Estava eu caminhando tranquilamente mais um dia na busca para avistar um belo pôr do sol. E o que acontecia na minha volta? Amigos, conhecidos ou pessoas muito próximas se lamentando por uma só coisa: o corte temporário do WhastApp. Está situação me fez pensar e, de certa forma, lamentar um pouco também. Mas eu não digo lamentar pelo corte do aplicativo, e sim, lamentar por todas as rodas de amigos que deixam de se formar por causa desta “droga” destruidora de relações. Parece exagero? Então observe ao seu redor, veja como as pessoas estão cada vez mais fixadas nas telas de seus smartphones, e não dão a mínima para o que acontece aos seus redores. Nem mesmo se prestam a marcar um bom e velho encontro para reencontrar alguns amigos. É tudo por ali, na tela dos seus celulares. Há quem diga que estes grupos são muito úteis para combinar os preparativos, por exemplo, de uma festa ou para marcar aquele futebol de sábado – e são mesmo. São até o ponto daquele idiota, um dia depois do evento, mandar um “bom dia, grupo”. Pronto, está feita a merda. É um respondendo bom dia, outro mandando joinha (o que é bem mais prático para se digitar) e assim vai… Ledo engano daquele que pensou que seria só um grupo qualquer. Dias depois, ele se tornou o principal “ponto” de encontro de todos que estão ali. E aí de quem sair. Chega a ser falta de educação. Por outrora, isto me faz me lembrar de tempos antigos. Tempos em que a tecnologia ainda não havia tomado conta. Tempos em que dávamos risadas das coisas mais idiotas possíveis, fazíamos vaquinha para comprar algo de comer e sentávamos em uma roda recheada de amor e alegria. Chega ser até engraçado, porque nos dias de hoje quando alguns grupos resolvem finalmente fazer isto, sempre tem um ou outro amigo que insiste em fixar todas suas energias na droga do celular. Isto te irrita? Se sim, então somos dois. Mas por hoje chega, fim de papo! Ah, quer dizer, eu ainda tenho uma boa notícia: ainda há tempo de você se reunir com aqueles velhos e alegres amigos. Afinal, como mesmo diz uma amiga (Carol Augsten): há quem diga que o amor nos dá asas. Se for isso mesmo, eu lhe digo: a amizade dá o chão. Não se esqueça: mais vale uma roda recheada de amigos, do que um grupo recheado de desconhecidos no WhastApp.

gabriel

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Gabriel Müller