Afinal, o que é ser gorda? É ser um pouco acima do peso segundo a ciência e a balança? É ter gordurinhas localizadas quando senta? É ter diabetes? É ter colesterol alto? É não se encaixar naquela rodinha de amigas que só fala em academia?

Pode ser tudo isso. Ou pode não ser nada disso. A palavra “gorda” pode ser associada para vários tipos de pessoas que não tem os ossos das costelas e da clavícula aparecendo. Existe também o termo “gordinha” para aquelas que pesam menos de 90 kg.

Acontece que ser gorda nem sempre está relacionada com peso. Nem sempre está relacionado com a falta de saúde. Nem sempre está relacionado com a alimentação da pessoa. Ser gorda é simplesmente um adjetivo, assim como ser magro, ser baixo, ser alto. Ser gorda não é uma ofensa.

Para aqueles que se preocupam tanto com a saúde das pessoas gordas, por favor, pergunte-lhes se já fizeram exames médicos, para depois sair apontando o dedo e dizendo “não é pela estética, mas sim pela sua saúde. Você precisa se cuidar mais.”

As pessoas magras de mais também tem problemas médicos e todos acham muito bonito ter todos os ossos a mostra. Porque não podemos nos orgulhar de nossas gordurinhas também?

Tenho orgulho sim de todas as minhas dobrinhas na barriga. Da minha coxa enorme. Dos meus seios gigantes. Do meu bumbum grande e da minha cintura larga. Tenho orgulho sim de vestir, 42, 44, 46, 48, que seja. Tenho muito orgulho sim dos meus sutiãs serem extra GG. Tenho orgulho sim das minhas blusas serem  G ou GG.

Tenho mais orgulho ainda de não deixar nenhum tipo de preconceito falar por mim. De gostar de ser gorda, mas admirar uma magra empoderada. De gostar da minha cor, mas se orgulhar              de morar em um país miscigenado. De amar a mim, mas adorar o próximo.

Dê mais valor ao seu corpo, goste mais de si mesma.  Se ame em primeiro lugar. Depois disso, você verá que ninguém poderá te amar menos do que isso. Ninguém jamais poderá falar que te acha menos que isso.

E não, não é questão de gosto não gostar de se relacionar com uma gorda. É questão de gordofobia mesmo. Não é questão de gosto não gostar de se relacionar com uma negra. É questão de racismo mesmo. Não é questão de gosto, é questão de ser preconceituoso mesmo.

Enquanto as pessoas julgarem pela aparência, não gostarem de tal pessoa porque ela é isso ou aquilo quanto a sua aparência e de escolher seus relacionamentos por aparência, o mundo continuará sendo o lixo que está.

gabi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre Jornalismo de Boteco

Paulinho Rahs Escritor, compositor, poeta solitário, vocalista da Arcadia e criador do Jornalismo de Boteco. Entusiasta, subversivo e magnânimo, contém na lista de vícios café, cerveja, o Foo Fighters e o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. https://www.facebook.com/PaulinhoRahsOficial/

CATEGORIA

Gabi Mayara

Tags

,