Gabriela estava apaixonada, da forma mais clássica possível; pupilas dilatadas, coração disparado, sorriso fácil. Mais uma daquelas situações que poderiam ser observadas até pelo mais desatento dos mortais.

“- Bom dia, meu amor! Como você está? Dormiu bem?
– Oi. Estou bem. Dormi sim.
– Pensei em várias coisas para fazermos no final de semana!!
– Hum…legal”

Se dedicar ao máximo em fazer o outro feliz é uma característica dos verdadeiros amantes e, com Gabriela, não era diferente. O que lhe sobrava de amor, faltava na atenção aos detalhes. Ela se excedia tanto no descuido, que quase sempre se esquecia do que recebia em troca.

“- Lembra daquela música que tocou quando nos conhecemos?
– Acho que não. Mas deve que era boa, né?!
– Ah, era…”

Isso intrigava todos ao seu redor. Ninguém conseguia entender como uma mulher com tanto amor para oferecer, sempre escolhia as pessoas que menos estavam dispostas a recebê-lo. É por isso que o amor nos confunde tanto, ele quase nunca escolhe seus alvos, apaixona-se logo pelo improvável, pelo absurdo.

Mas o coração domina a arte do inesperado. Sempre existe uma pequena brecha para a percepção do óbvio e, como mágica, apaixona-se também por aquilo que antes, era descaso.

“- Oi Gabi, que saudade! Você sumiu esses dias…
– É…Tô meio desanimada com o meu relacionamento.
– Aconteceu alguma coisa?
– Ah, me entrego por inteira e não recebo nem a metade.
– Eu já te disse, né?!
– O quê?
– Amor sem reciprocidade, não passa de insistência…
– Eu sei… Mas encontrar alguém assim é tão difícil.
– Talvez você já tenha encontrado essa pessoa.
– Quem? Eu?
– Eu.
(silêncio)”

Nunca antes uma conversa havia mexido tanto com ela. Talvez por nunca antes ter ouvido uma resposta que não fosse apenas um ponto final em suas perguntas.

Às vezes, precisamos ignorar o que quase não conseguimos enxergar, e nos dedicarmos ao que está na nossa cara, na mão, colado na testa. E com as coisas do coração, não é diferente. A reciprocidade é o que faz tudo dar certo, mesmo para o mais estabanado dos casais. Esqueça tudo que dizem sobre como fazer uma relação ir para frente. Nenhum método funcionará se os sentimentos não forem recíprocos, e isso envolve a admiração mútua, o respeito, a preocupação com os sentimentos e a busca pela evolução do casal. Se envolva com alguém que se preocupe com a sua opinião, que se interesse pelos seus planos e, principalmente, que não solte a sua mão quando eles não derem certo.

“- Mas você… ? Eu nunca imaginei que seria alguém que estivesse tão perto.
– Mesmo longe eu esperaria. Nunca mais se lembrará do que não deu certo…”

E você? Vai deixar para depois?  Então vou repetir: ame de verdade, mas nunca ame por dois.

Assinatura Neto Boteco

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Neto Alves