30/07/2016

Usa e abusa

O amor andou lhe rondando, mas do outro lado a paixão lhe flertava. Ela andou a festa inteira e caminhando entre as pessoas, tentava raciocinar o que era pálio para seu jeito mulher louca de ser.

Tentava entender o que era melhor para seu coração vagabundo. Sim, vagabundo, desses que ama se entregar, mas não é abrigo pra nada e pra ninguém. Pensando no que poderia transformar aquela noite, foi pega pela cintura. Ele estava a caráter como manda as fantasias loucas, de quem dispensa a realidade. O olhar queimava, o jeans apertado e as mãos grandes, pesadas e marcantes, combinavam com o chapéu de couro e o jeito sedutor de atraí-la.

Ela olhou assustada para trás, e ficou sem reação quando viu que nem mesmo o flerte com a paixão, lhe sugou aquela obsessão pelo novo e diferente. Ela nunca foi country, nunca se empolgou em festa de peão, mas se sentia laçada por um olhar: -Em que posso ajudar?

Ele sorriu e lhe respondeu: -Que cabelo lindo você tem. Pode ajudar dançando comigo. Nesse momento ela sorriu e deu alguns passos para trás, sendo seguida por ele. Amava saber que estava sendo seguida e principalmente sendo laçada. Mas nunca foi o tipo que divide o palco, e em sua frente começou a dançar.   Não era só seu cabelo que encantava, tinha o sorriso, os olhos e o brilho de quem estava pronta para explosões maiores que a paixão.

Ele ficou parado lhe observando, aqueles segundo pareciam eternos. Com um jeito de quem gosta de brincar, ela se aproximou e mais próximo ainda dançou e provocou. Já era tarde e no céu as estrelas presenciaram o exato momento em que lhe cercou e um beijo roubou.

Pra quem sempre brincou de flertar, ela começou a entender o que ainda não tinha provado. Não era amor, porque amor nunca lhe deu tesão. Mas também não foi paixão, foi como uma explosão. Sentiu o coração saltar, as mãos suando e a barriga gelada, foi quando lhe sussurrou:-Usa e abusa, mas toma cuidado.

Pediu cuidado, porque sabia que seu coração era cabreiro e podia destruir a noite do rapaz em questão de segundos. Ele sorriu e afirmando não ter medo de nada lhe respondeu: -Me ama, vamos ser feliz e mesmo que você me iluda, é meu corpo que te chama. Usa e abusa!

E esse foi o início de uma história, que nenhum historiador soube decifrar se era de fato romance.

thamires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Thamires Benetório