem. Está bem, vou parar com as broncas, vamos continuar, a mamãe está muito bem, ela está cada vez mais dependente de mim, e como eu amo essa dependência, o senhor acredita que ela ainda dorme do seu lado da cama? Pois é, talvez ela sinta a mesma falta que eu de ti. Está bom, está bom, eu já sei, sem sentimentalismo né? Se não, não vamos matar a saudades, sabe velho, ser esse tal de gente grande é chato para caralho. O meu tempo está acabando, e eu queria apenas continuar essa conversa, sei lá, por mais uma vida? – Minha princesinha, os sonhos são feitos para matar a saudades, mas sua vida está apenas começando e você tem que acordar para lutar por seus objetivos, e lutar sem medo, então me dê um abraço forte e volte, aqui te deixo minha benção. Então eu abri os olhos, estava na minha cama, o relógio já passava das 10 da manhã, mas a saudade? Há meu amigo essa saudade é para a vida toda. PS- Aqui deixo o meu feliz dia dos pais a todos pais que me leem, e principalmente aos filhos que assim como eu já não tem mais os seus velhos por perto, ouvi dizer que é uma saudade que nunca passa, e queria realmente apenas ter ouvido e não estar sentindo…

re

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Re Vieira