Ninguém ama o tempo todo, há momentos em que você vai ter raiva e se incomodar com a outra pessoa. Não adianta esperar alguém perfeito, qualquer um vai te decepcionar alguma hora. Também não adianta achar que não vai ter dúvidas, em muitas situações você vai querer repensar esse envolvimento, vai achar que não faz mais questão e de repente sentir vontade de jogar tudo para o alto. Essas coisas são inevitáveis, qualquer forma de amor sofre suas oscilações de vez em quando, em alguns dias a gente gosta mais do que em outros. É natural, por mais que pareça estranho. Quem disse que a gente iria sentir a mesma coisa todos os dias? Sensações não se repetem. O sorriso de hoje não é o mesmo de ontem, e se amanhã o choro vier, depois de amanhã as lágrimas já estão secas. Tudo é novo e tudo acontece rápido. O amor também. A gente se engana por pensar que ele é fixo, que nasce e cresce mas não morre, que é algo grande e que necessariamente demora para surgir. Na verdade, o amor acontece instantaneamente e nos pequenos gestos. Quando você está andando ao lado daquela pessoa e de repente suas maõs se esbarram; vocês se entreolham, entendem aquele toque, sorriem. Ali mesmo, numa calçada desconhecida de uma rua qualquer, o amor aconteceu. Mas, não há garantias de que ele não vá embora com a mesma pressa, então é preciso estar buscando sempre. Seja com gestos carinhosos, palavras amorosas, brincadeiras irritantes ou piadas incoerentes. O amor está nas mais variadas ações, só precisamos percebê-lo. Nem toda declaração vai ser feita com um “eu te amo”, então é necessário compreender também o que a boca não diz. No final das contas, não se preocupe em saber o que é amar, apenas sinta. Quando sabemos não é amor, é alguma ideia bonita que a gente cria e dá esse nome. Amar… É a eterna confusão de não saber!

bruna

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre Jornalismo de Boteco

Paulinho Rahs Escritor, compositor, poeta solitário, vocalista da Arcadia e criador do Jornalismo de Boteco. Entusiasta, subversivo e magnânimo, contém na lista de vícios café, cerveja, o Foo Fighters e o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. https://www.facebook.com/PaulinhoRahsOficial/

CATEGORIA

Uncategorized