Surpresa, seus olhos encheram de lágrimas, ela caminhou até o quarto e deixou que escorressem. Havia acabado de pegar uma mensagem no celular dele.  Não queria comentar nada, não queria dizer nada. Parou em frente ao espelho, se encarou por alguns segundos. Decidiu que não deixaria que aquilo lhe machucasse. Com o pensamento distante, tentando entender o motivo daquilo tudo, vestiu sua camisola de seda fina com renda preta e quando ele entrou pelo quarto, encontrou a mulher que há muito tempo não via.

Ele ficou confuso sem entender direito, quando com um beijo molhado ela lhe recebeu e foi logo dizendo:
– O que é? Tá pensando o que? Acha que é assim, coloca fim a hora que quer? Se está pensando assim, pensou errado!

Ele ficou espantado e não esperava que ela tivesse uma atitude do tipo. Mesmo nervoso, não conseguiu disfarçar, que seus seio fartos, seu cabelo brilhoso, seu sorriso cativante, lhe seduziam mais do que qualquer coisa. De forma direta e simples, lhe perguntou: – O que foi?  Qual a parte que não quero mais te ver, você não entendeu?

Seus olhos embargaram de lágrimas, mas ela sabia o quanto podia tê-lo naquela noite e ignorou sua rispidez. Ela se aproximou com delicadeza, beijou seu rosto e logo disparou:- Da última vez, deixou minha cama bagunçada. Eu dormi e acordei somente com o barulho do seu carro.

Ele tentou se esquivar, mesmo estando preso em seus lábios e lhe respondeu:-Tá vindo atrás de mim essas horas por que?

Ela nunca teve rodeios e não é o tipo que precisa de desculpas e se jogando em seus braços deixou claro:- Não vá embora outra vez, não vá como dá última vez. Não quero mais sofrer as consequências de um amor mal resolvido.

Não demorou muito para que estivessem no chão, entregues a algo que não conseguiam decifrar. Por mais que nunca se entendessem, no amor sempre foram cumplices e nunca precisaram de muito. Na verdade, o que sentiam um pelo outro, esteve sempre acima de qualquer suspeita.

Ao final, ele quis abraçá-la e como sempre precisava do seu cheiro. Mas nesse instante, ele compreendeu o que ela já havia entendido há muito tempo. Ela havia compreendido, que amores mal resolvidos, não nutrem e não são suficientes. Sem entender quando ela se esquivou de seu abraço, disparou: -O que foi?

Ela levantou, ainda nua e linda para lhe responder:- Qual foi a parte que você não entendeu, não quero mais te ver?

Sem entender nada, questionou:-Como assim?  Ela foi pronta em lhe responder: -Eu vou embora dessa vez, como você fez da última vez. E agora pague o preço.

Confuso e com o coração apertado, tentou fazer com que ela ficasse, mas foi em vão:- Mas é que o amor entre nós falou mais alto outra vez. Mas ela estava certa e foi taxativa:-Lembra quando matou sua vontade? Então sofra as consequências, isso não é nada, porque gostar de você, têm sido meu pior castigo!

Desde então, teve certeza, que nenhum meio amor lhe era suficiente. Desde então, só se contentou com um tipo de amor, aquele conhecido como, amor próprio!

thamires

Anúncios

Participe da conversa! 1 comentário

  1. Nada melhor do que deixar na memória do sujeito, tudo aquilo que ele perdeu.
    Muito bom! Parabéns

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thamires Benetório