30/07/2016

Ao que resta

Eu já pintei uma parede.
Já passei um dia inteiro no salão de beleza. Já dormi de maquiagem.
Eu já cozinhei pra amigos, família e até pros meus cachorros.
Já viajei sozinha. Viajei com amigos. E já viajei com um namorado.
Eu já pintei a estante de livros porque achei que precisava de uma corzinha.
Já lavei banheiro, cozinha, roupas e sapatos. Já fui dona-de-casa, princesa e dondoca.
Eu já jantei em restaurantes caros e já comi churrasquinho de gato na esquina da praça.
Eu já comi caviar e x-salada 4 por 10 reais.
Eu já comi arroz com feijão, farofa de ovo e já comi sushi.
Já viajei de primeira classe e já viajei na mala de um carro.
Eu já fiquei no prego e já dormi esperando consertarem uma estrada pra poder seguir viagem.
Eu já dancei em boates caras e já dancei pagodão com o povo suado e a cerveja quente. Por falar em cerveja, já bebi cerveja gourmet de todos os tipos. Mas nada melhor que aquele litrão gelada no bar da praça da saudade.
Eu já tomei vinhos finos e importados. Já bebi dom Bosco e Felina também.
Já usei roupas de grifes, roupas de 15 e até de 5 reais compradas em um brechó qualquer.
Já ganhei rosas vermelhas, flores em vaso e uma margarida de plástico. Rosas de plástico pra representar um amor de mentira e que nunca morre. Rosas naturais, de um amor real, que durou três dias.
Já tomei banho na chuva.
Já pulei de cachoeira.
Já fiz rapel e tirolesa.
Já fiquei em pânico dentro de um elevador.
Já tive crise em avião e já senti vertigem ao passar na passarela.
Eu já trai um namorado. Já beijei na boca de mais de dois um único dia.
Já transei apenas por prazer.
Eu já amei alguém.
Já fiz sexo com todo o meu amor.
Já senti orgasmos.
Já fui fiel por várias vezes.
Eu já andei de metrô vazio, ônibus lotado, no guidon da bicicleta, numa moto e sem capacete há 120 km/h..
Eu já fiquei bêbada.
Já fiquei muito bêbada.
E já me fingi de bêbada, mesmo só tendo bebido refrigerante.
Eu já fui traída.
Já fui manipulada e já passei por um relacionamento abusivo.
Eu já fui ciumenta, mandona e controladora.
Eu já visitei lares de acolhimento.
Já doei roupas que não me serviam mais e aquelas que serviam, mas eu nunca usava e que ficaram melhores no corpo de quem não tinha nada.
Já fiz caridade sem contar pra ninguém, já ajudei alguém sem postar no facebook.
Já chorei de saudade, de dor de ouvido, de arrependimento, de medo.
E já chorei sem motivo algum.
Já sai de casa.
Já cheguei da festa as 09h da manhã.
Eu já tive ressaca.
Já fumei cigarro.
Já bebi pra esquecer alguém.
Já falei mal das amigas.
Já cometi erros irreparáveis.
Eu já cantei evidências no karaokê.
Já fiz dueto com um cantor que gosto.
Já tive músicas feitas todas pra mim.
Já cai da escada.
Já esqueci uma poesia no meio de um recital. Já comi comida estragada.
Eu já perdi mil textos que escrevi.
Já ouvi uma música por uma única vez.
Já enjoei de centenas de coisas por repeti-las frequentemente e não conseguir me frear.
Já conheci meus cantores favoritos.
Já conheci as pessoas que me inspiram e já beijei um cara que admirava. Na boca.
Já viajei o mundo, já conversei sem entender direito, já misturei português com alemão, espanhol com francês, japonês com qualquer coisa que saiu da língua enrolada.
Eu já me afoguei várias vezes.
Já cai de bicicleta.
Já ralei o joelho e já tive cárie no dente.
Eu já emprestei coisas e não devolvi.
Já deixei pra lá o dinheiro que me deviam.
Já perdi livros que gostava muito.
Eu já passei no vestibular.
Eu fiquei em primeiro numa lista de espera onde não houve desistentes.
Já reprovei em matéria.
Já apresentei um trabalho sem ter lido nada e ganhei nota 10.
Eu já fui chamada de chata, de brava, de bruta, de idiota e de puta.
E Já fui chamada de linda, querida, amável e doce. Já fui pedida em namoro, em casamento e já terminaram comigo porque eu tinha me entregado demais.
Já fui largada,humilhada e esquecida.
Já fui cantada, aplaudida e comemorada.
Eu sou um ser humano como qualquer outro.
Já errei e acertei.
Já sorri e já chorei.
Já dancei, pulei, gritei e já me tranquei num quarto pra chorar por um dia inteiro.
Já tive depressão, já achei que ia morrer, já vivi alegrias que jamais achei que iria sentir. Vivi e vivo todos os minutos como se fossem os últimos, valorizo aquilo que posso e descarto aquilo que não me acrescenta. Erro de vez em sempre. Julgo demais. Amo demais. Me atrapalho demais.
Já menti.
Já magoei.
Já entendi.
Já animei.
Mas o mais importante, o que sempre me orgulha e que espero que jamais me falte, é o dom de acreditar que tudo pode melhorar, que toda dor passa e que o que parece ser difícil agora, vai ser aprendizado amanhã. Que não devo desistir dos meus sonhos e nunca correr em direção daquilo que a vida me reservar, levando sempre muito amor por qualquer lugar onde eu for.

Camila

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

CATEGORIA

Camila Oliveira